HOME Matérias Aconteceu Valorização e crescimento das equipes são debatidas na 7ª edição do Top...

Valorização e crescimento das equipes são debatidas na 7ª edição do Top Seller Event

32
0
SHARE
Esteban Arce, head da RCI para a América do Sul foi o moderador desse painel

Direto de Natal (RN) – Esteban Arce, head da RCI para a América do Sul foi o moderador desse painel que terminou agora a pouco. Ele faz parte da programação da 7ª edição do Top Seller Event que é promovido pela RCI Brasil, até amanhã no centro de eventos do Wish Resort Natal by GJP. Os painelistas foram: Adriana Chaud, Sócia da Tudo Consultoria, César Mor, Gerente de vendas regional Gramado da Prime Vacation; Léo Mizoe, Diretor de planejamento estratégico e recursos humanos do GR Group e Sérgio Falquer, Sócio Diretor da Case Consultoria.

Adriana Chaud: “Atingir as metas faz as equipes se tornarem mais fortes”

Adriana começou a palestra dizendo que engajamento é muito importante para um profissional atingir as metas e isso faz as equipes se tornarem mais fortes. Sérgio disse que quando se faz a capacitação dos colaboradores e insere a motivação, o engajamento é um resultado. “Quanto mais se treina, mais se consegue resultados e consequentemente atrai mais investidores, mas esse caminho deve estar bem desenhado”, lembrou Falquer.

Escolha correta é fundamental

César Mor destacou que gratidão ao trabalho que faz deve ser algo muito inerente ao profissional para que ele empenhe mais forças para atingir os objetivos. Já Leo Mizoe disse que a escolha incorreta no processo seletivo desencadeia todos os problemas de performance da equipe. “A alta performance em si não funciona. Ela deve estar ligada num tripé inovação, alta performance e remuneração que devem andar juntas. Devemos dar autonomia com responsabilidade, incentivar ao crescimento dos profissionais e fazê-los entender a importância de seu trabalho nos resultados da empresa”, enfatizou Mizoe.

Léo Mizoe: “A alta performance em si não funciona. Ela deve estar ligada num tripé inovação, alta performance e remuneração que devem andar juntas”

Os costumes e valores de uma empresa devem ser avaliados na opinião de Sérgio Falquer antes dele procurar uma nova oportunidade no mercado. “Cada empresa trabalha de uma maneira diferente e muitos profissionais não respeitam e não entendem esses valores e culturas e acabam não se saindo bem”, lembrou Falquer.

Valores e cultura

Adriana disse que é de fundamental importância uma empresa identificar nos profissionais que contratam seus valores e cultura, pois isso impacta de forma direta na performance e nos resultados. “Hoje prefiro escolher os investidores que tem valores alinhados aos nossos e que são repassados aos nossos colaboradores. Temos a cultura de uma recontratação, mas duas não tem condições e deixo o mercado livre”, disse Adriana.

Mizoe lembrou que na linha de montagem da Toyota, ao contrário de muitas outras montadoras, não existe um departamento de controle na qualidade de produção. “Cada colaborador sabe exatamente que ele tem de dar o máximo de si para alcançar os resultados. Numa cultura forte as decisões são rápidas e acaba as burocracias, pois todos possuem consciência dos deveres. Devemos fazer de nossa equipe o maior diferencial”, assegurou Mizoe.

Geração consciente

Ele lembrou que hoje em dia é necessário as empresas compreenderem a cultura das novas gerações que não discriminam, possuem muita consciência ecológica, responsabilidade social, altamente tecnológicas e rompe com valores tradicionais”. Falquer disse que a indústria do tempo compartilhado sempre foi inovadora e fica mais fácil compreender os novos valores que estão surgindo com as novas gerações. “Devemos ter um equilíbrio, estar antenado e impulsionar os novos talentos”. Cesar Mor disse que uma estratégia que a empresa faz é amarrar seus valores e DNA aos de colaboradores de forma constante, pois isso assegura uma melhor performance.

Cesar Mor: “A empresa deve é amarrar seus valores e DNA aos de colaboradores de forma constante”

Adriana disse que a geração dos millenials são pouco ouvidas, mas na sua empresa existe o lema do fale que eu te escuto. “Nada substitui a simpatia, ouvir deve ser uma constante”.  Falquer deixou uma lição: “Nunca pare de estudar, o conhecimento deve ser uma constante, pois quanto mais se estuda, mais vale a pena”. Já Mizoe, disse que na sua época de jovem, só tinha chefe, mas não líderes. “Devemos estar abertos para aprender todo dia. A geração atual sabe mexer bem a tecnologia, que é uma grande ferramenta de aprendizado e humildade deve ser uma constante na vida de cada um”, concluiu Mizoe o painel.

A reportagem da Revista Hotéis viaja a Natal (RN) e se hospeda no Wish Resort by GJP graças à parceria com a RCI Brasil de cobertura desse evento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here


CAPTCHA Image
Reload Image