HOME Matérias O crescimento do visto brasileiro: uma ascensão no mercado de turismo

O crescimento do visto brasileiro: uma ascensão no mercado de turismo

36
0
SHARE
Paulo Rezende: "o número crescente de destinos brasileiros com voos diretos do exterior também faz parte das iniciativas para trazer mais turistas para o país"

Artigo de Paulo Rezende, Diretor Comercial da Amadeus Brasil

Desde janeiro de 2018, os turistas do Canadá, do Japão, da Austrália e dos Estados Unidos podem vir ao Brasil de forma muito mais rápida e fácil em virtude do programa eVisa, um processo de emissão de visto eletrônico do Ministério das Relações Exteriores do Brasil. E parece que esses turistas já estão aproveitando as facilidades do programa. De acordo com dados do Ministério, o número de concessões de visto subiu 49% no início de 2018 em comparação com o mesmo período do ano passado.

Esse processo pode não parecer muito empolgante ou problemático, mas representa um novo mundo de possibilidades para o turismo brasileiro. Em primeiro lugar, os vistos podem ser obtidos em menos de 72 horas por meio do programa. A facilidade do processo é sem precedentes quando se trata de permissões de visita, e essa iniciativa sozinha já representa alterações e progresso nessa frente. Todo o processo também pode ser realizado on-line, e a matemática é muito simples: com menos burocracia, mais turistas serão capazes de desfrutar de todos os destinos no Brasil. Agora mesmo, mais de 95% dos vistos expedidos para australianos em 2018 foram por meio do programa eVisa.

Embora haja muito espaço para crescer neste aspecto, um processo de visto mais rápido e simples pode ser uma característica muito atraente para os turistas que estão à procura de um lugar para passar as suas férias. Um aumento dos vistos significa que mais turistas estão visitando o Brasil e injetando dinheiro na nossa economia, gerando empregos e renda para os brasileiros direta e indiretamente ligados à indústria do turismo. Vinculada a essa tendência, está a expansão de rotas internacionais para destinos brasileiros, algo que beneficia não só os visitantes dos EUA, do Canadá, do Japão e da Austrália, mas todo mundo que deseja colocar os pés em solo brasileiro.

O número crescente de destinos brasileiros com voos diretos do exterior também faz parte das iniciativas para trazer mais turistas para o país. Por exemplo, desde 2017, o Rio tem uma rota de voo sem escala de Orlando, Flórida, EUA. Natal, capital do estado do Rio Grande do Norte, está estudando agora a possibilidade de ter voos diretos para Oslo, na Noruega e Estocolmo, na Suécia. Por outro lado, já está confirmado que a empresa holandesa Corendon terá dois voos semanais de Amsterdã para Natal no próximo ano, com uma estimativa de US$ 7,9 milhões gerados com a nova rota de voo.

Dito isto, é importante destacar que medidas simples, tais como a simplificação do processo de visto, podem trazer muitos benefícios para a indústria e o cenário do turismo brasileiro nunca pareceu tão promissor.