Publicidade
SPCVB

Pesquisa ABIH-SP mede desempenho da hotelaria em agosto

O Dia e horário dessa postagem está no final, assim como nome do autor. O tempo estimado de leitura é de 3 minutos

Dados da 14ª edição da sondagem, referente ao mês de agosto/21, mostram que houve retorno dos hotéis de 14 MRTs do Estado. Isso compreende 554 municípios; 148.004 Uhs de oferta total. Foram consideradas 101.387 Uhs (68,50%) dos municípios que responderam à pesquisa, que ainda contou com 128 hotéis e 14.051 Unidades Habitacionais. Foram considerados para o cálculo de taxa de ocupação, diária média e RevPar somente os hotéis abertos e em operação.

Publicidade
Altenburg

Cabe reiterar que os dados comparados cotejam igual período de 2021 e 2019. Critério busca evitar distorções, uma vez que os números de 2020 foram comprometidos pelos efeitos severos da pandemia COVID-19.

Os três principais indicadores do mês de agosto/21

1 – Taxa de ocupação do Estado: 41,08%. Indicador manteve a tendência de variação negativa, com -40,48% em relação a agosto/19.

2 – Diária média do Estado: R$ 235,80. Manteve-se a tendência de variação negativa, com -25,36% em relação a agosto/19.

3 – RevPar do Estado: R$ 96,87. Mantida a tendência de variação negativa, com -56,25% em relação a agosto/19.

Ratificação: as comparações foram feitas com o mesmo período de 2019, na pré-pandemia. Em 2020, a pandemia afetou os números e, no caso, distorce os dados comparativos.

Hotéis abertos

A pesquisa demonstrou que no mês de agosto/21, o número de hotéis abertos recuou. Passou para 98,33% do total pesquisado, contra 100% em julho/21. Em agosto/21, os hotéis em operação mantiveram, ainda, 11,84% de suas Uhs fechadas. Isso significa manutenção da estabilidade dos indicados em relação a julho/21. (dado de jul/21, 11,21% Uhs fechadas).

Pesquisa ABIH-SP mede desempenho da hotelaria em agosto

Fonte – ABIH- SP

Funcionários/Uhs

Em agosto/21, a relação funcionários/Uhs permaneceu exatamente no fator 0,33 func/UH em relação a julho/21. Dado aponta ligeira recuperação nos postos de trabalho. Porém, o índice de demissões indica aproximadamente -45,00%, se comparando com o início desta série histórica.

Sinais positivos

Em agosto/2, as variações positivas superaram as negativas nos resultados de Ocupação e Diária Média das MRTs pesquisadas. No entanto, muito aquém do ideal. As MRTs de maior peso de ponderação apresentaram retração, levando os indicadores à queda em relação ao mês anterior. As MRTs com apelo corporativo seguem em processo lento de recuperação. Mas já apresentaram sinais de melhoria, sinalizando para um processo de retomada. Com a abertura dos centros de convenções e retomada das feiras e eventos, espera-se uma gradativa retomada das MRTs de apelo corporativo. Leve-se em conta, todavia, que o home office ainda influi na diminuição de fluxo de passageiros e afeta, diretamente, a velocidade desta recuperação.

Publicidade
Simmons

Pesquisa independente

Sondagem adotou alguns comparativos com dados de outras entidades, para melhor ratificar as análises. As entidades de referência e comparação foram as seguintes: InFOHB; Observatório do Turismo de São Paulo; Visite Campinas; ACE Ilhabela, Caraguatatuba e São Sebastião; dentre outras.

Índice de Desempenho – Taxa de Ocupação

A taxa de ocupação acumulada do Estado ficou em 41,08%, com variação de -40,48% em relação a agosto/19. Repete-se o resultado, pelo segundo mês consecutivo, de maior taxa de ocupação apurada desde o início da série. Em agosto/21, as MRTs apresentaram variação mesclada em relação a julho/21. De novo, destaque para a Capital Paulista, com pequena retração. Entretanto, a Capital Expandida apresentou desempenho melhor. As regiões de interior do Estado exibiram resultados mais positivos, enquanto que no Sudoeste Paulista foi registrada a maior retração. Com a liberação dos eventos, feiras e demais atividades a tendência será de aumento da velocidade de retomada.

Pesquisa ABIH-SP mede desempenho da hotelaria em agosto

Fonte – ABIH – SP

Índice de Desempenho – Diária Média

A Diária Média acumulada do Estado foi de R$ 235,80. Número aponta uma variação de -25,36% em relação a agosto/19. Em agosto/21, em relação a julho/21, houve – 6,90% de retração. Várias MRTs apresentaram variação negativa. Destaque para a MRT Alta Mogiana e Vale do Paraíba – Serras, com o maior índice negativo. E o Sudoeste Paulista e Vale do Ribeira, com a maior variação positiva.

Índice de Desempenho – RevPar

A RevPar acumulada do Estado foi de R$ 96,87. Ou seja: uma variação de -56,25% em relação a agosto/19. Em agosto/21, somente as MRTs Centro-Oeste, Terra do Sol, Capital Expandida e Vale do Ribeira apresentaram variação positiva em relação a julho/21. As demais revelaram variação negativa.

Publicidade
Engie

Principais Fontes da Pesquisa

Respostas da Hotelaria – Formulário de Pesquisa ABIH-SP. Amostragem: Levantamento e Mapeamento – Pesquisa UAMTOUR; • Cadastur; • Receita Federal – CNAE; • Embratur; Comparativos de Dados: • Observatório do Turismo; • Visite Campinas; • InFOHB; • Atibaia e Região; • ACE – Ilha Bela; • CIET – Centro de Inteligência Econômica do Turismo – SETUR.

Créditos da Pesquisa ABIH-SP

Ricardo Roman Jr. – Presidente ABIH-SP e idealizador do projeto.

Gláucia Sangiovanni Paiva – Gerente Operacional – responsável pela pesquisa e captação de dados.

Roberto Gracioso – Conselho Fiscal, coordenador e responsável pelo desenvolvimento do projeto.

Publicidade
APP da Revista Hoteis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image
Reload Image
CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA