HOME Matérias Especial Cresce o conceito de hospedagem em Motéis no Brasil

Cresce o conceito de hospedagem em Motéis no Brasil

Com os grandes eventos que o País recebeu nos últimos anos, muitos estrangeiros acabaram se hospedando em motéis pela praticidade e comodidade

2597
0
SHARE
A ideia de que motel é um meio de hospedagem inferior e de beira de estrada já está no passado e hoje, esse segmento movimenta R$ 4 bilhões por ano no Brasil (Foto: freeimages)

O mercado de motéis está em franco crescimento no Brasil. De acordo com IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, os motéis representam hoje o segundo maior meio de hospedagem do Brasil, com aproximadamente cinco mil estabelecimentos. Dados da empresa ZEAX Expertise em Motéis revelam que este segmento movimenta em torno de R$ 4 bilhões por ano, empregam mais de 250 mil trabalhadores formais e hospedam em torno de 100 milhões de hóspedes por ano. A expectativa é de que até 2020 este segmento cresça 27% ao ano e movimente R$ 10 bilhões ao ano.

Ao contrário do que muita gente imagina que os motéis foram criados apenas para encontros amorosos e surgiu no Brasil, está cometendo um ledo engano. O nome motel foi criado nos Estados Unidos na década de 20, onde foi inaugurado o primeiro estabelecimento com foco nos viajantes que passavam por horas nas estradas americanas. O termo ‘motel’ quer dizer motor + hotel, ou, hotel econômico à beira de estrada, e por conta disso, esse modelo de negócio foi criado para atender este público.

Muitas vezes os motéis no Brasil são confundidos com os chamados “Love Hotels’, modelo de hospedagem encontrado em muitos países, sobretudo no Japão, o qual abriga o maior número mercado de motéis para esta finalidade, com mais de 30 mil empreendimentos distribuídos nos diferentes perímetros urbanos do país. Somente para se ter um breve histórico da época, os locais com o fim de encontros amorosos surgiram no Japão em estabelecimentos de 10 a 15 apartamentos durante o período do Edo, entre 1600-1868. Nesses locais, os casais eram recebidos por uma funcionária que cuidava dos pertences dos hóspedes, servia chá e bolo e preparava um banho para o casal. O pagamento pelos serviços era realizado apenas na saída do casal.
O primeiro motel com essa finalidade de encontros amorosos foi inaugurado no Brasil no final da década de 60, em Itaquaquecetuba, região metropolitana de São Paulo (SP), em plena ditadura militar. Na época uma lei proibia hospedagens de curta permanência, e por conta disso, o empreendimento teve que iniciar suas atividades de maneira ‘maquiada’, onde fingia ser um clube para poder funcionar.

Quebra de paradigma
Quem pensa que todos os motéis brasileiros só dispõem de camas redondas, espelhos no teto, iluminação neon e decoração extravagante está muito equivocado. Dados da ABMOTÉIS – Associação Brasileira da Indústria de Motéis revelam que cerca de 30% dos motéis no Brasil estão com foco maior em Negócios e Turismo. Durante a realização da Copa do Mundo de Futebol, no ano passado, muitos turistas estrangeiros optaram por se hospedar nesses meios de hospedagem, pois o foco desses era apenas encontrar uma suíte para descansar e recompor as energias durante o mundial.

Na visão da consultora Gabriela Otto ainda existe um paradigma muito grande com relação aos motéis no Brasil. De acordo com ela, muitos indivíduos têm a ideia de que os motéis possuem um serviço inferior com enxovais de má qualidade, decoração irregular, entre outros tópicos. “É preciso quebrar este paradigma. Essa ideia de que os motéis possuem um serviço inferior está ultrapassada. Esses empreendimentos já contam com suítes com decoração e design clean, podendo até ser comparados com quartos de hotéis cinco estrelas. Os motéis já contam com alta tecnologia de automação em suas suítes, gastronomia diferenciada, tanto que existe um evento chamado Motéis Gourmet em Belo Horizonte, que está em sua terceira edição e foi criado para demonstrar a excelente qualidade de culinária desses meios de hospedagem”, comentou.

Gabriela Otto – “É preciso quebrar o paradigma de que os motéis não possuem qualidade. Esses empreendimentos já contam suítes com decoração e design clean, podendo até ser comparados  com quartos de hotéis cinco estrelas”
Gabriela Otto – “É preciso quebrar o paradigma de que os motéis não possuem qualidade. Esses empreendimentos já contam suítes com decoração e design clean, podendo até ser comparados
com quartos de hotéis cinco estrelas”

De acordo com Gabriela, o conceito dos motéis está mudando e que será questão de pouco tempo para que esses meios se consolidem como uma nova opção de hospedagem para hóspedes que necessitam de uma suíte. “Acredito que os hotéis estão entendendo melhor hoje o conceito de day use, onde o hóspede paga pelo período em que irá ficar hospedado no hotel. O poder não está mais nas mãos do dono do negócio hoje em dia. O poder está nas mãos do consumidor. É ele quem decide o que é melhor e mais prático para sua estadia. O mercado precisa se adaptar a esses novos modos de comportamento dos indivíduos. E para que os hotéis consigam concorrer com os motéis, será necessário fornecer um serviço a altura para este cliente”.
A consultora finaliza afirmando que é muito importante reforçar que a proposta dos motéis em comparação com os hotéis é totalmente diferente. “Temos que parar de achar que os motéis devem ser considerados como hotéis. É outro modelo de negócio. Aquele comportamento do zelo, de hospitalidade, de sorrir já na entrada do hóspede é somente para os hotéis. Nos motéis o atendimento é diferente. Não existe um julgamento do hóspede que está ingressando no estabelecimento. O atendente não pode nem sequer levantar o olhar para o cliente, não existe essa ligação hospitaleira. O trato com o hóspede é diferente de um meio de hospedagem para o outro. O que deve ser ressaltado é qualidade da suíte, do que o hóspede encontrará ao se hospedar. O serviço prestado deve ser de alta qualidade”, finaliza.

Falta regulamentação
Embora a tendência de hospedagem nos motéis tenha crescido nos últimos anos, esses empreendimentos ainda não são reconhecidos pelo Ministério do Turismo como meio de hospedagem. Em busca desse reconhecimento está a ABMOTÉIS, uma entidade criada em setembro de 2012, que conta com mais de 500 empreendimentos associados, e busca desde sua criação alcançar os mesmos benefícios que os hotéis possuem atualmente.

De acordo com Eusébio Ribeirinha, Presidente da entidade, é uma incoerência que, com mais de 5 mil empreendimentos espalhados pelo Brasil, os motéis não sejam considerados pelos órgãos públicos como meios de hospedagem. “A ABMÓTEIS tem formalizado e profissionalizado o serviço dos motéis. Para isso, elaborou uma classificação específica para os estabelecimentos moteleiros e protocolou junto ao Ministério do Turismo em uma audiência realizada em janeiro de 2015. Neste mesmo encontro, foi exposto, de acordo com dados de pesquisas, que o motel é o segundo meio de hospedagem mais utilizado no Brasil, sendo então de grande importância o desenvolvimento do segmento. Existem muitos motéis pelo Brasil com alto padrão de qualidade nas suas instalações, serviços e cozinhas. Cada vez mais os motéis são uma opção de lazer, assim como jantar ou ir ao cinema. A sociedade vem mudando hábitos e desfazendo preconceitos e é necessário estar atento e acompanhar essas mudanças”, afirmou.

Eusébio Ribeirinha – “A sociedade vem mudando hábitos e desfazendo preconceitos e é necessário estar atento e acompanhar essas mudanças”
Eusébio Ribeirinha – “A sociedade vem mudando hábitos e desfazendo preconceitos e é necessário estar atento e acompanhar essas mudanças”

Ribeirinha afirma que diferente do que o setor em geral pensa, o interesse do setor moteleiro não é transformar os estabelecimentos em hotéis, mas sim desenvolver uma hospedagem diferenciada para um casal ou até mesmo para um hóspede sozinho. “Não é foco estruturar os motéis para, por exemplo, colocar três camas e criar um quarto triplo. Na verdade, quem manda é o hóspede, seja pelas condições de disponibilidade financeira ou pela hospedagem em si. Se o cliente quiser se hospedar em um hotel, não terá o que o motel disponibiliza e vice-versa. Os motéis são mais uma opção de hospedagem para o público”.

 

Passos para regulamentação
Para que os motéis sejam reconhecidos como meio de hospedagem, seriam necessários que esses empreendimentos cumprissem algumas normas como: realizar check-in dos hóspedes, desativar canais pornográficos, tirar produtos eróticos de exposição, incluir café da manhã na diária, entre outras coisas.

Segundo um representante do Ministério do Turismo que pediu para não se identificar, para que esses estabelecimentos se enquadrem como meio de hospedagem, deverão ser alterados vários pontos. “No fim de 2013, o MTur recebeu representantes da Associação Brasileira de Motéis (ABMOTEIS), que apresentaram o interesse em incluir motéis no Cadastur — Sistema de cadastro dos prestadores de serviços turísticos. Porém, este sistema está regulamentado por lei e antes de qualquer modificação na Lei do Turismo (nª 11771/2008), o tema deve ser amplamente debatido em espaços como a Câmara Temática de Legislação, do Conselho Nacional de Turismo, audiências no Congresso e consultas públicas. Hoje, conforme a Lei do Turismo, as categorias de meios de hospedagem aptas a obter a classificação por estrelas são: hotel, resort, hotel fazenda, cama e café, hotel histórico, pousada, flat/apart. No Cadastur, além dessas modalidades, albergues e acampamentos turísticos também podem se cadastrar como meios de hospedagem”.

O posicionamento do representante do Ministério do Turismo ainda ressalta que este assunto precisa ser debatido com o setor, analisando, por exemplo, se os motéis têm tratamento tributário semelhante a outras categorias de hospedagem, e principalmente a disposição dos empresários do setor em adotar padrões de formalização, qualidade e segurança semelhantes aos dos outros meios.

Preservativos nas suítes
Se os motéis ainda aguardam parecer para serem reconhecidos como meio de hospedagem, eles já atendem normas que servem também para os hotéis e que a grandiosa maioria não cumpre. Um bom exemplo é a lei federal n° 1272/2011 que vigora em caráter conclusivo na Câmara dos Deputados e que vai sobrepor a várias leis municipais. O projeto torna obrigatório o fornecimento gratuito de preservativos e de folhetos educativos sobre doenças sexualmente transmissíveis nos hotéis, motéis, pousadas, pensões e similares. Este projeto foi aprovado pela Comissão de Turismo e Desporto da câmara e agora depende apenas da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania para entrar em vigor. Dentre as penalidades que os meios de hospedagem poderão sofrer caso não disporem de preservativos em suas suítes estão cancelamento de alvará de funcionamento e multa ao estabelecimento.

Em algumas cidades brasileiras como Belo Horizonte (MG), Porto Alegre (RS), Florianópolis (SC), Natal (RN), Araraquara (SP), entre outras, os meios de hospedagem são obrigados a fornecerem preservativos por conta de leis municipais. A fiscalização das suítes fica a cargo das vigilâncias sanitárias dos municípios e muitos empreendimentos estão sendo multados por descumprirem a legislação. Por estar em caráter conclusivo, é essencial que todos os hotéis, motéis, pousadas e similares se adequem para evitar possíveis penalidades previstas em lei.

Motel Design
Presente na capital paulista há 25 anos, o Motel Lush é considerado o primeiro Motel Design do Brasil. Cada suíte do empreendimento é única, com decoração moderna e contemporânea, aliando conforto e requinte em um mesmo local. No Lush o hóspede consegue vivenciar uma boa experiência gastronômica agregada ao serviço premium de hotelaria.

O empreendimento conta com 60 suítes, e as categorias Spa Splash, Splash, Cine 4D, Spa, Lounge, Hidro, Lush e Special. Algumas possuem 75 m², piscina aquecida com cachoeira, área externa com teto solar, sauna, hidromassagem, ducha dupla com cromoterapia, 2 TVs de LED de 40 polegadas, ar split (quente e frio), DVD, frigobar, adega de vinhos,  som com MP3 Player , Internet Wi-fi e  garagem Privativa. Na Cine 4D, os hóspedes contam com um cinema 4D privativo para duas pessoas dentro da suíte, com mais de 100 títulos de filmes onde é possível assistir em tela 3D e exclusiva poltrona que recria os movimentos dos filmes. A suíte Special se destaca também por ser adaptada para portadores de deficiências físicas. Ela possui chuveiro com cromoterapia e iluminação de lED na cama com a opção de escolher a cor que desejar para compor na ambientação.

O motel Lush (SP) conta com suítes com design diferenciado
O motel Lush (SP) conta com suítes com design diferenciado

Suítes temáticas
Situado na Asa Norte de Brasília, na capital federal, o Flamingo Motel oferece 11 tipos de acomodações todas inspiradas em características de vários países, onde o hóspede consegue ter uma viagem pelo mundo em uma experiência diferenciada. Dentre os diferenciais do Flamingo Motel pode-se citar a cozinha internacional e uma completa adega com diversos rótulos de vinhos.

As categorias de suítes Marrakech e Taj Mahal contam com decoração temática, churrasqueira, hidromassagem, sauna, piscina e teto solar, assim como vista para Brasília. Recentemente o motel inaugurou as suítes Lisboa e Ibiza, que também seguem a mesma tradição de acomodações tematizadas e decoração diferenciada.

O motel também oferece a opção de suíte para hóspedes cadeirantes, adaptada para proporcionar conforto e segurança. Há também opções de suítes com hidro e sauna.

O Flamingo Motel possui diferentes suítes tematizadas
O Flamingo Motel possui diferentes suítes tematizadas
SHARE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here


CAPTCHA Image
Reload Image