HOME Matérias Opinião Eficiência Gerencial – O saber contratar

Eficiência Gerencial – O saber contratar

47
0
SHARE
Mario Cezar Nogales: "conhecimentos aqui apresentados não são apenas tecnicidades, mas sim vivência e experiência no ramo hoteleiro pelos quais eu passei" Foto: Yara Pezeta

*Mario Cezar Nogales
Desde os primórdios da Ciência chamada Administração de Empresas que, comparada com outros ramos da ciência é relativamente nova, uma das características da eficiência e eficácia gerencial sempre foi o de saber contratar.

O saber colocar a pessoa certa na posição correta pode até ser chamado de um “dom” da pessoa que administra o negócio em si, alguns as tem naturalmente e outros não, contudo e para aqueles que não possuem este “dom” naturalmente é possível aprender o “como” contratar a pessoa certa para a posição que está em aberto, afinal de contas a afirmativa: “equipes boas tem um líder bom” é um fato e é impossível ter uma equipe boa com um líder ruim ou ter uma equipe ruim com um líder bom, simplesmente não faz sentido.

A eficiência e eficácia na contratação é tão importante que até mesmo os romanos determinavam as funções de seus militares de acordo com o signo que tinham, um exemplo era de que nenhum soldado era colocado nesta posição se não fosse dos signos de leão, touro ou escorpião. Avançando no tempo, nos primórdios da administração de empresas, o engenheiro mecânico Frederick Winslow Taylor, considerado o pai da administração de empresas em sua obra “O princípio do gerenciamento cientifico” de 1911 também coloca que contratar a pessoa certa para a função é uma necessidade latente e por isso mesmo indicava a contratação afrodescendentes para instalar as barras de ferro das vias férreas e chineses para pregá-los no lugar exato devido as características físicas destas pessoas.

Com o avanço desta ciência conseguimos hoje estudos na área de psicologia ligadas a este princípio “a pessoa certa para a função correta” que podem ser amplamente aplicados no momento da contratação de um novo colaborador, aí vão algumas dicas:

Conhecer de fato a função

Se quiser contratar corretamente, deve-se conhecer a fundo a função pelo qual estará contratando, só assim você poderá saber as necessidades e características do colaborador a ser contratado, não é à toa que técnicos de futebol foram necessariamente jogadores, mesmo que maus jogadores.

Camareiras, Arrumadores, Faxineiros (as)

Haja visto que é uma das funções mais importantes dentro do negócio hoteleiro, manter uma excelente equipe de camareiras é primordial, primeiro porque sem esta equipe não há hotel que se sustente e segundo porque estas pessoas entram na intimidade de cada hóspede, logo precisamos ponderar o seguinte:

  1. Precisam ser pessoas que fisicamente sejam fortes, afinal se cada lençol pesa 500gr e estes terão de arrumar pelo menos 16 UH’s, serão 32 levantamentos de peso de 500gr por dia de trabalho, isto somente considerando lençóis e uma cama por quarto.
  2. Necessariamente estas pessoas devem ser detalhistas uma vez que há pelo menos vinte pontos de observação na arrumação e limpeza de uma UH e nenhum deles pode passar despercebido.
  3. Confiabilidade é outro fator necessário, contudo, confiança é algo que se adquire com o tempo e neste ponto que pode ser quase subjetivo há pontos a ponderar como tempo de trabalho em outras empresas e convivência familiar (são indicativos).

Recepcionistas, Garçons, Mensageiros (as), Manobristas

Estas equipes que podemos considera-las de apoio já que podem ser substituídos por máquinas e a depender da categoria de seu hotel ter pessoas neste serviço acaba sendo indispensável, afinal de contas pessoas querem interagir com pessoas, logo e por este princípio para estas funções os candidatos devem possuir as seguintes características:

  1. Saber falar corretamente o idioma (e se for o caso idiomas estrangeiros) e compreender as diferentes facetas do português brasileiro que varia de acordo com a região e do português de Portugal, logo precisa necessariamente ser uma pessoa que goste de ler e interagir com outras pessoas.
  2. Saber ouvir e ter paciência é uma necessidade, afinal de contas as pessoas nestas funções podem exercer outra que é o de fazer o papel de um amigo confidente, afinal há vários hóspedes que por estarem longe de seus lares acabam tendo a necessidade de conversar por longas horas.
  3. Ter ampla e variedade de conhecimento, ou seja, estar sempre “antenado” com o que acontece e não apenas localmente; devido a característica anterior, este colaborador necessitará saber a que o hóspede está se referindo durante uma conversa e nada pior do que uma pessoa alienada ao assunto pois nunca saberá interagir numa conversação.
  4. Honestidade é um fator ponderante, da mesma forma que confiabilidade se adquire com o tempo, honestidade não é apenas um fator de “não roubar”, ser honesto consigo mesmo e demonstrar isto durante uma interação com outras pessoas é de suma importância, hóspedes sabem quando um recepcionista está atuando ou não.

Quantidade de entrevistas

Não seja econômico com relação a entrevistas, quanto mais puderem ser, melhor; contudo indico pelo menos três, uma com o contato inicial, outra com o chefe do setor e a última uma sabatina com pelo menos quatro integrantes do hotel que são: alguém na mesma função que o candidato será contratado, com supervisor ou chefe de outro setor, novamente com o chefe do setor e com o gerente da unidade, assim e com visões diferentes poderá ser tomada a decisão correta.

Turn Over

Hotéis com turn over alto nunca poderão ter excelentes resultados e isto demonstra a eficácia na contratação de colaboradores, lembre-se de que o custo (que não apenas é financeiro) é bastante alto quando se trata de contatar novos colaboradores para posições existentes.

Mescla de Gêneros

Comprovadamente a mais eficiente das equipes já que quando você tem uma equipe onde os integrantes sejam apenas de um gênero a eficiência e eficácia desta se torna baixo devido aos problemas de relacionamento interpessoal, afinal de contas estes não estão aquartelados e nem são militares doutrinados a seguirem apenas ordens mesmo que a equipe seja composta por dois integrantes vale apena mesclar os gêneros.

Estas foram algumas dicas, mas não se esqueçam que para compreender tudo isto de forma inteligente se faz necessário partir para ação e ter conhecimento técnico, com isto, não deixem de ler “The Principles of Scientific Management” de Frederick Winslow Taylor.

* Mario Cezar Nogales é Consultor em hotelaria e autor de cinco livros para o setor – Contato mario@snhotelaria.com.br

SHARE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here


CAPTCHA Image
Reload Image