Publicidade
FOHB

Delta Air Lines se une a ONG no combate a emissão de carbono

O Dia e horário dessa postagem está no final, assim como nome do autor. O tempo estimado de leitura é de 1 minuto

Para impulsionar a aviação rumo a um novo capítulo, a Delta está se juntando à Força-Tarefa da Aviação pelo Clima (Aviation Climate Taskforce, ou ACT na sigla em inglês), uma nova organização sem fins lucrativos fundada para combater as emissões de dióxido de carbono no setor aéreo, com o objetivo de acelerar os avanços em tecnologias emergentes de descarbonização em 10 anos ou mais.

Publicidade
Tramontina

A ACT reúne líderes de companhias aéreas globais em parceria com o Boston Consulting Group (BCG) para impulsionar a inovação tecnológica e acelerar o curso das pesquisas e do desenvolvimento de tecnologias emergentes. A organização terá como objetivo apoiar o avanço dessas tecnologias por meio de dois pilares principais: uma Rede de Inovação e um Fórum de Colaboração. Por meio da Rede de Inovação, a ACT acelerará os avanços em tecnologias emergentes. Ela mapeará a vasta quantidade de pesquisas em todo o ecossistema e identificará oportunidades de colaboração para desenvolver essas ações. A organização irá então fornecer financiamento para incentivar a cooperação e utilizar o alcance e a experiência das plataformas para enfrentar as barreiras mais importantes sob novos ângulos. O Fórum de Colaboração da ACT identificará outras maneiras de reduzir as emissões de carbono, agilizando a adoção e a ampliação de tecnologias de última geração. A entidade se envolverá com especialistas, ativistas, legisladores e líderes formadores de opinião para facilitar a implantação de tecnologias inovadoras.

Publicidade
Clima ao Vivo

Segundo Amelia DeLuca, Diretora Geral de Sustentabilidade da Delta,  essas coalizões são importantes, reunindo recursos e financiamento para definir o próximo capítulo da aviação sustentável.  “Ainda estamos muito longe de soluções reais e em escala ​​para que as viagens aéreas sejam limpas. Precisamos que o SAF (sigla em inglês para combustível de aviação sustentável) seja tão acessível quanto o querosene e novas tecnologias para o motor (das aeronaves) cheguem ao mercado exponencialmente mais rápido se quisermos atender às metas do setor”, disse a executiva.

Publicidade
Revista Hotéis – Instagram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image
Reload Image

CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA