Publicidade
Unilever

Travel Tech Talks abordou o Revenue Management

Rudi Azevedo é especialista em Revenue Management e foi o convidado dessa edição da Travel Tech Talks

O Travel Tech Talks, projeto idealizado pelo CEO da HS LATAM, Vinícius Geraldo, recebeu nesta quinta-feira, 20 de agosto, Rudi Azevedo, profissional que possui mais de 15 anos de trajetória no segmento hoteleiro e que atualmente é CEO da RM Academy. Azevedo vem de um período em Portugal, onde foi Diretor de vendas & Revenue no Grupo Jase Hotels & Resorts.

Para começar, Rudi Azevedo detalhou a sua trajetória na hotelaria em diversas redes de renome. “Participei de aberturas de diversos empreendimentos de sete redes hoteleiras na Espanha e em Portugal, com experiência em vendas e revenue management. Fiz especializações em Paris e no fundo tudo isto culminou na criação da RM Academy. Trabalhei em várias cidades e países, divulgando o revenue management. Tenho contribuído, creio, para que o setor conheça mais sobre RM em todos os destinos nos quais atuo”.

Publicidade
Retomada do turismo

Geraldo quis saber qual foi a sua motivação para a criação da RM Academy. “Tenho esse percurso de 16 anos em hotelaria e iniciei em RM no ano de 2009, 2010. Ao cursar as especializações, percebi a carência do setor pelo conhecimento, inclusive em Portugal. Ministro aulas de RM e distribuição hoteleira e senti que meus alunos queriam saber mais sobre o tema”, explicou. “Inteligência artificial é útil em todas as áreas da vida, mas a prova de que é importante a interação humana veio na pandemia. É fundamental. O fato de dar aulas e ter uma especialização me fez perceber que era uma falha não existir uma academia de treinamento em RM. Temos formadores que estão na Six Senses, no InterContinental em Madri; na Califórnia (Estados Unidos); e em outros locais”, complementou Rudi.

Retomada no mercado português

O mediador perguntou a seguir sobre a retomada do setor em Portugal. “Todo o interior do país, por ser mais remoto, está com performances semelhantes a 2019. Os preços médios tem subido muito e o mercado interno está aquecido. Em agosto está esgotado. O sul de Portugal está com resultados bastante negativos. Claro que há muitos hotéis que ainda estão fechados e não devem abrir este ano. Estamos no mês de agosto, período de férias com Lisboa e Porto com ocupação entre 10% e 15% (lazer). Está bem difícil. As ocupações estão entre 10% e 15%. A maioria dos hotéis em Lisboa e Porto anda na média de 20% no lazer. O corporativo deve recomeçar em setembro e não sabemos ainda como será. Nossa expectativa é de que ele recomece com força. Nosso desejo é de que tudo melhore após o mês de setembro. Se houver vacina, teremos 2021 de plena recuperação”, analisou o profissional.

Publicidade
Harus

Paridade de preços

Vinicius Geraldo quis então saber sobre a questão da paridade de preços. Existe paridade em promoção? “Sou polêmico em relação a paridade, sou oposto a ela. Costumo expressar essa opinião em todas as palestras. Explico: os hoteleiros estão sempre em luta para obter a paridade de preços que é impossível alcançar. Temos o B2B, o B2C, o Google com o metasearch, entre outros obstáculos nesse cenário. Acho que temos de trabalhar de forma livre. Temos de definir o preço que queremos para cada canal. Cada canal tem produções diferentes, comissões diferentes. Eles dão rentabilidades e oferecem alcances diferentes”, explicou Rudi. “Durante a pandemia em dois hotéis que gerimos, fechamos vendas a alguns canais on-line e as pessoas diziam: ‘está maluco?’. No entanto, nosso booking engine passou de 20% de receita para uma média de 40% em dois meses. Fizemos tudo direto, com metasearch direto e com estratégia de re-targeting para canal próprio. É isso que se tem de fazer”, complementou.

Google

Rudi recomendou: “Escreva o nome de seu hotel no Google. Se ele não estiver nas dez primeiras recomendações, vocês devem fazer algo sobre isso. Isso vai significar um investimento que aparecerá para você no final do ano. No entanto deve-se manter o foco no trabalho com o cliente direto, ao próprio website, a própria marca. E é isso que fazemos na RM Academy”.

Publicidade
RAP Engenharia

 

Vinicius Geraldo, da HS Latam é idealizador do evento e fez o bate papo com Rudi Azevedo 

Geraldo indagou sobre a evolução da procura no período de pandemia. “Em março, quando começou a pandemia, a RM Academy escreveu um artigo com previsão de cerca de 55% a 65% de queda no final do ano. Também em outro artigo, recomendamos que os hoteleiros não baixassem seus preços. Porque o mercado não iria movimentar-se pelo preço e sim pela segurança. Todos querem se sentir seguros. O hoteleiro deve evitar tarifas reembolsáveis e sim permitir cancelamentos até 18h00 do dia da chegada e 24h nos outros canais. Temos de ser muito claros com as políticas de segurança nos websites. Isso tudo não está relacionado a preço, perceba. Outro ponto é fazer com que os hóspedes saibam que os colaboradores também estão bem informados”, afirmou o convidado.

Segundo o especialista, hotéis que não abaixaram preços na pandemia e investiram em comunicação e protocolos de segurança estão mais propensos a um desempenho positivo (Foto: Pixabay/geralt)

Exemplos concretos

De acordo com Rudi, um hotel cliente da RM Academy, apesar da alta do preço de 15% está faturando mais do que no ano de 2019 e isso se deve a campanha de comunicação e protocolos de segurança não apenas do próprio empreendimento, mas do destino onde o hotel está inserido. “Quem conseguiu segurar a vontade de baixar preços está faturando mais e isso é atestado pelo mercado em Portugal”, ressaltou Rudi. “Nem todos os hotéis conseguem baixar preços como os hotéis independentes conseguem. O que fazem são benefícios por meio de planos de fidelização e outros. A fidelização é uma das áreas mais importantes de um hotel e onde ainda há muito para se fazer”, concluiu.

Publicidade
APP da Revista Hoteis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image
Reload Image

CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA