Publicidade
LG Eletronics

O jogo não acaba quando termina

O Dia e horário dessa postagem está no final, assim como nome do autor. O tempo estimado de leitura é de 3 minutos

Após o anúncio de que a Copa do Mundo de Futebol de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016 serão realizados no Brasil, um dos setores que mais comemorou foi o turismo. De imediato já se previu uma enxurrada de investimentos em empreendimentos hoteleiros no País, tanto nos já existentes como em novos. É certo que dinheiro não deve faltar para o aperfeiçoamento da nossa infraestrutura turística, mas o fato de recebermos muitos turistas nos próximos anos não significa retorno certo.
Há terrenos ou velhos hotéis familiares esperando por recursos para se transformarem em modernos empreendimentos, aptos a hospedar os mais exigentes turistas do mundo todo. Encher todos esses quartos durante os dois megaeventos esportivos que se aproximam não será tarefa muito difícil. No entanto, se o investimento não for muito bem planejado, após este período tudo pode ir, literalmente, por água abaixo.
Para os investidores de plantão, um alerta: colocar dinheiro em um negócio desses não significa retorno garantido. Como dito anteriormente, o sucesso está garantido durante a realização do evento. Mas a durabilidade do empreendimento depende de muitos outros fatores. O ideal é fazer um estudo de viabilidade, ou uma conceitualização. Ao contrário do que muitos pensam, um serviço é essencial na hora de planejar o investimento.
Para que o negócio seja duradouro e não fracasse após a realização dos já citados megaeventos esportivos no País, é necessário pensar nele a longo prazo. Pensar em 2015 e em 2017. Claro, tudo vem acompanhado de investimentos públicos em uma infraestrutura que sustente o aumento no número de visitantes no Brasil.
O investimento deve ser pensado de forma a contemplar o que vem depois da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos. Ou seja, um fluxo não tão intenso de turistas, com 100% de ocupação. Mas com atrações e diferenciais capazes de superar sazonalidades e a grande concorrência, a chance de obter sucesso é maior.
O turista que assistirá aos jogos da Copa do Mundo ou às competições olímpicas pouco se importará com o tamanho da piscina do hotel ou com as opções de lazer, muito menos se há um spa no empreendimento. Mas itens como estes serão essenciais para garantir um diferencial e, consequentemente, maior ocupação de turistas que procurarem lazer após esses períodos. Vale dizer que em alguns casos este será o único público após os megaeventos.
Não há uma regra a ser seguida. Cada caso é diferente e merece ser cuidadosamente estudado. Os exemplos citados acima não se aplicam, por exemplo, a grandes centros que costumam atrair muito mais o público de negócios. Qual seria a melhor opção neste caso? A resposta é simples: depende. Pode ser um hotel sem luxo, mas confortável e com serviços impecáveis. Mas também pode ser um empreendimento com quartos luxuosos e conjugados com um escritório e sala para realização de reuniões, aptos a receber presidentes de grandes empresas. Ou então flats com mini-cozinhas, para quem passa muito tempo a trabalho na cidade. 
O mais importante é saber que o retorno do investimento pode chegar com a ocupação alcançada durante estes eventos. Mas o lucro e a longevidade do negócio estão condicionados a muitos fatores que devem ser observados antes de tudo. Não se trata de um simples business plan, mas da própria viabilidade do empreendimento. Aos olhos de um investidor, um terreno à beira de uma praia paradisíaca abrigaria uma confortável pousada. Mas um estudo de conceitualização pode revelar que o melhor seria transformá-lo em suntuoso resort agregado a um parque temático, ou um shopping.
A velha máxima de que duas horas de planejamento poupam dois dias de trabalho pode ser muito bem adaptada a esta realidade. Um bom estudo e criterioso planejamento podem garantir o sucesso de um empreendimento turístico e o consequente lucro desejado. Ficar atento às melhorias de infraestrutura para beneficiar-se delas também está no script. O sucesso da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016 são praticamente certos. Continuar brilhando depois não depende da sorte, mas de planejamento e inteligência.

Publicidade
Dam Roupas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image
Reload Image
CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA