HOME Matérias CEO da Fera Hotéis é homenageado pelo Ministério da Cultura

CEO da Fera Hotéis é homenageado pelo Ministério da Cultura

52
0
SHARE
Antonio Mazzafera recebe medalha de Comendador

A reativação de prédios emblemáticos no Centro Histórico de Salvador (BA) e a colaboração para o reaquecimento da economia do maior conjunto arquitetônico colonial das Américas foram os motivos que levaram o Ministério da Cultura a homenagear o empresário mineiro Antonio Mazzafera, CEO da Fera Hotéis e coordenador de outros empreendimentos na região. A cerimônia contou com as presenças do Presidente da República, Michel Temer, do Ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, entre outras autoridades, e aconteceu na noite desta quarta-feira (28), no Palácio do Planalto, em Brasília (DF).

Mazzafera recebeu a Ordem do Mérito Cultural, na classe Comendador, a maior honraria pública da Cultura, criada pelo Governo Federal em 1995 como forma de homenagear pessoas, grupos artísticos ou instituições por suas contribuições à cultura brasileira.

Símbolo da época de ouro da Rua Chile, a primeira Rua do Brasil, o Fera Palace Hotel estava em estágio avançado de degradação e fechado há 12 anos quando foi adquirido por Mazzafera. Para a sua reabertura no ano passado, o edifício de 1934 construído em estilo Art Déco foi completamente restaurado, conservando suas características históricas. A fachada com 3.500 m² de detalhes possui mais de 650 janelas e 230 adornos Art Déco.

Inspirado no Flatiron Building de Nova Iorque, todo o material foi trazido da França e Inglaterra para fazer o hotel mais luxuoso do Nordeste na época. Entre os hóspedes ilustres que já passaram por lá, estão Grande Otelo, Pablo Neruda, Carmen Miranda, Orson Wells. Após a sua reabertura, recebeu o Prêmio Nobel Malala, Chico Buarque, Marisa Monte e atores da novela Segundo Sol, como Chay Suedde e Giovanna Antonelli.

Além de conservar todo o material histórico, o Fera Palace agregou ainda mais cultura e informação depois de reaberto – Foto: Xico Diniz

Parte da história da Bahia, o Fera está presente também nas obras de Jorge Amado, como no livro Dona Flor e Seus Dois Maridos. “O Palace é um ícone em Salvador, com uma história e arquitetura emblemáticas e não podíamos deixar isso acabar. Fico muito feliz com esse reconhecimento por parte do Ministério da Cultura porque o nosso trabalho no Centro Histórico de Salvador é feito com muito amor à história, cultura e arquitetura. Além de turistas, o Fera está trazendo o baiano de volta ao centro, seja para almoçar, participar de eventos corporativos e sociais ou se hospedar, o que é muito positivo para a revitalização da área”, comentou Mazzafera.

Além de conservar todo o material histórico, o Fera Palace agregou ainda mais cultura e informação depois de reaberto. As áreas sociais e quartos foram decorados com fotografias do baiano Akira Cravo e esculturas da Artista Plástica também baiana, Nádia Taquari.

Segundo Mazzafera, o propósito do seu trabalho é que o Centro Histórico de Salvador volte a ser frequentado pelos soteropolitanos. “Minha ideia de investir nessa região de Salvador surgiu quando vi no exterior a população local resgatando áreas centrais e históricas de suas cidades, que estavam abandonadas, e pensei que poderíamos realizar o mesmo. Para isso, precisamos frequentar e ter orgulho do nosso Centro Histórico”, finalizou o CEO.