Publicidade
Simmons

Qualidade do ar condicionado será determinante na retomada hoteleira

O Dia e horário dessa postagem está no final, assim como nome do autor. O tempo estimado de leitura é de 14 minutos

Estudos comprovam que a transmissão do novo coronavírus também pode circular por caminhos mais longos através das correntes de ar dos sistemas de ventilação

A pandemia da COVID-19 mostrou ao mundo que nenhum país é uma ilha isolada e que todos fazem parte de uma aldeia global em que o problema de um pode repercutir nos demais. E gestos e atitudes que foram esquecidas no passado voltaram a ser lembradas numa preocupação constante, como lavar as mãos várias vezes ao dia. Com isso, a preocupação com a limpeza frequente de qualquer ambiente também se tornou uma obsessão e a purificação do ar que respiramos em ambientes internos uma preocupação.

Segundo uma pesquisa do Centro de Controle de Doenças de Guangzhou e pela Universidade de Hong Kong, na China, a transmissão do novo coronavírus também pode circular por caminhos mais longos através das correntes de ar dos sistemas de ventilação. Por conta disso, a qualidade do ar deve ser tratada com cuidados nessa retomada das operações hoteleiras.

A renovação do ar é regulamentada pela Norma Brasileira NBR 16401-3, exigindo a ventilação e circulação do ar, além da diluição do ar no interior do ambiente, evitando a concentração de poluentes nocivos à saúde, o que pode gerar dores de cabeça e fraqueza. Leandro Solarenco, engenheiro, especialista em projetos e master coach, CEO da Vetor Frio & Clima, empresa especializada em negócios que precisam de temperatura sob controle, esclarece as medidas da ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária sobre a renovação do ar. “Esta resolução indica que o empreendimento tem de controlar, entre outras, a concentração de CO2 e as micro aspersões no ar, que é o nível de gás carbônico e o de micropartículas. E existem limites para ambos. Para conseguir atingir os níveis que a resolução determina, o empreendimento precisa fazer a renovação do ar, que consiste em captar ar externo, filtrá-lo e distribuir no ambiente climatizado, e os sistemas de filtragens. Portanto, é preciso fazer uma manutenção periódica dos equipamentos, conforme determina o PMOC – Plano de Manutenção Operação e Controle, determinado pela lei 13589 de 2018”, diz.

Publicidade
Gazin

 

Ele destaca que a boa qualidade do ar e as soluções de renovação também podem trazer ganhos financeiros. “Isso acontece porque quando um sistema de ventilação funciona sem o processo de automação para renovação de ar, o equipamento absorve mais ar quente externo do que o necessário e, por consequência, trabalha mais para manter a temperatura do ambiente adequada. Isso pode levar a um aumento de 20% na quantidade de trabalho das máquinas, elevando o custo com energia, aumento de manutenção e redução da vida útil do equipamento”, avalia Solarenco.

Qualidade do ar condicionado será determinante na retomada hoteleira

A nossa atmosfera filtra a maior parte da radiação que o sol emite, permitindo a vida na Terra (Foto: fietzfotos / Pixabay)

Como os hotéis devem agir?

É claro que todos os hotéis buscam oferecer a melhor qualidade do ar para satisfazer seus clientes. Mas com tudo que estamos vivendo, isso vai além. Além de agradar, os empreendimentos precisam oferecer uma segurança para os clientes no pós Coronavírus. “Primeiro, garantir para seu cliente que você se preocupa com ele e que está atento às boas práticas para que ele tenha segurança.  Segundo, que o hotel reduz o risco de contaminação, principalmente em áreas comuns, como as do café da manhã ou o lobby, por exemplo, que sempre têm uma quantidade maior de pessoas juntas. Portanto, o hotel tem de ter todo o cuidado possível na renovação do ar, deve fazer um trabalho preventivo também, antes da reabertura do empreendimento como um todo. Importante ressaltar aqui é que o ar condicionado não é remédio nem vacina, ou seja, o ar condicionado não pode ser usado como garantia de não contaminação, apesar de ser um agente de contaminação se não utilizado adequadamente e que pode potencializar a contaminação. Portanto, se as boas práticas de controle de qualidade de ar não forem consideradas adequadamente, podem aumentar o risco de contaminação, uma vez que já foi provado que a COVID-19 se dissemina pelo ar por meio de micro gotículas. Portanto, o hotel precisa ter um sistema de filtragem, renovação de ar, manutenção periódica e controle de concentração de CO2 adequados para cada ambiente, para não potencializar o problema, elevando o risco de contaminação dos clientes e dos colaboradores”, comenta Solarenco.

Qualidade do ar condicionado será determinante na retomada hoteleira

Leandro Solarenco: “A boa qualidade do ar e as soluções de renovação também podem trazer ganhos financeiros”

Para que todos os hotéis sigam as regras e normas da ANVISA, Solarenco apresenta algumas dicas nas ações das empresas. “Tecnicamente, o hotel deverá fazer uma avaliação de como está o status atual do sistema de climatização e ventilação, se ele está de acordo com as normas. Ou seja, comparar com o que tem atualmente com o ideal, como determina a norma, e gerar um plano de adequação para a reabertura. Nesta questão, entra o engenheiro responsável pelo processo, que vai indicar que o ar está apropriado.  Neste item, o hotel estando adequado pode usar em suas propagandas. Outro argumento é o monitoramento online da qualidade do ar, por meio do uso de tecnologias que garantem que o ar está adequado, portanto o hotel mostra para o mercado e para as pessoas que tem um sistema de controle adequado e é seguro se hospedar”, alerta.

Publicidade
Tramontina

 

Ações podem refletir em beneficio de custos

Com equipes e ocupações reduzidas e também uma maior demanda de segurança e amenities, equilibrar os custos é fundamental. Para isso, o especialista enumera algumas ações em que o hotel pode ter um ganho financeiro. “Vale ressaltar aqui que, atualmente, a automação está bastante avançada e trabalha com muitos sistemas sem fio, então a instalação da infraestrutura de automação hoje não é mais complexa e trabalhosa. Temos como instalar um sistema de controle com baixo custo e muito versátil. Por exemplo, é possível fazer um sistema em um hotel de médio porte em uma semana. O segundo ponto a ser ressaltado é quando se trabalha da renovação do ar sem automação pode incidir em um risco importante, que é o hotel renovar o ar quando não gastando energia além do necessário e aumentando a temperatura do local climatizado A renovação deve acontecer quando houver elevação dos níveis de dióxido de carbono provados pela respiração. O hotel tem de usar a renovação do ar para que o ar condicionado trabalhe com inteligência, elevando a eficiência do sistema. E caso o hotel não faça o processo de automação, terá um gasto excessivo, quase 20% a mais no consumo do ar puro desperdiçado. Além disso, é possível realizar automações e monitoramento online de cada ambiente, possibilitando limitar o uso de ar condicionado apenas quando assim for necessário”, explica.

Tecnologia e purificação do ar

Como grande parte dos hotéis possuem ar condicionado central e o mesmo ar circula em vários ambientes, assegurar que todos eles estejam seguros de vírus como a COVID-19 é de fundamental importância. Por isso é necessário recorrer a tecnologias para desinfectar todos os ambientes e garantir segurança para os colaboradores e hóspedes. É o que explica Diana Plazas, Diretora de vendas de Caribe e América Latina do Marriott Internacional. “A Marriott vai lançar tecnologias melhoradas nos próximos meses, incluindo pulverizadores eletrostáticos com desinfectante de grau hospitalar para desinfectar superfícies em todo o hotel. A tecnologia de pulverização eletrostática utiliza a mais elevada classificação de desinfectantes recomendada pelo CDC e pela OMS.  Os pulverizadores limpam e desinfectam rapidamente áreas inteiras e podem ser utilizados para limpar e desinfectar salas, lobbies, ginásios e outras áreas públicas”, explica. Em relação a purificação de ar, Diana comenta que os empreendimentos do Marriot já utilizam o sistema. “Os hotéis do portfólio da empresa utilizam sistemas de purificação de ar, que são eficazes contra vírus, alergênicos, esporos de bolor e outros contaminantes do ar e da superfície”, completa.

Tecnologia ultravioleta

Presente há mais de um século para higienizar hospitais, aviões, escritórios, fábricas e reservatórios de água – onde seu uso começou, a utilização da radiação ultravioleta ressurgiu como uma opção para ajudar a combater a COVID-19. Na água potável, por exemplo, ela é fundamental pois alguns parasitas são resistentes a desinfetantes químicos. Ainda não há nenhuma comprovação cientifica de que a radiação artificial UVC combata efetivamente o novo coronavírus, mas estudos apontam que obteve sucesso em destruir o SARS-CoV – identificado em 2002 como a causa de um SARS -surto de síndrome respiratória aguda grave.

A luz ultravioleta já está alinhada com os novos padrões de limpeza nos hotéis.  “Nossas unidades no Brasil estão alinhadas com os protocolos de limpeza anunciados pela Marriott Internacional, que está adotando novas tecnologias de higienização, mudanças no regime de limpeza, bem como alterações para garantir o distanciamento social recomendado. Os nossos hotéis utilizam produtos e protocolos de limpeza que são eficazes contra vírus. A empresa está testando ainda a tecnologia de luz ultravioleta para desinfectar chaves de hóspedes e dispositivos compartilhados”, esclarece Diana.

Qualidade do ar condicionado será determinante na retomada hoteleira

Diana Plazas: “Nossos hotéis já adotam sistema de purificam do setor seguro e eficazes contra a COVID-19”

Tratando-se de um investimento, Diana contou como o Marriott Internacional está tratando a utilização das tecnologias, incluindo pulverizadores eletrostáticos para garantir o que a OMS – Organização Mundial de Saúde exige. “Este é um investimento adicional necessário para implementar novos protocolos de limpeza e estamos trabalhando com nossos proprietários e parceiros da cadeia de fornecimento para gerir os custos enquanto implementamos as medidas rapidamente”, diz. “A medida que o conselho desenvolve seu trabalho, a empresa iniciou planos para implementar tecnologias melhoradas nas nossas propriedades em todo o mundo nos próximos meses, incluindo pulverizadores eletrostáticos e a mais alta classificação de desinfectantes recomendada pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças e pela Organização Mundial de Saúde para a desinfecção de superfícies em todos os hotéis”, completa.

Qualidade do ar

A Rede Tauá Hoteis & Resorts é mais uma empresa que, pensando na retomada, inovou com equipamentos e materiais para segurança dos clientes. No Tauá Aquapark Indoor, por exemplo, foi instalado nas tubulações de ar condicionado um sistema exclusivo de purificação de ar com tecnologia Photohydroionization (PHI). Já no Tauá Resort Caeté, as máquinas de ozônio para higienização dos quartos, equipamentos de pulverização para desinfecção de áreas externas também fazem parte da nova fase do Grupo.

Qualidade do ar condicionado será determinante na retomada hoteleira

Felipe Castro: “Adotamos um protocolo de higienização completa bimestral de nossos equipamentos de ar condicionado”

Essa qualidade do ar, como já foi explicada acima, passa a ser fundamental. Por isso, Felipe Castro, Diretor Operacional do Grupo Tauá, explicou as medidas tomadas para higienização. “Nós já trabalhamos na qualidade do ar seguindo as recomendações da ANVISA – Lei 13.589/2018. Devido a pandemia através da nota técnica 3/2020 da ANVISA, que recomenda a redução da periodicidade da higienização do sistema de climatização de semestral para trimestral.  A Rede Tauá Hoteis & Resorts adotou como protocolo a higienização completa bimestral dos seus equipamentos de ar condicionado”, afirma.

Para melhorar e reforçar o que vem sendo tratado nas tubulações do Hotéis, Castro explicou que a tecnologia ultravioleta vem sendo adotada. “Nos apartamentos e áreas sociais aumentamos a frequência de higienização dos equipamentos de ar condicionados. No Tauá Aquapark Indoor foi instalado nas tubulações de ar condicionado, um sistema exclusivo de purificação de ar com tecnologia Photohydroionization (PHI). O equipamento instalado, utiliza luz ultravioleta de amplo espectro e alta intensidade, direcionada a uma superfície de catalizador quad-metálico hidratado que minimiza e neutraliza poluentes do ar interno, como bactérias, vírus, fungos, gases (VOCs) e odores dando pureza ao ambiente. A tecnologia avançada de oxidação fabricada pela empresa americana RGF Environmental Group Inc foi testada e aprovada na família COVID e no H1N1”, alerta.

Máquinas de ozônio

As máquinas de ozônio, eficazes contra fungos e bactérias, são outras importantes ferramentas para complementar tudo que vem sendo feito pelo empreendimento. “Na Rede Tauá de Hotéis & Resorts utilizamos o ozônio como um complemento do processo de higienização e desinfecção dos aptos. Temos um processo rigoroso de desinfecção dos aptos que é realizado em 3 etapas: 1) retirada do enxoval e lixo por colaborador paramentado com EPIs 2) Limpeza e desinfecção dos aptos com cloreto benzalcônio e álcool 70% 3) Finalizando o processo de higienização com as máquinas de ozônio. Optamos por trabalhar com o ozônio por ser um sistema que elimina totalmente os micro-organismos patogênicos, com isto podemos garantir a desinfecção de itens que dificilmente conseguiríamos com a limpeza mecânica”, diz.

Qualidade do ar condicionado será determinante na retomada hoteleira

No Tauá Resort Caeté, serão utilizadas as máquinas de ozônio para higienização dos quartos

Além todas essas medidas, o sistema de pulverização das áreas externas, internas e transportes, está sendo utilizado. A nebulização é realizada com o produto cloreto benzalcônio, uma vez que este produto é recomendado para limpezas de superfícies de acordo com a nota técnica 26/2020 da ANVISA.

Publicidade
Harus

 

Empresas apresentam soluções

Esta nova pandemia oferece oportunidade para fornecedores mostrarem seus produtos. A Dr. Ácaro, por exemplo, é uma empresa associada à ABRALIMP -Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional, e atua no segmento de higienização e bio sanitização residencial e comercial. Referência em higienização profunda, foi criada com o objetivo de levar saúde, bem-estar e qualidade de vida aos seus clientes.

Qualidade do ar condicionado será determinante na retomada hoteleira

Fábio Santiago: “Hoje as alergias afetam cerca de 30% da população brasileira, e desse percentual, 20% são crianças”

Fábio Santiago, CEO da empresa, reforça as necessidades da garantia de boa qualidade do ar. “Hoje as alergias afetam cerca de 30% da população brasileira, e desse percentual, 20% são crianças. Além disso, estima-se que até 2050, 50% da população mundial apresente algum tipo de alergia. Os agentes que causam as alergias podem ser vários. Nas alergias respiratórias, os mais frequentes são os ácaros da poeira. Isso mostra o quanto é importante a qualidade do ar nos Hoteis, assim garantimos o bem estar dos hospedes”, diz. “A preocupação deverá ser redobrada, pois uma boa higienização do ar condicionados, colchões, carpetes e cortinas irá aumentar a segurança dos hospedes em usufruir do hotel”, completa.

O CEO comenta sobre o Método Spa, que tem como foco a saúde para alérgicos, então assim os ácaros, fungos, bactérias e vírus como a COVID-19 são combatidos no ambiente. “Desenvolvido pela Dr. Ácaro o Método Spa (Saúde para Alérgicos) é capaz de proporcionar ambientes mais saudáveis. Esse método foi criado para garantir total higienização e descontaminação no ambiente hoteleiro, eliminando e protegendo contra ácaros, fungos, bactérias e vírus como a COVID-19 por até 30 dias. Em uma época onde a ocorrência de alergias, gripes é cada vez mais corriqueira, eliminar esses agentes é imprescindível para a saúde dos hospedes, com produtos exclusivos garantimos uma ação protetora eliminando Vírus como a COVID-19, ácaros, fungos e bactérias”, finaliza.

Outra empresa que se destaca no mercado de limpeza, desinfecção e higienização de ambientes, é a Continuum Chemical que fabrica produtos químicos de grande performance e equipamentos de alta qualidade e tecnologia como os pulverizadores eletrostáticos. Eles auxiliam na aplicação garantindo a qualidade, economia e rapidez no processo com segurança. A empresa auxilia também os hotéis na elaboração dos protocolos e orientação sobre desinfecção e higienização e treinamento e capacitação das equipes. “Na questão da desinfecção, a tecnologia que trouxemos para o segmento hoteleiro e que já vem sendo utilizada com sucesso a cinco anos no segmento hospitalar, é uma solução que integra a aplicação de um produto químico chamado Desinfec Vital, com a utilização de um pulverizador eletrostático de última geração chamado Byoplanet. O produto que é fabricado no Brasil, tem características inovadoras e atende um amplo espectro de bactérias, vírus, fungos, entre outros, todos devidamente com laudo. Sua eficácia atende também todas as exigências da ANVISA e do FDA, dos Estados Unidos. Associado a isso está o Byoplanet que é um equipamento de pulverização eletrostática que permite a aplicação correta desse produto em todas as superfícies e ambientes, garantindo a ação do produto químico e ampliando a eficiência tanto da desinfecção como do ganho de tempo em termos de velocidade para a aplicação. Para a hotelaria isso com certeza agrega a garantia e segurança que os usuários dos hotéis precisam, como também a agilidade na limpeza com apenas um agente condutor do processo, que é capaz de cobrir 40 metros quadrados em um minuto de aplicação”, Maurizio Bortali, Diretor Geral de Operações.

Qualidade do ar condicionado será determinante na retomada hoteleira

O Byoplanet é um equipamento de pulverização eletrostática muito eficiente na desinfecção dos ambientes

Produto com base no PMOC

Especializada em contratos PMOC – Plano de Manutenção, Operação e Controle e projetos para climatização de ambientes splits e VRF, a Veltter atende com foco neste segmento desde 2009. A empresa trabalha com um diferencial na gestão operacional, em que tudo é monitorado pelo software, onde a equipe Veltter cadastra os equipamentos do cliente, independentemente da quantidade, registra um número para cada equipamento e tudo será feito por meio desse registro (atendimento, manutenção, custo, tempo de execução, etc.) 100% da gestão do equipamento, o cliente tem acesso e pode avaliar sempre que julgar necessário em tempo real.

Publicidade
Escola de resultados

 

O Diretor da Empresa, Alex Alves, usa a lei n.º 6.43 como importante argumento para o serviço oferecido pela empresa. “Segundo a Lei n.º 6.437, Art. 7º: O PMOC do sistema de climatização deve estar coerente com a legislação de Segurança e Medicina do Trabalho. Os procedimentos de manutenção, operação e controle dos sistemas de climatização e limpeza dos ambientes climatizados, não devem trazer riscos à saúde dos trabalhadores que os executam, nem aos ocupantes dos ambientes climatizados”, disse.

Qualidade do ar condicionado será determinante na retomada hoteleira

Alex Alves: “O PMOC não deve trazer risco para quem executa e nem para que utiliza”

Com esta linha de pensamento do Plano de Manutenção, Operação e Controle, os benefícios trazidos por elas são redução de custos de energia elétrica, precisão orçamentária, documentação de auditoria para o Ministério da Saúde e garantia de filtragem do ar do ambiente. “Podemos assegurar através do Livro PMOC e ART que os equipamentos estão nas conformidades exigida para não trazer risco a saúde dos ocupantes”, esclarece Alves.

Desinfetante para eliminar poluição do ar

A Terpenoil Tecnologia Orgânica desenvolveu um desinfetante totalmente natural, a partir de tecnologia patenteada e à base de terpenos, capaz de eliminar 99,99% dos microrganismos presentes no ar e nas superfícies e sendo eficiente até mesmo no combate ao novo Coronavírus.

A utilização do desinfetante natural, aplicado com auxílio de nebulizadores e atomizadores, reduz a carga de bactérias e fungos totais, incluindo bolores, a níveis muito satisfatórios de qualidade. Aplicações frequentes do produto têm efeito acumulativo na atividade antimicrobiana, portanto reaplicações ao longo do tempo garante uma eficácia ainda maior e mais duradoura não só contra microrganismos, mas também contra vírus.

Nos hotéis onde a completa higienização após a saída um hóspede tornou-se ainda mais um imperativo, esse método de aplicação tem uma eficácia evidente, e o uso de um produto 100% natural à base de óleos essenciais, o mais adequado. Este processo de desinfecção de superfícies e do ar é mais um método eficaz para combater a disseminação de vírus e microrganismos que deve ser associado aos processos tradicionais e recomendamos por órgãos de saúde.

Qualidade do ar condicionado será determinante na retomada hoteleira

O desinfetante foi criado através de tecnologia patenteada e à base de terpenos, capazes de eliminar 99,99% dos microrganismos presentes no ar

Publicidade
Anuncie conosco

Comments

Avatar
Leonardo Cozac

Boa abordagem da reportagem, a qualidade do ar interno é muito importante para hoteis e demais ambientes para a vida das pessoas. Apenas senti falta da posição oficial da ABRAVA – Associação Brasileira de Refrigeração e Ar Condicionado sobre o assunto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image
Reload Image
CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA