HOME Matérias Especial Novos empreendimentos hoteleiros aquecem o mercado nacional

Novos empreendimentos hoteleiros aquecem o mercado nacional

3300
1
SHARE

Com investimentos estimados em mais de R$ 10 bilhões até 2017, somente de grandes redes hoteleiras,  o setor  abre boas oportunidades para o mercado de fornecedores

 

A construção de novos hotéis está deixando o mercado hoteleiro a pleno vapor e um dos segmentos mais beneficiados será o de fornecedores do setor. Estima-se que até o ano de 2017 o Brasil contará com mais de 40 mil novas unidades habitacionais, resultantes de investimentos acima de R$ 10 bilhões, levando em consideração apenas as grandes redes hoteleiras. Fatores como aumento do poder aquisitivo das classes sociais nos últimos anos, realização de grandes eventos e a demanda reprimida, aqueceram o mercado. Isto abre novas oportunidades também para a qualificação da mão de obra em diversas regiões do País. Porém, o momento de expansão poderá acarretar a superoferta em algumas praças como, por exemplo, Porto Alegre, Manaus e Belo Horizonte, conforme alerta indicativos mercadológicos divulgados recentemente.

 

InterCity pretende captar R$ 1 bilhão para os novos hotéis

A rede gaúcha pretende expandir o número de hotéis no País. Atualmente ela conta com 22 empreendimentos em operação e a previsão é de que mais 33 hotéis sejam implantados até 2016, somando mais de oito mil apartamentos no total. De acordo com Sérgio Bueno, Diretor de Desenvolvimento Corporativo da InterCity, a estimativa é de que os novos empreendimentos da rede movimentem cerca de R$ 1 bilhão, todos captados pelo mercado de investidores. “Nos últimos três anos nós percebemos que o mercado de hotéis urbanos e de negócios estava demandando novos investimentos, pois já havia alguns anos que o Brasil não recebia novos hotéis e por conta disso decidimos investir neste nicho de negócio, investindo na construção de novos empreendimentos. Esse crescimento foi reflexo do crescimento econômico brasileiro, o que fomentou muito o mercado hoteleiro”. 


Dentre alguns hotéis que a rede pretende inaugurar nos próximos anos, estão: o InterCity Express Salvador – Aeroporto/BA; InterCity Express Rio Grande/RS; InterCity Express e Premium Sorocaba/SP; InterCity Express Itupeva/SP; InterCity Express Itaboraí/RJ; InterCity Express Teresópolis/RJ; InterCity Express Belo Horizonte/MG; InterCity Premium Belo Horizonte/MG; InterCity Express Montes Claros/MG, InterCity Premium Brasília/DF; InterCity Premium Jundiaí/SP, entre outros que ainda não foram anunciados por conta de questões contratuais.

 

De olho nas oportunidades

Outra rede hoteleira que vêm investindo na construção de novos hotéis mo Brasil está a francesa Accor que atualmente conta com 181 hotéis em operação no Brasil que representam um total de 30.370 apartamentos. A previsão é de que até o ano de 2017, a Rede ultrapasse mais de 50 mil UH’s (unidades habitacionais) que exigirá  cerca de R$ 3,5 bilhões captados no mercado de investidores para a construção de mais de 130 hotéis distribuídos pelo País. Dentre os que mais crescerão nos próximos anos estão as marcas ibis, ibis budget e ibis styles.


De acordo com Abel Castro, Diretor de Desenvolvimento para a América Latina da Accor, o pólo econômico representa 70% da expansão da Rede. “O segmento econômico é o que mais se encaixa nas cidades brasileiras. Nossos estudos apontam que mais de 300 cidades brasileiras estão aptas para receberem a construção de um hotel ibis, enquanto apenas três são capacitadas o suficiente para receber um Sofitel. Por isso temos a visão de que o segmento econômico será o que prevalecerá no futuro”, afirma o executivo.


Segundo dados divulgados por Castro, os hotéis ibis terão um salto no número de apartamentos de 16 mil para 26 mil, representando um crescimento de 60% até o ano de 2017. A marca que mais crescerá até o ano citado, será a ibis budget, passando de 3 mil para 9 mil quartos, registrando um aumento de 162%. “Nós crescemos mais pelo fato de darmos mais resultados para nossos investidores, por isso cada vez mais os investidores apostam em nosso trabalho. Passam por nós muitos projetos onde nós dizemos mais ‘não’ do que ‘sim’, pois alguns desses projetos são inviáveis, projetados em locais errados ou para uma segmentação que não é adequada. Quem investe no mercado hoteleiro tem que saber que o investimento é a longo prazo, coisa de dez, vinte, trinta anos. E que nesse intervalo irão haver períodos de superoferta e também de procura intensa”.


A Rede estima atingir a marca de mais de 350 hotéis no Brasil até 2017, por conta da conversão de alguns empreendimentos e da assinatura de novos contratos. Segundo Castro, 2013 já está sendo considerado o melhor ano da história da Accor. Após a aquisição do Grupo Posadas a receita da rede já é 25% maior do que o ano passado.

 

Destinos secundários

A Atlantica Hotels também tem investido no mercado hoteleiro brasileiro. Em seu recente plano de desenvolvimento para os próximos quatro anos, a rede pretende inaugurar 81 novos hotéis até o final de 2017. A rede passará a operar 159 empreendimentos no Brasil com um total de nove mil novos apartamentos. Os novos empreendimentos chegarão a 56 destinos diferentes no Brasil e demandarão investimentos de aproximadamente R$ 3 bilhões. Em seu plano de expansão, a Rede está focando em destinos secundários e carentes de produtos hoteleiros, e de acordo com Rafael Guaspari, Vice-presidente Sênior de Desenvolvimento da Atlantica, o objetivo será proporcionar aos viajantes de negócios uma hospedagem de padrão internacional, gerando empregos e fomentando a economia local. “Estamos pensando na logística de um executivo para que ele não precise mais se locomover dos centros secundários para hospedar-se em capitais ou destinos de origem”, afirma.


Dentre as cidades que serão contempladas estão Itajaí (SC), Itaguaí, Itaboraí, Duque de Caxias, São João do Meriti (RJ), Anápolis e Valparaiso (GO), Americana, Hortolândia, Mogi Guaçu e Pindamonhangaba (SP), Rio Grande (RS), Maringá (PR).  Somente no primeiro semestre deste ano a Rede celebrou 23 acordos comerciais e segundo Guaspari, a estimativa é de que dez empreendimentos sejam inaugurados neste segundo semestre. “Em agosto, tivemos a conversão de empreendimentos de luxo para a bandeira Radisson em Porto Alegre e Rio de Janeiro. A expectativa é terminar este ano com quatro conversões”, revela.

 

Hotéis urbanos

Atenta ao crescimento dos hotéis urbanos no Brasil, a rede Bourbon Hotéis & Resorts decidiu apostar neste mercado com o lançamento de uma nova bandeira destinada a este segmento. Trata-se da bandeira Rio Hotel by Bourbon, um produto midscale, com serviços reduzidos e com o diferencial de contar com versatilidade operacional, adaptando-se a diferentes praças. A Rede já conta com sete contratos assinados para a construção dos hotéis dessa nova bandeira localizados em Curitiba (PR), Foz do Iguaçu (PR), Ponta Grossa (PR), São José dos Pinhais (PR), Macaé (RJ), Limeira (SP) e Botucatu (SP) e uma unidade no Paraguai, em Ciudad del Este. Ao todo os sete empreendimentos demandarão um investimento de R$ 350 milhões, registrando um aumento de 1.261 de apartamentos até o ano de 2016.


De acordo com o diretor de desenvolvimento para a América Latina da Rede Bourbon, Ronaldo Albertino, a nova bandeira conta com serviços sob medida para o hóspede. “É um produto pensado para ser líder de mercado, com flexibilidade tarifária, que vai atrair o cliente que busca preço sem abrir mão do conforto. Além disso, outro fator planejado para atender sob medida o nosso cliente, está na opção de serviços customizados de alimentação. Teremos em Limeira, por exemplo, uma operação mais adequada neste setor, já que estaremos ao lado do Shopping e a região conta com diversas opções de restaurantes. Em Botucatu, a infraestrutura de alimentos e bebidas será completa com área de eventos de 600 m2”, adianta.


Outro diferencial da nova bandeira está na eliminação do business Center, sauna e piscina, o que levará o hóspede a vivenciar toda a área de lobby, recepção e fitness Center de última geração. Além do diferencial do tamanho dos apartamentos, que serão ideais para o segmento midscale, com tamanhos de 21 e 24 m².


A rede também lançou recentemente o Grand Bourbon Alphaville (SP), o qual se trata de uma nova categoria de hotéis da rede. O hotel estará situado em um dos principais centros financeiros do Brasil, terá 461 unidades hoteleiras, dois restaurantes, sendo um deles panorâmico, academia de última geração, spa contemporâneo, heliponto, bar moderno, espaço para eventos com capacidade para até duas mil pessoas e um lobby amplo e imponente. O investimento previsto neste empreendimento é de cerca de R$ 240 milhões e a inauguração está prevista para 2016. “Os recém-lançamentos, tanto do Grand Bourbon como do Rio Hotel by Bourbon Botucatu, foram um sucesso em vendas, não havendo nenhuma rejeição por parte dos investidores. Sempre tomamos o cuidado de explicitar que o negócio hoteleiro é um negócio com base imobiliária e que há, sim, riscos que devem ser ponderados conforme exposto no estudo de mercado”.

 

Super 8 foca na expansão em SP, PR e MG

Após firmar parcerias com três construtoras, o Grupo HotelPar, pertencente ao Wyndham Hotel Group  anunciou recentemente a construção de 33 hotéis econômicos da marca Super 8 nos estados de São Paulo, Paraná e Minas Gerais, com um investimento de R$ 363 milhões. Em uma parceria com a empresa Ladeira & Vale Empreendimentos, o grupo construirá 18 empreendimentos no estado de São Paulo, dez hotéis no estado paranaense com a Metacon Engenharia (PR) e cinco com a Construtora Forte em Minas Gerais, fazendo o Grupo contar com 85 empreendimentos no total.


De acordo com o Presidente do grupo, Dan Fonseca “O anúncio dessas novas parcerias fortalece ainda mais o nosso pipeline e a proposta de valor da Hotelpar e seus parceiros. Além de melhorar a oferta hoteleira nos estados de São Paulo, Paraná e Minas Gerais, dá continuidade a consolidação dos planos de crescimento do Wyndham Hotel Group para o Brasil”. Ao todo, serão construídas cerca de 3300 unidades habitacionais em cidades de importante desenvolvimento econômico como Taubaté (SP), Maringá (PR) e Pouso Alegre (MG), ampliando, assim, a oferta de mão de obra, com a criação de 594 empregos diretos e 2300 indiretos.

 

Novo ciclo na hotelaria

Presente no mercado hoteleiro há mais de 30 anos, a rede Slaviero Hotéis também está investindo na expansão de novos empreendimentos. Atualmente, a Rede possui em operação 21 hotéis, distribuídos em diferentes cidades pelo Brasil. Até o ano de 2016, a Rede pretende inaugurar mais seis hotéis, distribuídos nas regiões Sul, Sudeste e Centro-oeste do Brasil, somando um total de 902 apartamentos e um investimento estimado de R$ 150 milhões, captados através do mercado de investidores, além do BNDES, entre outras entidades fornecedoras de crédito.


Na visão de Eraldo Santanna, Diretor de Expansão da Rede Slaviero Hotéis, a hotelaria nacional está vivenciando um novo ciclo. “Estamos vivenciando um novo ciclo de expansão, com hotéis de baixo e médio conforto, destinados ao mercado corporativo e de eventos, com provável predomínio de alianças estratégicas, profissionalizando os serviços através de cadeias hoteleiras, modelos de viabilização por condo-hotel e outras estratégias,  e de maneira mais descentralizada, em cidades de pequeno e médio porte, com potencial de crescimento. Além disso, o País caminha para condições de financiamento mais favoráveis, mesmo com as dificuldades para liberação de créditos, até então disponíveis, com queda real e intensa das taxas de juros e menores exigências de rentabilidade pelo investidor. As perspectivas futuras são otimistas. Entretanto, o risco de super oferta hoteleira em cidades pontuais deve seguir como um sinal de alerta”, afirma.

 

Blue Tree investe em regiões estratégicas do Brasil

Aproveitando o mercado aquecido, a rede Blue Tree Hotels, presidida por Chieko Aoki, também divulgou recentemente o lançamento de alguns empreendimentos em regiões estratégicas do Brasil. Atualmente a rede administra 24 empreendimentos, distribuídos de Norte à Sul, com um total de 4.809 apartamentos.


Dentre os lançamentos estão as unidades Blue Tree Premium Pampulha – Belo Horizonte, Alphaville (SP), Itajaí (SC), Nexus Macaé (RJ), Ribeirão Preto (SP), São Carlos (SP), Valinhos (SP) e Votorantim (SP). A inauguração dos hotéis está prevista para até o ano de 2016, além da inauguração de um hotel em Santo Amaro da Imperatriz (SC), até o final de 2014.  De acordo com Chieko Aoki, “Estamos muito entusiasmados com o nosso retorno a Belo Horizonte com Blue Tree Premium Pampulha. Belo Horizonte é uma cidade bastante estratégica para nós, que recebe grande quantidade de visitantes nacionais e estrangeiros. Estatísticas apontam que ela tem registrado a presença de mais de 170 mil turistas de outros países anualmente, número que vem crescendo de forma rápida. Além disso, a capital mineira costuma ser escolhida para sediar importantes feiras de negócios. Apenas em 2012 foram cerca de 65 eventos, com a participação de mais de 50 mil empresas”, afirmou.

 

Hotéis econômicos

Aproveitando a demanda por novos hotéis, a bandeira Ramada, administrada pela Vert Hotéis, também está investindo em novas aberturas para os próximos anos. Dos 27 contratos assinados que a Vert Hotéis possui, vinte são da marca Ramada e tem previsão de abrir até o ano de 2016.  E a meta da marca é crescer ainda mais. De acordo com Amílcar Mielmiczuk, Diretor de desenvolvimento da Vert Hotéis, até o ano de 2022, a meta será alcançar mais de 70 contratos, todos viabilizados financeiramente através do mercado de investidores.


Segundo o executivo, a marca está seguindo muito bem seu propósito de crescimento, “Nossa prioridade neste momento são os mercados de São Paulo e Brasília. Também as principais cidades do Sul e do Nordeste”, comentou. Dentre as aberturas futuras estão o Encore São José do Rio Preto (SP), Ramada Osasco (SP), Ramada Encore Cruzeiro (SP), Ramada Lapa (RJ), Ramada São José do Rio Preto (SP), Ramada Encore Limeira (SP), Ramada Fernandópolis (SP), Ramada Encore Luxemburgo (MG), Ramada Encore Tatuí (SP) e o Ramada Encore Minascasa (MG).


Em relação à super oferta de produtos hoteleiros em algumas praças como Belo Horizonte, Porto Alegre, entre outras cidades, o executivo cita o caso da capital mineira, onde: 63 projetos deram entrada na prefeitura, 45 foram aprovados e 28 começaram a ser construídos para a Copa 2014. “Na minha opinião, apenas 15 desses hotéis estão bem localizados, são bons projetos e terão boas marcas. Isso quer dizer que esses bons projetos eliminarão, com o tempo, os hotéis ruins e que, outros, serão “natimortos”. Além disso, hotéis tem ciclos de, aproximadamente, 10 anos. Portanto, teremos 2 ou 3 anos, naquela cidade, de mercado muito ruim e 7 ou 8 de mercado bom/muito bom”, finaliza.

 

BHG e Allia possuem metas ousadas de crescimento

A BHG —  Brazil Hospitality Group, terceira maior rede hoteleira do País com 48 hotéis em operação, pretende abrir mais 22 novas unidades hoteleiras nos próximos anos. A Rede foi a primeira companhia brasileira a operar no segmento imobiliário especializada em hotelaria com foco em turismo de negócios, com hotéis próprios e administrados divididos nas categorias 2, 3, 4 e 5 estrelas. O contrato de exclusividade com a Golden Tulip Hospitality Group na América do Sul possibilita uso das marcas Royal Tulip (categoria 5 estrelas), Golden Tulip (4 estrelas) e Tulip Inn (3 estrelas).  A BHG possui também a bandeira Soft Inn, usada para hotéis de categorias 2 estrelas limited services, que oferecem uma boa opção de custo benefício para turismo corporativo. Considerando todos os hotéis em desenvolvimento já anunciados ao mercado, a Companhia atingirá a marca de aproximadamente 13.157  quartos sob gestão ao final de 2016, distribuídos entre 70 hotéis.


Já a Allia Hotels nasceu em outubro de 2010 e já conta com 30 hotéis em operação, espalhados pelos Estados de Minas Gerais, São Paulo, Goiás, Espírito Santo e Distrito Federal. Os investimentos previstos na Rede nos próximos anos ultrapassarão R$ 1 bilhão no País e a previsão é que até o final de 2017 a Allia Hotels tenha  mais 55 hotéis no seguintes locais: Manaus (Amazonas), Barreiras, Camaçari, Juazeiro, Salvador, Santo de Jesus, e Vitória da Conquista (Bahia). Aracruz, Cachoeiro do Itapemirim, Colatina, Linhares, Montanhas Capixabas, São Mateus, Serra e Vila Velha no Espírito Santo; Cristalina em Goiás, Imperatriz, São Luís no Maranhão, Betim, Ipatinga, Itabira, Itabirito, João Monlevade, Lagoa Santa, Montes Claros, Pouso Alegre, São Gonçalo do Rio Abaixo, Ubá e Viçosa em Minas Gerais; Campos, Macaé, Rio Bonito, Rio de Janeiro e São João da Barra, no Rio de Janeiro; Pindamonhangaba, Roseira e Sorocaba em São Paulo e em Palmas, no estado do Tocantis.

SHARE

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here


CAPTCHA Image
Reload Image