Publicidade
Unilever

Zoox debate em webinar a importância da tecnologia para a hotelaria na retomada pós pandemia

O setor hoteleiro e o turismo como um todo começam a se organizar para a retomada das atividades, que sofreram um impacto sem precedentes com a pandemia do novo coronavírus. Pensar estrategicamente nesse recomeço é essencial e, de olho neste momento, a Zoox realizou na manhã da terça-feira, dia 30 de junho, o webinar “Ferramentas e Soluções para Enfrentamento da Pandemia na Hotelaria”. O evento online foi aberto ao público e gratuito, por meio do canal da Zoox na plataforma YouTube.

O webinar teve a participação de Rafael de Albuquerque, CEO e fundador da Zoox, e de André Noer, Head de Hospitality da empresa, além de Augusto Rocha, VP Sales & Marketing na Pmweb; Vanessa Vilela, CEO da Io e Carolina Sass, Co-Founder and Managing Partner na Mapie. A moderação foi de Carolina Guimarães, Head de Customer Success na Zoox.

Publicidade
RAP Engenharia

O debate começou com Carolina Guimarães que explicou a dinâmica do evento e deu as boas-vindas aos profissionais. Ela passou a palavra para Rafael Albuquerque, que fez uma breve explicação sobre a atuação da Zoox no mercado hoteleiro e sobre o momento que a indústria atravessa. “Todos nós estamos correndo atrás para entender de fato o que está acontecendo, ninguém estava preparado para a pandemia. Quando nosso time entrou em home-office tínhamos dúvidas e avisamos que seriam 15 dias que se tornaram quatro meses. O fechamento dos hotéis e suas operações nos deu um sentimento de incógnita, não sabíamos o que viria. Mas eu brinco que gosto sempre de enxergar o copo meio cheio do que meio vazio. A COVID-19 é uma realidade e não adianta ficar se vitimizando. Há muitos produtos que foram desenvolvidos antes da COVID-19 e agora estamos apostando ainda mais no mercado de low-touch. Não podemos ficar românticos nas nossas soluções, precisamos entender que o mercado mudou”, afirmou.

Dados do bem

A Zoox criou uma plataforma chamada Dados do Bem, em parceria com a rede D’Or, com o intuito de utilizar os dados coletados, de acordo com Albuquerque, “para parar de correr atrás da COVID e nos colocar a frente desse vírus. Grandes empresas globais se fizeram em época de crise, então vamos ser positivos, manter nossos clientes dentro da base, eles precisam de nossa ajuda e irão lembrar de como foram tratados nesse momento”, disse o executivo. “Talvez esse fosse o empurrão para que os hotéis se modernizassem e experiência é uma coisa que as pessoas guardam na cabeça, positiva ou negativa. Esse é o momento de investimento em tecnologia e disrupção”, complementou.

Carolina Sass de Haro, Sócia-Diretora da Mapie (Foto: Divulgação)

Carolina Sass abordou como a Mapie, através da tecnologia, mostrou aos seus clientes como aprender e enxergar oportunidades frente ao momento de pandemia. “Acho que o momento acelera os conceitos de atenção, respeito e empatia. Esses três pilares formam o que conhecemos como hospitalidade. Embora que, na prática, na experiência do cliente, ele ainda sinta pouco esses pilares. O cliente topa, por exemplo, disponibilizar seus dados, se isso realmente melhorar a sua experiência no empreendimento. Estamos vivendo momentos muito polarizados, há destinos turísticos abertos e enfrentando comentários que são o oposto de um apoio. Esse respeito passa por entender a perspectiva de cada um, cada um olha para a doença de acordo com a sua visão e realidade. A empatia é o que nos faz entender o sentimento do outro. Nunca antes precisamos tanto desses elementos e precisamos agir de forma a potencializá-los por meio da tecnologia e também dos caminhos tradicionais”, pontuou.

Publicidade
Harus

Carolina também abordou a transformação digital e disse que esse conceito foi acelerado pelo contexto atual. “Existe uma série de coisas que discutimos e que se não resolvermos agora, não sei quando isso acontecerá. Adotamos soluções tecnológicas e é de nossa responsabilidade fazer o cliente enxergar isso como benefício e facilidade. Falta o hoteleiro criar condições para isso, a ferramenta é somente uma parte dessa equação”, afirmou.

Gestão comercial

Vanessa Vilela explicou a ferramenta disponibilizada pela Io. “Trata-se de um produto com menos de um ano e meio de mercado. Começamos com uma robustez de clientes que nos obrigou a amadurecer em pouco tempo. A nossa ferramenta simplifica dados. Um PMS precisa ser resumido de forma comercial para evitar grandes relatórios e otimizar a tomada de decisões. E no meio disso, ela indica estratégias para onde ir. O RM não tem ainda maturidade na hotelaria de lazer como vemos fora do Brasil. O gancho que se tem hoje para trabalhar a precificação é muito mais engajado na compra do que na venda. Esse profissional de gestão comercial e de RM precisa ter tempo para pensar no que fazer com as informações sobre segmentação e tomar as decisões corretas. Essa é a nossa ideia. Sabemos que é esse profissional que vai dar o gatilho da retomada”, explicou a executiva.

Augusto Rocha, da PMWeb, detalhou como o ano de 2020 está sendo transformador para a sociedade e para a indústria. “Já sabemos que vai até o final do ano esse período. Vemos Portugal abrir, fechar, outros países se movimentarem, e o ser humano leva tempo para adquirir novos hábitos. O turismo já voltou, tenho clientes que já estão desempenhando bem. Existe oportunidade em meio a essa calamidade, e não aproveitar isso não é inteligente. É necessário relembrarmos da responsabilidade em nossa indústria. Um terço do ano passou e podemos afirmar que julho já está contratado. A previsão das vacinas está para o final do ano e precisamos praticar um novo jeito de vivenciar o turismo e o lazer urge, porque as pessoas estão presas em suas casas. As empresas que se preocupavam com o futuro sofrem menos, mas ainda sofrem. Absorva o aprendizado da pandemia, esteja sempre com o futuro a sua frente e faça as coisas certas na hora certa”, aconselhou o profissional.

Rafael Albuquerque e André Noer – Foto – Divulgação

Rafael Albuquerque ponderou que, além de planejamento, os hotéis têm de pensar em passos pequenos para alcançar bons resultados. Carolina Guimarães passou o bastão para Andre Noer, que explicou a criação do Experience, novo projeto da Zoox. “Quando entrei em fevereiro, antes da pandemia, conversei com o Rafael sobre a terceirização das recepções por meio da tecnologia. Eu achava meio impossível, mas o Rafa me pediu para pensar nisso. Desde o começo do projeto ele já balizou valores, inclusive. Quando começo a escutar cada um de vocês falando, vejo que estamos acertando. Trata-se de uma solução que vai unir diversas empresas e tecnologias e um dos pilares dela é a educação. Junto com a Mapie estamos criando uma plataforma educacional para profissionais hoteleiros que serão certificados no aprendizado de novas práticas e tecnologias. Não basta avançar nesse quesito sem pensar nas pessoas. Temos de criar essa cultura, protagonizar essa mudança”, revelou. “O Experience tem essa base mas vai evoluir ainda mais, em entretenimento e uma série de outras coisas. Temos de cuidar dos profissionais de hotelaria de forma muito particular”, complementou.

Rafael explicou que as integrações do Experience não funcionariam sem o elemento educação. “Provocando o pessoal, sugeri a criação de uma plataforma on-line para que as pessoas aprendessem não somente sobre as plataformas da Zoox e sim sobre a experiência da rotina de um hotel. Realmente estamos investindo muito nisso, sentimos a necessidade de ajudar esse mercado a sair desse cenário. Todos os nossos concorrentes são brasileiros que dependem desse mercado e temos a estrutura para auxiliar as pessoas a darem a volta por cima nesse momento tão complexo”, concluiu.

Leia também: Zoox lança plano de apoio para hotéis em dificuldade em razão da pandemia do coronavírus

Publicidade
Trofeu Fornececor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image
Reload Image

CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA