Publicidade
Hotelplus

O agente das mudanças na Mabu Hotéis e Resorts

O Dia e horário dessa postagem está no final, assim como nome do autor. O tempo estimado de leitura é de 8 minutos

A Mabu Hotéis e Resorts está passando por um vigoroso processo de crescimento e investimentos, a começar pela ampliação do Mabu Thermas Grand Resort, em Foz do Iguaçu, onde serão investidos mais de R$ 300 milhões ao longo de alguns anos. Neste mesmo empreendimento deverá ser implantado ainda neste ano uma Praia Termal que será uma grande novidade para a região Sul do Brasil. Ainda em Foz do Iguaçu, a Mabu deverá colocar em operação no final deste ano o Interludium Iguassu Convention, um empreendimento na categoria midscale para suprir as necessidades do mercado de eventos.

E em maio deste ano a Mabu lançou sua bandeira Express para também atuar no segmento de hotéis padrão econômico e ela já nasce com dez hotéis em desenvolvimento, sendo que cinco para serem entregues em até um ano e meio, focando nas cidades secundárias do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, como  Pelotas, Guarapuava e Cascavel.

Quem está comandando a expansão deste crescimento da Mabu é o Diretor Executivo / CEO, Wellington Estruquel, que entrou no segmento hoteleiro aos 15 anos de idade através de uma oportunidade do destino. Depois, ele passou por renomadas redes como Accor, Atlantica e Pestana e chegou a Mabu em 2011 para ser o principal agente de mudança na empresa, que poderá ser conferido nesta entrevista exclusiva.

 

 

Revista Hotéis — Como você entrou no segmento hoteleiro? Foi uma vocação, formação acadêmica ou uma oportunidade?  

Wellington Estruquel — Meu início na hotelaria foi uma oportunidade, coisa do destino realmente, já que na época tinha 15 anos de idade e era auxiliar de escritório de um hotel 5 estrelas de Campos do Jordão, baseado em São Paulo. Foi ali que tudo começou e aos 16 anos já estava na área comercial interna e depois externa. Mesmo tendo iniciado muito cedo no segmento, sempre desejei ter uma visão mais macro de negócios desta forma busquei me formar em Administração de empresas, posteriormente com uma pós graduação em Marketing e por fim um MBA em gestão empresarial. 

 

Revista Hotéis — Quais as redes hoteleiras e cargos que você passou antes de entrar para a Rede Mabu e por que aceitou este desafio profissional?  

Wellington Estruquel — Além desta experiência de Campos do Jordão, passei rapidamente pelo hotel Normandie no Centro de São Paulo e posteriormente assumindo um desafio interessantíssimo na época em abrir o primeiro hotel boutique 5 estrelas no Brasil, o L’Hotel em 1993, onde assumi minha primeira gerência comercial aos 22 anos de idade. Após sete anos neste hotel, entendi que era o momento de migrar para as grandes redes, onde assumi a diretoria de vendas do Sofitel São Paulo. Após essa experiência fui convidado a assumir a Diretoria de Negócios Estratégicos na Atlantica Hotels, o qual foi uma experiência ímpar ter participado da abertura de quase 40 hotéis nos sete anos em que estive na empresa. Fui convidado então pela rede Pestana para assumir a Gerencia Geral de vendas para toda América do Sul, o qual considerei um ótimo desafio em virtude da experiência internacional que obtive. Desde 2011 estou à frente da rede paranaense Mabu Hotéis e Resorts, sendo que, o que realmente me atraiu a deixar uma grande rede internacional e migrar para o Mabu, foi a oportunidade de literalmente escrever uma história, de aplicar todos os conhecimentos, processos e melhores práticas do mercado. Somei este desafio com a experiência adquirida ao longo de minha carreira e em redes internacionais, em uma rede onde iria ocupar a posição principal de CEO e ser o principal agente de mudança na empresa.

 

Revista Hotéis — Como a rede Mabu está posicionada atualmente no mercado e o que a difere das demais redes existentes? O fato de possuir hotéis próprios é vantagem competitiva para crescer? 

Wellington Estruquel — A rede Mabu possui uma tradição muito forte no mercado paranaense, é uma rede altamente respeitada e reconhecida pela excelência em serviços, qualidade de A&B e principalmente pelo nosso principal hotel em Foz do Iguaçu. Nosso posicionamento está construído em ser uma rede cada vez mais focada na superação das expectativas de nossos clientes e ao mesmo tempo crescer em administração hoteleira com foco nos segmentos, midscale, econômico, e em resorts . Sem dúvida alguma que o fato de ter hotéis próprios é uma grande vantagem pois o investidor do outro lado percebe que também sentimos em todos os aspectos do negócio ( lucros, riscos, etc)  o fato de sermos investidores também, transmitindo assim muito mais confiança e credibilidade.

 

Revista Hotéis — O Mabu Thermas Grand Resort em Foz do Iguaçu (PR) está com um audacioso projeto de expansão. O que já foi concretizado, o que está em andamento e quando estiver totalmente pronto, como ficará este empreendimento?

Wellington Estruquel — Temos um plano diretor de fato muito arrojado para o Mabu Thermas Grand Resort, principal hotel da rede,  onde no total serão investidos mais de R$ 300 milhões ao longo de alguns anos. Iniciamos esse projeto em janeiro de 2012 com a conclusão da Ala tropical com 154 apartamentos, passando para 362 apartamentos no total. Em 2013 revitalizamos todos os 208 apartamentos antigos, assim como, lobby, bar, restaurantes e agora em 2014 teremos a grande novidade! A primeira praia Termal do Sul do país para atender a demanda crescente do segmento de lazer e também de eventos já que temos ao lado da praia uma grande área outdoor para montagem de tendas para eventos, jantares, palcos para shows, etc. 

 

Revista Hotéis — O que motivou a rede Mabu a investir no projeto Praia Termal no Mabu Thermas Grand Resort. Quanto está sendo investido neste projeto, prazo de conclusão e o que a Praia Termal agregará ao empreendimento? 

Wellington Estruquel — A crescente demanda do segmento de lazer e de eventos são os motivos principais para investirmos nesse projeto, no entanto sempre tivemos a visão de possuirmos diferenciais competitivos. Por esse motivo, buscamos algo que fosse único realmente, que agregasse valor ao Resort e que pudesse trazer uma grande novidade não somente para a região Sul, mas para clientes de todas as regiões que queiram conhecer Foz do Iguaçu pelos seus inúmeros diferenciais (cataratas, Itaipu,Paraguai, Argentina, etc). A previsão de entrega da Praia Termal é para o final de novembro de 2014 e foram investidos R$15 milhões nesse moderno projeto o qual será exclusivo para hóspedes do hotel, oferecendo playground aquático, bar molhado, hidromassagens, balé balés, decks, entre outros atrativos.

 

Revista Hotéis — Quando entrará em operação o Mabu Interludium Iguassu Convention em Foz do Iguaçu e qual é a expectativa da rede em relação a este empreendimento? 

Wellington Estruquel — A data de inauguração do Mabu Interludium está prevista para Novembro/Dezembro deste ano e temos excelentes expectativas para esse hotel. Ele deverá completar o portfolio da rede Mabu na categoria midscale convention e atingindo os segmentos do mercado internacional (muito forte na cidade), eventos para até 700 pessoas (tendo sinergia com a área de eventos do Mabu Thermas) e os segmentos  corporativo e lazer também presentes na cidade de Foz.

Revista Hotéis — Vários empreendimentos hoteleiros estão programados para entrar em operação em Foz do Iguaçu nos próximos anos. Como você analisa este cenário, poderá haver desequilíbrio entre a lei da oferta e demanda? 

Wellington Estruquel — De fato vemos uma crescente oferta hoteleira a ser introduzida num futuro breve para a cidade de Foz do Iguaçu, entretanto acredito que haverá uma substituição de produtos hoteleiros, uma vez que muitos hotéis da cidade necessitam de revitalização, sendo que a grande maioria desses novos projetos são de categoria econômica. Obviamente que devemos monitorar muito de perto para que de fato não haja uma sobre oferta hoteleira afetando a todos, mas especialmente os hotéis dessa categoria.

 

Revista Hotéis — Recentemente a Mabu lançou a bandeira econômica Express. Qual é a expectativa nos próximos anos? Esta bandeira será o carro chefe de crescimento da Mabu? 

Wellington Estruquel — Lançamos a bandeira Mabu Express em maio deste ano e ela já nasce com 10 hotéis em desenvolvimento, sendo que cinco para serem entregues em ate um ano e meio, focando nas cidades secundárias do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, como,  Pelotas, Guarapuava e Cascavel. Temos uma expectativa enorme em relação a essa bandeira a qual teve uma aceitação e aderência excepcional no mercado e buscaremos desenvolvê-la de forma a ser em termos de unidades hoteleiras, a principal marca de crescimento da rede em administração hoteleira.

 

Revista Hotéis — Várias redes hoteleiras estão focando franquias para alavancar o crescimento nos próximos anos. Como você analisa este segmento, ele faz parte dos planos de vocês?  

Wellington Estruquel — Em nosso planejamento estratégico não temos esse objetivo de entrar no segmento de franquias, onde muitas redes já atuam,  temos interesse somente em administração hoteleira e investimentos próprios do Grupo, visando termos um crescimento consistente e rentável para todos os acionistas envolvidos.

 

Revista Hotéis — No final de 2012 a Mabu adotou o modelo timeshare (tempo compartilhado). Quais os resultados já alcançados e perspectivas futuras?  

 Wellington Estruquel — Estudamos o timeshare durante algum tempo e minha experiência em outra empresa, me fez ver claramente o potencial desse mercado para nossas unidades as quais faziam todo sentido ter um programa como este. A experiência e principalmente os resultados tem sido ótimos tanto do ponto de vista financeiro (vendas do vacation Club), como da utilização hoteleira, fazendo com que nossa ocupação nos resorts cresça de forma a minimizar períodos de ociosidade natural a qualquer hotel. Em dezembro desse ano completaremos dois anos do programa Mabu Vacation Club e até aqui temos superado as metas financeiras estabelecidas e com a praia termal agregando ainda mais valor ao nosso principal resort em Foz do Iguaçu, cresce ainda mais nossa expectativa deste negócio para os próximos anos. 

 

Revista Hotéis — Como você analisa a Mabu nos próximos anos e quais mercados pretendem estar presentes? 

 

Wellington Estruquel — Trabalhamos com um planejamento estratégico de curto, médio e longo prazo, revisado a cada ano para que estejamos sempre no caminho certo da lucratividade, do posicionamento e crescimento contínuo. Mantemos o DNA da empresa construído pelos acionistas ao longo de 41 anos de existência, dessa forma sabemos para onde estamos indo e onde queremos chegar. Resumidamente, cresceremos de forma maior em administração hoteleira no segmento econômico abrangendo a toda região Sul do País, seguiremos com nosso plano diretor de crescimento no Mabu Thermas Grand Resort, visando cumprí-lo no menor espaço de tempo possível e o Mabu Vacation Club tem uma importância crucial nesse processo.

Publicidade
Soluções RH

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image
Reload Image
CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA