HOME Matérias Entrevista Rede Hyatt retoma expansão no mercado brasileiro

Rede Hyatt retoma expansão no mercado brasileiro

1463
0
SHARE

Com apenas uma unidade instalada atualmente no Brasil, o Grand Hyatt São Paulo, inaugurado há 12 anos na capital paulista, a rede hoteleira norte-americana Hyatt está retomando o plano de expansão de olho nas oportunidades oferecidas pelo mercado brasileiro.  À frente dos novos projetos da rede Hyatt no País está Marco Amaral, Vice-presidente de Desenvolvimento da rede para o Brasil, que contará nesta entrevista exclusiva algumas novidades da Hyatt para o mercado brasileiro, como a construção do hotel Grand Hyatt Rio de Janeiro, empreendimento que recebeu quase R$ 500 milhões de investimento e que será inaugurado no terceiro trimestre de 2015, assim como a chegada da bandeira Park Hyatt na cidade paranaense de Foz do Iguaçu. O executivo também comenta sobre ações sustentáveis e outras bandeiras que poderão chegar ao País em breve.

Revista Hotéis – A rede Hyatt quando chegou no Brasil, há 12 anos, inaugurou seu primeiro hotel na capital paulista com um aporte de quase US$ 100 milhões, justamente no período que a cidade começou a viver uma superoferta. Isto chegou a afetar a performance inicialmente prevista e como o Grand Hyatt São Paulo está posicionado hoje no mercado? O investimento feito já foi recuperado?
Marco Amaral – Nós estamos muito satisfeitos com o nosso investimento no Grand Hyatt em São Paulo e continuamos como parceiros da joint venture no hotel até hoje. Embora tenhamos tido um começo difícil devido aos muitos novos hotéis e condo-hotéis que abriram mais ou menos na mesma época, nós fomos pacientes e sempre consideramos o Grand Hyatt São Paulo como um investimento de longo prazo tanto na cidade como no País. Expandir a presença de nossas marcas no Brasil é um componente crítico em nossa estratégia de expansão internacional e o Grand Hyatt São Paulo está no centro de nossos esforços no Brasil. A marca Grand Hyatt tem uma presença forte na América do Sul, com o Grand Hyatt São Paulo e o Grand Hyatt Santiago, no Chile. O nosso pipeline na região inclui ainda o Grand Hyatt Rio de Janeiro, o Grand Hyatt Bogota, na Colômbia, e o Grand Hyatt Baha Mar, nas Bahamas, todos atualmente em fase de construção.

Revista Hotéis – A rede Hyatt está construindo seu segundo hotel no Brasil, desta vez no bairro Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, uma região que várias pesquisas mercadológicas apontam como risco de ter uma superoferta. Como você analisa este cenário, poderá acontecer como há 12 anos na capital paulista?
Marco Amaral – Ainda que haja outros novos hotéis em construção na Barra da Tijuca, nós estamos confiantes que, devido à força do mercado hoteleiro do Rio de Janeiro, nossa localização excelente e a altíssima qualidade de nosso produto, o Grand Hyatt Rio de Janeiro terá muito sucesso a partir de sua abertura e junto com o Grand Hyatt em São Paulo vai proporcionar à Hyatt uma fundação forte a partir da qual nós continuaremos a crescer no Brasil. Nós queremos estar no Rio de Janeiro porque é um destino internacional fantástico, o que torna a cidade um importante mercado para viajantes de lazer e de negócios. Além dos turistas que buscam sua natureza exuberante, o Rio atrai turismo de negócios e está tornando-se referência nesta área. Nós selecionamos a localização na Barra da Tijuca porque é uma região que tem se desenvolvido significativamente nos últimos anos e é um local excelente para atrair hóspedes de negócios e de lazer. O mercado de escritórios na região está crescendo rapidamente e muitas empresas têm suas bases locais lá, além de diversos restaurantes, bares e boutiques de alto nível terem se instalado no bairro nos últimos anos. Nosso hotel será o primeiro no Rio que oferecerá uma verdadeira experiência de resort tanto para os hóspedes a lazer quanto para os que viajam a trabalho. Nós estamos muito entusiasmados e orgulhosos de fazer parte da comunidade da Barra da Tijuca.

Revista Hotéis – Qual é o investimento que deverá ser feito no Grand Hyatt Rio de Janeiro? Serão recursos próprios da Hyatt ou captados no mercado de investidores? E como será a infraestrutura e os diferenciais apresentados por este hotel, assim como previsão de entrada em operação?
Marco Amaral – O Grand Hyatt Rio de Janeiro abrirá as portas no terceiro trimestre de 2015. Hyatt é a proprietária do hotel. Em dezembro de 2010 nós adquirimos 70% da propriedade de 46 mil metros quadrados de frente para o mar, e o nosso investimento total será mais de R$ 500 milhões, dos quais cerca de 50% está sendo financiado pelo BNDES por meio da linha de crédito ProCopa. O Grand Hyatt Rio de Janeiro, com 436 apartamentos, oferecerá três restaurantes de serviço completo projetados pelo renomado arquiteto brasileiro Arthur Casas, bem como um lounge e bar, um bar na piscina, centro de fitness e spa, além de espaço para eventos e reuniões. Arcadia Design Architects e ARQ&URB Projetos são responsáveis pela arquitetura do hotel, e o design de interiores será feito pelo escritório Yabu Pushelberg. Adjacente ao hotel, haverá um componente residencial, que não pertencerá à Hyatt, e terá a marca Grand Hyatt Residences Rio de Janeiro.

Revista Hotéis – Vocês acabaram de anunciar que em 2017 a cidade de Foz do Iguaçu terá a primeira bandeira Park Hyatt no Brasil. O que diferencia esta bandeira do Grand Hyatt? Por que da escolha de Foz do Iguaçu para recebê-la bandeira e quais os diferenciais que este hotel terá?
Marco Amaral – A diferença entre a marca Park Hyatt e outras marcas de luxo está enraizada em sua convicção de que luxo é pessoal. Os hóspedes dos hotéis Park Hyatt recebem um serviço personalizado e extremamente atencioso em um ambiente intimista. Os hotéis Park Hyatt são projetados para combinar serviço sofisticado com tradição e características locais, e é cuidadosamente equipado com toques de luxo e obras de arte aclamadas pela crítica. Seu programa Masters of Food & Wine é uma série global de workshops gastronômicos com inspiração local e sazonal, com duração de um fim de semana, que acontecem trimestralmente em todos os hotéis Park Hyatt do mundo. Pesquisas mostram que os nossos clientes querem experiências gastronômicas enriquecedoras, e é assim que o Park Hyatt torna isso realidade.
Outro diferencial são as inovadoras e distintivas parcerias que Park Hyatt tem com Sotheby’s e Jaeger-LeCoulture, assim como as parcerias que cada hotel da marca estabeleceu com parceiros locais culturalmente relevantes.
Os Hotéis Park Hyatt estão localizados em muitos dos principais destinos e Foz do Iguaçu foi uma escolha natural para nosso primeiro Park Hyatt no Brasil. Como um importante destino de resort na América Latina, por causa das Cataratas do Iguaçu e do Parque Nacional, a cidade impulsiona o ecoturismo, o mercado de eventos e de viagens de incentivo. Nós acreditamos que a reputação da marca de luxo personalizado e sofisticação será uma oferta bem recebida pelos hóspedes que viajam a Foz do Iguaçu.
O hotel será um importante componente de um empreendimento de uso misto que estará situado em um terreno de 39,6 hectares localizado às margens do rio Iguaçu. O empreendimento incluirá também 30 casas de 2 e 3 dormitórios com a marca Park Hyatt, lotes para residências unifamiliares e uma área de 10,1 hectares de reserva natural protegida.
O Park Hyatt Foz do Iguaçu oferecerá os seus serviços com 170 apartamentos e suítes de luxo, quatro bares e restaurantes, um spa, um centro de fitness, uma piscina ao ar livre e mais de 1.500 metros quadrados de espaço para eventos e reuniões. O hotel ficará a 15 minutos do centro de Foz do Iguaçu e aproximadamente 10 quilômetros do Parque Nacional do Iguaçu.

Revista Hotéis – Vocês possuem planos de entrar no Brasil com outras bandeiras? Quais são e como se dará a escolha dos locais?
Marco Amaral – Sim, a Hyatt está constantemente à procura de novas oportunidades para todas as nossas 9 marcas, em todo o Brasil, porque nós acreditamos que cada uma delas terá um apelo muito forte para viajantes brasileiros de negócios e de lazer, por meio de suas acomodações de alta qualidade e estilo e comodidades contemporâneas. Nós acreditamos que há oportunidades para estabelecer uma presença nas principais cidades e também em algumas secundárias, bem como em destinos de resort. Atualmente, nós temos três marcas em nosso pipeline no Brasil: Grand Hyatt, Hyatt Place e Park Hyatt. Nosso objetivo é ser a marca favorita para os proprietários, colaboradores e hóspedes e, para atingir este objetivo, nós precisamos estar presentes nos destinos para os quais nossos hóspedes viajam.

Revista Hotéis – O desenvolvimento destas bandeiras se dará de que forma? Pretendem utilizar o modelo de franquias ou mesmo conversões no sistema de desenvolvimento dos novos hotéis no Brasil, assim como estão fazendo outras redes hoteleiras internacionais que operam no País?
Marco Amaral – À medida que buscamos oportunidades de desenvolvimento em novos mercados, estamos buscando também parceiros locais fortes. Nós atualmente temos grandes parcerias com os proprietários do Park Hyatt Foz do Iguaçu, a 5 Star Empreendimentos, e com nossos parceiros na joint venture para hotéis Hyatt Place, o FSA Group. Nós acreditamos que é importante associar a experiência local de desenvolvimento com a força da marca Hyatt e nossa competência para o gerenciamento.
A Hyatt busca oportunidades de expandir utilizando todas as formas de estrutura de negócios, seja franchising, joint venture ou propriedades totalmente nossas. A Hyatt está muito à vontade para usar o seu próprio balanço patrimonial para investir em hotéis em mercados como o Brasil, de forma a nos permitir atingir os objetivos estratégicos da companhia. No Brasil nós estamos concentrando nossos esforços em grandes cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, e em lançar nossos hotéis Hyatt Place por todo o Brasil.

Revista Hotéis – Das grandes redes hoteleiras mundiais que chegaram ao Brasil, a Hyatt por ter somente uma única unidade hoteleira é uma das mais conservadoras em relação ao crescimento. Como você analisa as oportunidades apresentadas pelo mercado hoteleiro no Brasil nos próximos anos? Chegou o grande momento da Hyatt se expandir e consolidar também no Brasil?
Marco Amaral – Nós acreditamos que este é o momento certo para a Hyatt expandir no Brasil e nós estamos muito satisfeitos com o nosso crescimento até o momento. Nós começamos um impulso agressivo de desenvolvimento no Brasil e no resto da América Latina há cerca de 5 anos e nós estamos começando a ver os frutos deste trabalho nos anúncios recentes. O Brasil é um dos mercados mais fortes da América Latina e um dos nossos mercados prioritários. Há oportunidades incríveis de conquistar uma nova base de consumidores dentro do Brasil e também de fortalecer as escolhas por hotéis Hyatt entre os clientes que já nos conhecem. Nosso objetivo é ser a marca favorita para nossos colaboradores, hóspedes e proprietários em todos os segmentos que servimos – e isso não mudou desde que nos tornamos uma empresa de capital aberto em 2009. A Hyatt só está interessada em crescer de uma maneira estratégica e deliberada em mercados para onde sabemos que nossos hóspedes estão viajando. Esta é a nossa estratégia global e ela se aplica também ao Brasil.

Revista Hotéis – O que difere a Hyatt das demais redes hoteleiras? Quais os valores que possuem para atrair e fidelizar os hóspedes?
Marco Amaral – As pessoas estão realmente no coração e na alma desta empresa, sejam nossos hóspedes, nossos colegas ou os nossos proprietários. Isto nos torna diferentes das outras redes de hotelaria. Nós acreditamos que a forma como estruturamos a empresa nos ajuda a dar aos nossos parceiros de desenvolvimento uma vantagem tripla: um portfólio de marcas fortes, a habilidade de inovar rapidamente e uma fundação de excelência operacional. Nós também acreditamos que a maneira como estamos estruturados leva à satisfação do hóspede. Nós estamos continuamente evoluindo nossa abordagem de hospitalidade, ouvindo mais os nossos hóspedes e oferecendo aos nossos colegas as ferramentas e recursos necessários para fazer o seu melhor trabalho. É importante para nós criar conexões emocionais autênticas e trazer o cuidado a tudo o que nós fazemos.
Além disso, nosso programa global de fidelidade, Hyatt Gold Passport, é amplamente reconhecido pelo valor que oferece aos membros por meio de benefícios e incentivos líderes na indústria. No ano passado, nós entramos em uma parceria estratégica com o programa de fidelidade M life, da MGM Resorts, que permite aos membros do Hyatt Gold Passport ganhar e resgatar pontos Hyatt Gold Passport em 12 destinos icônicos MGM Resorts participantes em Las Vegas, e os membros do M life podem ganhar M life Tier Credits quando se hospedarem em hotéis e resorts Hyatt em todo o mundo.

Revista Hotéis – No último mês de agosto a rede Hyatt firmou uma parceria com a WWF para obtenção responsável de frutos do mar. O que levou vocês a fazerem esta parceria e quais são os demais projetos de sustentabilidade ambiental que adotam?
Marco Amaral – A sustentabilidade social e ambiental está no centro de como nós fazemos negócios na Hyatt. A pesca não é apenas uma importante fonte de renda em muitas das comunidades onde os hotéis Hyatt operam, como muitas pessoas ao redor do mundo depende de peixes como sua principal fonte de proteína. Com esta parceria, nós estamos fazendo a nossa parte para ajudar a proteger os oceanos. Com ajuda da WWF, nós identificamos algumas iniciativas para aprimorar as nossas práticas de obtenção de frutos do mar, como priorizar a compra de frutos do mar pescados ou cultivados de maneira sustentável. Também banimos o consumo e a compra de barbatana de tubarão em nossos restaurantes de todo o mundo.
Na verdade, esta é apenas uma parte dos nossos esforços de sustentabilidade. Nós recentemente anunciamos a Hyatt 2020 Vision, com ambiciosos objetivos ambientais que definem uma série de metas mensuráveis em três áreas focais: uso consciente de recursos, construção inteligente, e inovação e inspiração.

SHARE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here


CAPTCHA Image
Reload Image