Publicidade
Travel Tech

Testes de COVID-19 e passaporte sanitário são apostas para retomada

O Dia e horário dessa postagem está no final, assim como nome do autor. O tempo estimado de leitura é de 19 minutos

Medidas objetivam amenizar o impacto da COVID-19, o incentivo as viagens com segurança e a retomada dos negócios no setor hoteleiro

Depois de um ano de pandemia e ‘acenos’ de retomada que não se mostraram definitivos por conta da segunda onda da COVID-19 e das novas restrições impostas pelos governos dos estados do Brasil e por outros destinos-chave do mundo, agora diferentes elos da corrente do turismo começam a oferecer testes de COVID-19 como forma de motivar o retorno do turismo e a locomoção (com segurança) dos viajantes de negócios e de lazer no Brasil e no mundo. Com o mesmo objetivo, o Ministério do Turismo começou a elaborar o ‘passaporte sanitário’, uma medida que mal saiu do papel, mas já mais do que bem vista por todos os empresários do turismo no País. Enquanto isso, outros destinos do mundo também se movem para o retorno das viagens e dos eventos que fortalecem o setor e a economia.

Publicidade
LG Eletronics – Meio

Um exemplo disso são os Estados Unidos, um dos destinos mais visitados em todo o mundo, que já está tomando decisões estratégicas para a volta do seu calendário anual de eventos e atrações. Recentemente, o Governador de Nova York, Andrew Cuomo, promoveu o lançamento do Excelsior Pass, aplicativo gratuito e elaborado em parceria com a gigante IBM, cujo objetivo é a verificação da vacinação total do usuário e do tempo do último teste negativo para a presença do coronavírus. A ferramenta viabilizará o retorno de estádios esportivos, concertos musicais, restaurantes e outros pontos de interesse com limite de capacidade para impedir o contágio da COVID-19.

Nova York foi o primeiro estado norte-americano a utilizar o “passaporte” digital. O Excelsior Pass, como foi chamado, está disponível para Android e iPhone. Seus usuários recebem um QR CODE que pode ser impresso ou armazenado no smartphone por meio do Excelsior Pass Wallet. A partir disso, empresas e locais cadastrados podem utilizar aplicativo para escanear o QR CODE e verificar as informações do seu detentor. O Empire State e o Madison Square Garden são dois pontos turísticos que já confirmaram o uso da novidade.

Radisson com segurança

Outro case é o do Radisson Hotel Group, que lançou um novo serviço de teste rápido para participantes de reuniões e eventos em propriedades de seu portfólio na Europa, Oriente Médio e África. O serviço estará disponível nos hotéis participantes em parceria com a Hughes Healthcare, utilizando um kit de teste de antígeno de fluxo lateral. O programa de testes baseia-se no Protocolo de Segurança do Radisson Hotels lançado em 2020. Além disso, após a implementação total do programa, cada hotel será capaz de oferecer aos hóspedes a opção de visitar um local de teste PCR de fácil acesso e preço acessível, seja no local do hotel ou em sua vizinhança.

O Protocolo de Segurança de Hotéis Radisson de 20 e 10 etapas, foi lançado no ano passado em parceria com a empresa de inspeção, verificação, teste e certificação SGS. As salas híbridas e as soluções de reuniões híbridas do grupo foram projetadas para auxiliar os clientes na entrega de reuniões em vários locais para a transmissão de eventos.

Os hóspedes das propriedades do Radisson também têm acesso ao teste PCR para COVID-19, como parte da parceria do Radisson Hotel Group com a Synlab e a Eurofins. Segundo Chema Basterrechea, EVP e COO do Radisson Hotel Group EMEA, “A capacidade de oferecer testes rápidos para nossos convidados e profissionais de reuniões e eventos é o próximo passo para um retorno seguro às viagens e negócios para a indústria de reuniões e eventos. Ao oferecer aos nossos hóspedes e participantes paz de espírito e confiança por saberem que estão em um ambiente seguro e saudável, o Radisson Hotel Group continua a inovar e expandir nossa oferta de reuniões e eventos, adaptando-se de forma rápida e eficiente às novas necessidades. O novo programa de testes em combinação com o Protocolo de Segurança dos Hotéis Radisson destaca nosso compromisso contínuo com a segurança de nossos hóspedes, parceiros e membros da equipe”.

Publicidade
Escola de resultados

As opções de teste da COVID-19 incluem:

  • Teste rápido de antígeno COVID-19 oferecido por um provedor de testes terceirizado especializado e administrado por um provedor de saúde treinado no local do hotel antes do evento / reunião.
  • Acesso aos locais de teste de PCR nas proximidades do hotel.
  • Acesso a testes de PCR com auto-amostragem, em países onde isso é legalmente permitido.
  • Teste de PCR em grupo ou VIP no local do hotel administrado por um profissional de saúde treinado.

Conforme a empresa lança os novos programas abrangentes de teste COVID-19, uma ou mais dessas opções estarão disponíveis nos hotéis participantes.

Ação em expansão

No Brasil o oferecimento de testes também é uma realidade nos hotéis Hyatt, conforme explica Karina Belache, Diretora assistente de Guest Experience do Grand Hyatt Rio de Janeiro: “A iniciativa surgiu nos hotéis da rede Hyatt nos Estados Unidos com o objetivo de ajudar no aumento do número de testes realizados. Por conta da alta aceitação, a ação se expandiu. Em nosso hotel no Rio de Janeiro já foram realizados cerca de 30 testes até o momento”.

Testes de COVID-19 e passaporte sanitário são apostas para retomada

Karina Belache: “Por conta da alta aceitação, a ação se expandiu. Em nosso hotel no Rio de Janeiro já foram realizados cerca de 30 testes até o momento” (Foto: Divulgação)

O teste deve ser agendado por meio do serviço de Guest Relations do empreendimento com o laboratório montado nas dependências do hotel. A solicitação deve ser feita com antecedência pelo hóspede.

Karina ressalta que ainda não é possível mensurar ainda se a ação resultou em aumento das reservas, mas que “combinada com os selos de certificação e todos os rígidos protocolos de segurança e higiene adotados, posiciona o hotel como destino seguro e indicado para este período de tantas incertezas”.

Em caso de resultado positivo, “O hóspede tem a opção de ficar no hotel com uma diária especial de 50% de desconto e fazer a quarentena em seu quarto, respeitando todo o nosso protocolo de segurança e higiene. Também tem a opção de fazer check-out para passar a quarentena em casa. Caso precise de assistência médica, indicamos os hospitais mais próximos”, detalha Karina.

Em meio a uma pandemia que assola o mundo há mais de um ano e não dá sinais de desaparecer tão cedo, os testes de COVID-19 oferecidos pelos empreendimentos hoteleiros – ambientes com grande volume de pessoas circulando diariamente – aumentam a segurança do hóspede e se tornam um fator de peso para a decisão do viajante, mas a retomada e normalização das operações dependem também do avanço na imunização coletiva, como explica Karina: “Acreditamos que esse é um benefício a mais para os nossos hóspedes e um importante pilar na construção de um relacionamento de confiança. Mas a iniciativa não foi criada com o objetivo de causar aumento de demanda. O que realmente influenciará na retomada total é a evolução da vacinação”.

Publicidade
Tramontina

Karina Belache conclui lançando um olhar otimista sobre a retomada: “Com a maior taxa de vacinação, acreditamos que a retomada do negócio de lazer se dará de forma muito rápida, principalmente com a maior valorização do turismo interno. Com relação ao mercado corporativo e de eventos, acredito que vejamos uma recuperação maior em meados de 2022”.

 

Testes de COVID-19 e passaporte sanitário são apostas para retomada

O Grand Hyatt Rio de Janeiro possui uma gama de produtos e serviços que são destaque na hotelaria carioca (Foto: Alessandro Mendes)

Segurança é essencial

Em São Paulo, o Sheraton São Paulo WTC Hotel, localizado na zona sul da capital, firmou um acordo com a empresa Health Control Assistant e a partir do dia 22 de janeiro começou a realizar os exames de RT-PCR, que possui o laudo em até 48 horas, e o teste rápido, com resultado em até 20 minutos. “Pensando em levar mais segurança para todos os hóspedes e colaboradores, acreditamos que essa iniciativa pioneira do Sheraton WTC, acrescentará um diferencial importante para os hóspedes, e nossos clientes da Área de Eventos” disse Fernando Guinato, Gerente geral do empreendimento.

Segundo Paulo Pan, Diretor da empresa HCA, o benefício será destinado a toda população. “Nós conseguimos gerar uma comodidade para o hóspede do hotel que conseguirá realizar o exame no próprio quarto, evitando qualquer inconveniente, podendo lançar na conta do quarto. Além disso, qualquer pessoa que queira realizar os testes, a estrutura está pronta para recebê-la”, aponta Pan.

A Health Control Assistant é uma empresa da área da saúde e focada no diagnóstico de diversos exames. Para a estrutura de COVID-19 já foram realizados milhares de testes e diversas ações sociais, totalizando mais de 2 mil testagens contra COVID-19 em áreas de São Paulo, São Bernardo do Campo e Sorocaba. Mais de 200 pessoas passaram por triagem completa, totalizando dez comunidades.

A estrutura desenvolvida no hotel conta com o funcionamento de segunda a sexta das 08h00 às 15h00, oferecendo também plantão para horários especiais sob consulta. Para mais informações, consulte o ponto de atendimento ou a recepção do hotel. “Com certeza a iniciativa da empresa irá contribuir diretamente para a retomada gradual e segura da economia. O segmento de hotelaria e turismo foi afetado diretamente com a pandemia e, por isso, desenvolvemos uma ação que auxiliará este mercado”, finaliza Pan.

Destinos em alerta

A visitação a certos destinos também já implica a apresentação de testes de COVID-19. Para garantir a segurança de todos que visitam Maresias durante a fase emergencial do Plano São Paulo, passa a ser obrigatório apresentar um teste para COVID-19 com resultado negativo para se hospedar no destino. Além disso, hotéis e pousadas estão funcionando com ocupação máxima de 40% de suas capacidades. Essas novas exigências valem para toda a cidade de São Sebastião e seguem Decreto Municipal assinado no dia 22 de março, que visa conter a transmissão da COVID-19 no município.

Testes de COVID-19 e passaporte sanitário são apostas para retomada

Destino Maresias exige testes negativos de COVID com resultado obtido com 48 horas de antecedência a chegada do turista (Foto: Divulgação)

Segundo a APHMBR – Associação de Pousadas e Hotéis, Bares e Restaurantes de Maresias, as novas medidas consolidam a segurança do destino e garantem uma tranquilidade ainda maior aos turistas, empresários e colaboradores. Com uma atuação exemplar durante toda a pandemia, a APHMBR reforça que todos os protocolos de prevenção seguem como prioridade nos estabelecimentos comerciais de Maresias, como a obrigatoriedade do uso de máscaras, a higienização constante das mãos e o distanciamento social.

Até o momento do check-in, o hóspede deverá apresentar o laudo laboratorial impresso de teste para COVID-19 realizado no máximo 48h antes da chegada, atestando resultado negativo.

Além disso, São Sebastião tem realizado barreiras sanitárias nas divisas da cidade, com testagem em massa dos ocupantes dos veículos que entram no município. Caso o teste indique positivo para o novo coronavírus, o visitante fica proibido de entrar em São Sebastião. As barreiras seguem até o dia 04 de abril. Todos os serviços essenciais continuam em funcionamento, e a Praia de Maresias está aberta apenas para atividades individuais, sem aglomeração. 

Passaporte sanitário em pauta

Criar uma versão digital da caderneta de vacinação específica para o COVID-19, desenvolvida pelo Ministério da Saúde em parceria com as Secretarias Estaduais de Saúde, de modo a permitir que, passado o pico de contaminação da doença, as pessoas voltem a viajar em âmbito nacional ou internacional, de forma segura, responsável, com proteção a todos os envolvidos são os principais objetivos de um projeto de lei, de autoria do Deputado Federal Geninho Zuliani, do DEM/SP, que, se aprovado pela Câmara dos Deputados, vai resultar no Passaporte Sanitário de COVID-19, que será elaborado Ministério da Saúde, através do Conecte SUS Cidadão. Apresentado na Câmara, no último dia 31 de março, a proposta já conseguiu um apoio de co-autoria de outros 12 deputados, formando uma coalisão de nove partidos distintos – PL, MDB, PODE, PSD, Solidariedade, DEM, Cidadania e PDT.

Testes de COVID-19 e passaporte sanitário são apostas para retomada

O Deputado federal Geninho Zuliani é o autor desse Projeto – Foto – Divulgação

Segundo Geninho, “O Passaporte Sanitário de Covid-19 pretende incentivar o turismo daqueles já está devidamente vacinados ou daqueles que apresentem teste de Covid-19 negativo, bem como, fomentar a recuperação do setor de viagens e turismo e de muitas economias locais dos municípios turísticos, desde que tenha passado o pico de contaminação pelo coronavírus e as cidades destino não estejam com restrição local de circulação, como lockdown ou toque de recolher aos cidadãos”.

Segundo o parlamentar, embora a vacinação na proposta não constitua pré-requisito para viagem e hospedagem, porém, os certificados serão necessários. “Defendemos que a criação de um Passaporte Sanitário de COVID-19 a ser apresentado junto com os demais documentos pessoais em embarques e desembarques aéreos e terrestres e em check-in na rede hoteleira, conjuntamente com os cuidados sanitários e distanciamento social já em uso, será uma ferramenta fundamental no pós- pandemia que permitirá com que os serviços e a economia voltem a funcionar.”, alerta o parlamentar. Em trâmite na Câmara, o projeto já possui requerimento de urgência para que seja apreciado, em breve, pelo Plenário.

Para Alexandre Sampaio, Presidente da FBHA – Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação, o passaporte sanitário pode estimular a retomada do turismo. “Desde o ano passado, o turismo brasileiro mostra um prejuízo crescente em seu faturamento por conta da pandemia desencadeada pelo novo coronavírus. Sabe-se que, no início do mês de março, a CNC – Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo calculou que o setor chegou a fevereiro deste ano operando apenas com 42% da sua capacidade de geração de receitas. Isso desencadeou um déficit no segmento que, hoje, já chega a R$ 290,6 bilhões”.

Testes de COVID-19 e passaporte sanitário são apostas para retomada

Alexandre Sampaio: “Já temos um déficit acumulado de perdas de R$ 290,6 bilhões”. (Foto: Divulgação)

É estimado que, apenas em 2023, consigamos voltar às atividades em um nível pré-pandemia, o que gera angústias e incertezas para o trade. No âmbito econômico geral, a situação não é diferente. O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec), por exemplo, apresentou redução mensal de 1,5% em março, o que indica uma desmotivação provocada, principalmente, pela ausência da vacinação em massa”.

O fim do túnel

Segundo o executivo, o fim do túnel para esse cenário caótico ainda é uma incógnita: “No nosso segmento, buscamos driblar a crise que, há mais de um ano, assola os nossos dias. Ao realizar um overview sobre toda a situação, é possível notar que ainda estamos longe de encerrar esse ciclo de perdas. Contudo, há formas criativas de incrementar o mercado, abrindo novas possibilidades e recriando a esperança para o dia de amanhã. Lutamos pela retomada das atividades turísticas e, sem dúvidas, acreditamos que o nosso potencial é grande. O Brasil sempre foi considerado um país gigante dentro do turismo mundial, principalmente por conta das suas diversidades”.

E continua apontando a importância do passaporte sanitário como um dos vetores da mudança: “Recentemente, a Comissão Europeia trouxe a proposta da criação de um “passaporte sanitário”, onde todas as pessoas vacinadas contra a infecção viral podem voltar a viajar para a região, desde que haja a comprovação da imunidade. Sem dúvidas, é uma medida que potencializará a movimentação turística local. Inúmeros países se encontram com o programa de vacinação avançado, o que possibilitou o relaxamento de algumas restrições, como a da circulação de turistas.

Assim como a Europa, o Brasil também se interessa por essa possibilidade. Semana passada, tivemos o debate desse tema com o Ministério do Turismo. Sem dúvidas, há o interesse em criar o passaporte interligado à saúde. A ideia é que o assunto seja colocado em pauta com o Congresso Nacional para buscar a recuperação econômica do setor. A medida é positiva e vários países estudam a possibilidade em adotar essa estratégia. Em algumas regiões, o assunto já está em uma avaliação mais ampliada, como no território chinês, onde houve o lançamento do ‘certificado de saúde’ digital para permitir a viagem ao exterior”.

Sampaio também ressalta que o bem coletivo deve ser considerado, assim como a economia, da qual milhares de brasileiros dependem para a sua sobrevivência: “Não podemos afirmar quando a pandemia, de fato, se encerrará, mas nossa busca continuará em prol do emprego de milhões de brasileiros, que dependem da movimentação econômica do turismo para obterem suas rendas. Isso, claro, sempre pensando na saúde coletiva, sem impactar negativamente ou potencializar a circulação do vírus no nosso país. Por isso, defendemos a vacina e buscamos a sua aplicação em ampla escala no Brasil. Apostar no passaporte sanitário é uma forma de acelerar a prevenção contra a COVID-19. Dessa forma, conseguiremos proteger a população e, também, os empregos, a renda e o desenvolvimento do cidadão brasileiro”, finaliza.

Compartilhando dados com segurança

Para Gervásio Tanabe, Presidente executivo da ABRACORP – Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas, “O momento vivenciado pelo mercado brasileiro das viagens a negócios clama por políticas adequadas. E capazes de evitar perdas de competitividade, receita e colaboradores. A IATA – Associação Internacional de Transporte Aéreo, acertadamente difunde a urgência de uma solução digital, nos moldes do IATA Travel Pass, para informar sobre testes, vacinas e outras medidas exigidas antes do embarque. É preciso sim, compartilhar dados. Mas com segurança capaz de proteger a privacidade dos viajantes, seja qual for o motivo da viagem”.

Testes de COVID-19 e passaporte sanitário são apostas para retomada

Gervásio Tanabe: “É preciso sim, compartilhar dados. Mas com segurança capaz de proteger a privacidade dos viajantes, seja qual for o motivo da viagem” (Foto: Divulgação)

Tanabe cita a tecnologia como principal aliada “para fazer frente ao medo de viajar” e menciona a plataforma desenvolvidas pela Amadeus IT Consulting & Solutions: “A empresa oferta plataforma global, aberta colaborativa e dedicada à padronização do status de saúde dos viajantes. Contempla origem e destino, respectivas restrições de saúde, biometria e outras informações relevantes. Tudo para facilitar a experiência do viajante, em conformidade com as leis e exigências do país de destino. A preocupação com vacinas é prioritária e justa. Porém, estamos ignorando um ponto fundamental, a testagem para a COVID-19. Isso se dá, de forma massiva, nos Estados Unidos, que já dão sinais do início da tão esperada retomada e nos enche de esperanças. Porém, sem plataformas digitais para rastreamentos, isso será quase impossível”, conclui o executivo.

Viaje com segurança

A crise deflagrada pela onda pandêmica do coronavírus motivou o nicho das empresas de assistência de viagens a atualizarem seus produtos, incluindo testes e coberturas para o coronavírus na lista de patologias e ocorrências que podem acometer na viagem durante a sua experiência.

A Intermac, multinacional brasileira do segmento de Assistência de Viagem, com mais de 22 anos de atuação e presença no mercado de 12 países, tem buscado soluções para ajudar o viajante com novos produtos e serviços que possam melhorar a sua proteção antes e durante a viagem, por meio de orientações e informações sobre o destino final, novas coberturas e tecnologia para suportar esse momento de contatos virtuais.

De acordo com Luiz Torniero, Diretor da Intermac, “Investimos em nossa plataforma tecnológica para permitir maior facilidade de integração e rapidez de respostas. Ampliamos nossa rede de prestadores de serviços médicos para dar maior apoio a nossos clientes em seus destinos com a poderosa ferramenta de telemedicina, que atende nosso cliente em qualquer lugar e a qualquer hora. Lançamos produtos específicos para a cobertura de COVID, que passaram a representar mais de 35% de total de nossas vendas. Tudo isso rastreado por um programa de treinamento intensivo de nossa equipe para as novas exigências sanitárias ao redor do mundo, regras e aplicações das coberturas securitárias no ambiente de pandemia”.

Testes de COVID-19 e passaporte sanitário são apostas para retomada

Luiz Torniero: “Ampliamos nossa rede de prestadores de serviços médicos para dar maior apoio a nossos clientes” (Foto: Divulgação)

O portfólio de produtos da Intermac possui mais de 50 produtos, combinando coberturas de despesas médicas, odontológicas, farmacêuticas, traslado médico, regresso sanitário, traslado de corpo, prorrogação de estadia, retorno de menores, hospedagem de acompanhante, envio de executivo em caso de hospitalização do segurado, despesas jurídicas, cancelamento de viagem, atraso de voo, cancelamento de voo, perda de bagagem, danos a mala, morte acidental, invalidez permanente total ou parcial por acidente de viagem, interrupção de viagem, despesas médicas por COVID em viagem, diária por hospitalização devido a COVID e traslado de corpo por morte por COVID e outras coberturas. “As coberturas securitárias combinadas aos nossos serviços de assistência, dosadas em diferentes importâncias seguradas, atendem desde o perfil de quem faz uma viagem econômica até uma viagem de luxo, pelo Brasil ou por qualquer um dos cinco continentes. Assim, a Intermac está pronta para atender seu cliente, 24h por dia, sete dias por semana, falando sempre em português ou se precisar, em inglês ou espanhol com alguém que está com nosso cliente”, complementa Torniero.

Pioneirismo e eficácia

Outro importante player desse nicho, a Affinity foi pioneira no oferecimento de planos que cobrem a COVID-19, segundo seu Diretor geral, José Carlos Menezes: “Saímos na frente em setembro de 2020 e fomos a primeira empresa a lançar planos que cobrem a COVID-19 regulamentados pelos órgãos oficiais. Sabíamos da necessidade dos passageiros e lutamos muito para conseguir transformar esse desejo em realidade. Hoje oferecemos duas opções para contratação: upgrade ou planos de cobertura da COVID-19 já inclusa”.

O Diretor também acredita que os cuidados devem ser a ‘herança’ desta era, de forma definitiva. “É preciso lembrar que nenhuma vacina é 100% eficaz e grande parte da população está suscetível ao coronavírus. Por isso os protocolos de segurança e higiene adotados atualmente devem ser mantidos por mais algum tempo. Aliás nem sabemos se a vacina será capaz de barrar a transmissão da COVID-19, ou se apenas impedirá o desenvolvimento da doença em quem tomar todas as doses. Por fim, também não se sabe ao certo por quanto tempo a imunidade obtida com as vacinas vai durar. O fato é que ainda há muitas incertezas relacionadas a esta doença e suas variantes”.

Testes de COVID-19 e passaporte sanitário são apostas para retomada

José Carlos Menezes: “É preciso lembrar que nenhuma vacina é 100% eficaz e grande parte da população está suscetível ao coronavírus” (Foto: Divulgação)

A normalização do setor de viagens e turismo, segundo Menezes, “é um processo que não será rápido. O turismo foi profundamente afetado e agora essa cadeia como um todo tenta se adaptar ao que chamamos de ‘novo normal’. Neste ano de 2021, com a vacinação evoluindo, temos visto passageiros cada vez mais confiantes e interessados em viajar. No que tange ao nosso produto, especificamente, vale ressaltar que o seguro vem se tornando obrigatório em muitos destinos. De uma forma geral, a pandemia fez com que todos os viajantes voltassem seus olhos para a necessidade de ter um seguro viagem”.

A Affinity também criou uma campanha que objetiva a eficácia e rapidez na imunização da população brasileira. “Como parte de nossas ações, lançamos uma campanha para estimular a vacinação denominada ‘Vacina é Vida que Segue’. O intuito é mostrar para quem trabalha no setor turístico e também para o público em geral como é importante estarmos todos imunizados”, conclui Menezes.

Expertise e eficiência na prevenção da COVID-19

Parceira dos hotéis Radisson na ação que oferece testes gratuitos nos hotéis da marca nos Estados Unidos, a Eurofins Scientific é um grupo internacional de empresas de ciências da vida que fornece uma gama única de serviços de testes analíticos a clientes de vários setores. A empresa, fundada pelo Dr. Gilles Martin em outubro de 1987 com quatro funcionários, abriu o capital em outubro de 1997 na Bolsa de Valores de Paris com 100 funcionários e celebra, em 2021, o seu 34º aniversário e 20 anos de operações no Brasil, com atuações nas áreas de ensaios clínicos e moleculares, alimentos e meio-ambiente. O Grupo, líder global em testes de produtos alimentícios, ambientais, farmacêuticos, cosméticos e em agrosciences é também um dos líderes globais emergentes em testes de diagnóstico clínico molecular.

Com presença em mais de 50 países, operando mais de 800 laboratórios, a Eurofins oferece um portfólio superior a 200.000 métodos analíticos para avaliar a segurança, identidade, composição, autenticidade, origem, rastreabilidade e pureza de substâncias e produtos biológicos, bem como desenvolver e realizar serviços inovadores de testes de diagnóstico clínico. O objetivo do Grupo é fornecer aos clientes serviços inovadores e de alta qualidade, resultados precisos no prazo e, quando solicitado, assessoria especializada de sua equipe altamente qualificada. O Grupo tem sido um dos que mais crescem desde que abriu o capital com um crescimento médio anual superior a 29% nos últimos 22 anos.

A Eurofins teve um aumento muito expressivo na demanda de ensaios clínicos, moleculares e ambientais em função do surgimento da pandemia. Tanto na Europa, quanto nas operações nos Estados Unidos e no Brasil foram necessários investimentos para a ampliação da capacidade de atendimento.

Além de investimentos de recursos nas estruturas laboratoriais, foram disponibilizadas unidades móveis para maior proximidade e melhor atendimento das demandas dos clientes, como por exemplo os laboratórios móveis COVID-19 no Brasil e nos Estados Unidos e as estruturas especiais em vários aeroportos de países europeus.

A empresa também investiu no desenvolvimento de um protocolo multidisciplinar de controle e prevenção da COVID-19, como forma de oferecer uma ferramenta completa e bastante robusta para a contenção da disseminação do vírus. Este protocolo, denominado EUROFINS SAFER@WORKTM tem mostrado grande efetividade e contribui para a correta aplicação de medidas de controle do SARS-Cov-2 em ambientes e populações, permitindo ainda uma economia significativa quando comparado a protocolos mais simples que consideram apenas a testagem de indivíduos.

Monitoramento ambiental

Indo além do diagnóstico, os testes para monitoramento ambiental irão contribuir para gestão da crise envolvendo a COVID-19, uma vez que fornecem dados precisos sobre a efetividade das ações adotadas. Se trata de uma abordagem preditiva, uma vez que o monitoramento ambiental associado ao rápido diagnóstico em humanos permite que as medidas preventivas sejam reavaliadas, ajustadas e validadas para que se tornem sustentáveis e efetivas. “Com toda certeza e temos observado isso claramente em todos os segmentos nos quais atuamos. Especificamente para a indústria hoteleira, turismo e realização de eventos, a realização de testes de controle em pessoas e ambientes tem permitido cada vez mais, a retomada ou manutenção das atividades com segurança. Recentemente atuamos com a organização de um evento, para o qual foram considerados os riscos e necessidades de testes ou monitoramento em todas as etapas, desde a realização de análises por RT-PCR nos participantes antes de seu deslocamento, até a testagem de antígenos na chegada ao local do evento e monitoramento de ar e superfície de todos os ambientes que as pessoas frequentariam.

Testes de COVID-19 e passaporte sanitário são apostas para retomada

Soluções da Eurofins (Foto: Divulgação)

Imagina você conseguir identificar a presença do vírus em ambientes de grande circulação ou permanência de pessoas e então aplicar protocolos de controle que vão muito além do distanciamento social e higienização das mãos? Estes protocolos multidisciplinares, associados ao contínuo monitoramento da presença de vírus em ambientes, superfícies, ar e indivíduos possibilitam assegurar um ambiente que não oferece riscos de propagação de contaminação pelo vírus SARS-Cov-2 e essa segurança ainda pode ser evidenciada por um selo emitido por uma entidade altamente especializada e é exatamente este o objetivo do Programa Eurofins SAFER@WORKTM”.

Publicidade
Harus 1

Comments

Avatar
Inês Bertolucci

Muito boa a matéria, esclarecedora. Parabéns, Hugo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image
Reload Image
CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA