Publicidade
FOHB

Startup que conecta viajantes recebe aporte de 1 milhão de reais

O Dia e horário dessa postagem está no final, assim como nome do autor. O tempo estimado de leitura é de 1 minuto

O Pinguim , comunidade de viajantes focada em criar experiências únicas de viagens, capta 1 milhão de reais na sua primeira rodada fechada de investimento coletivo, realizada através de uma plataforma de investimento em startups da StartSe. Com a retomada do turismo no Brasil a startup espera alcançar 9 milhões em faturamento até 2022.

Publicidade
Tramontina

Liderada por mulheres, a startup tem o comando da fundadora e CEO, Renata Franco que revela que o aporte recebido será direcionado para as áreas de tecnologia, recursos humanos e marketing. “O recurso será aplicado no desenvolvimento de soluções personalizadas para atender a necessidade de cada usuário”, comenta Renata. Uma pesquisa do Booking.com aponta que 38% dos turistas viajam sozinhos, embora alguns casos sejam por opção, muitos desistem de viajar por falta de companhia. O aplicativo desenvolvido pela startup utiliza tecnologia para unir pessoas e destinos de acordo com o perfil e preferências dos usuários. Além disso, o Pinguim oferece aos usuários todo serviço de maneira personalizada. O app conta com diversas ofertas de viagens, sendo possível comprar pacotes pelo aplicativo. Disponível nos sistemas Android e IOS, o app oferece, ainda, os melhores roteiros para viajar.

Publicidade
Faitec

A travel tech atua como uma matchmaking de pessoas, além de marketplace de produtos e serviços de viagens. Atualmente a plataforma possui mais de 50 mil usuários e parcerias com operadores, hotéis e agências para oferta de pacotes de viagens. A plataforma já integra em seu app cerca de 38 empresas parceiras, entre elas: Assist Card, Hotel Urbano, iFriend, Movida e Stella Barros Turismo.

Publicidade
Soluções 1

O Pinguim identificou em sua comunidade, que a maioria dos viajantes aproveitam suas experiências turísticas em três momentos: no planejamento, quando o turista começa a pesquisar destinos e definir o roteiro; na viagem em si ao tornar os planos em uma experiência real e, por fim, na organização das memórias, que incluem fotos, pessoas e lugares. Estes três fatores apontados pela comunidade, permitiu que, mesmo com as restrições impostas pela pandemia, o desejo de viajar se mantivesse.

Publicidade
Harus 1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image
Reload Image

CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA