AconteceuÚltimas Notícias

IMOBTUR 2022 aborda ‘novo momento dos resorts no Brasil’

Realizado pela ADIT Brasil – Associação para o Desenvolvimento Imobiliário e Turístico do Brasil, o IMOBTUR 2022, evento que acontece nesta terça-feira, dia 29 de novembro, no Amcham Business Center, na Zona Sul da capital, encerrou agora há pouco, o painel “O novo momento dos resorts no Brasil”. Contou com a participação de Fabiana Leite, Diretora de desenvolvimento de negócios para América do Sul da RCI (na moderação); Alessandro Cunha, CEO da Aviva; Maria Carolina Pinheiro, VP Development Latin America da Wyndham Hotels & Resorts; e Lizete Ribeiro, Diretora comercial e marketing do Grupo Tauá de Hotéis.

Publicidade
Carbono Free

 

Fabiana Leite iniciou o painel agradecendo a presença dos convidados e da platéia, e pediu aos painelistas que se apresentassem e compartilhassem resumos da trajetória das empresas que representam. A seguir, Fabiana quis saber dos convidados como eles enxergam o momento no País para os resorts.

Segundo Maria Carolina Pinheiro, “Todo mundo acreditava em demanda reprimida. Diferente do segmento corporativo, os resorts estão com números muito próximos aos do período pré-pandemia. No México, por exemplo, todo mundo esperava que fosse um movimento temporário, que a frequência fosse arrefecer. Não aconteceu isso, lá já se superou os índices de pré-pandemia. O aprendizado que temos nos permite projetar crescimento e principalmente expansão em novos destinos para a Wyndham”, afirmou.

Para Lizete, “Achamos que a Black Friday este ano seria menor do que o ano anterior, mas constatamos que não houve desaceleramento. O mundo se abriu, ainda acreditamos que vai continuar crescendo. No entanto, estamos preocupados com um momento difícil para o ano que vem, que é uma incógnita ainda”.

Publicidade
Clima ao Vivo

Alessandro Cunha compartilhou: “Acho que o lazer ganhou um novo público, que não considerava o Brasil para suas férias. As famílias precisavam se reconectar e os resorts são cenários perfeitos para isso. Atribuo a isso parte do crescimento e da aceleração no pós-pandemia dentro deste nicho”.

Mesmo sendo um hotel para famílias, é preciso ter ambientes diferenciados, novas opções de gastronomia, atividades diferentes e não necessariamente mais custosas
Alessandro Cunha: “As famílias precisavam se reconectar e os resorts são cenários perfeitos para isso”
Segmentação

Para Lizete Ribeiro, “Os brasileiros estão viajando muito mais. Um estudo que nos preocupa é: 65% em média dentre todos os resorts, são de clientes repetidos. Apesar do turista estar mais atento aos destinos brasileiros, esse fato nos preocupa”, pontuou.

Maria Carolina Pinheiro opinou: “Eu acredito muito em segmentação. Mesmo sendo um hotel para famílias, é preciso ter ambientes diferenciados, novas opções de gastronomia, atividades diferentes e não necessariamente mais custosas. O A&B deve ganhar força. Resorts, empreendimentos só para adultos, tudo isso, com atividades na piscina, programação, enfim, esse nicho é uma tendência para os próximos anos aqui no Brasil.

Cunha complementou: “Não é só inovar em infraestrutura. Gastronomia, atividades, precisamos segmentar, é importante. Estamos trabalhando em um dos hotéis de Sauípe exatamente com essa visão. Nossos produtos por si só são grandes e existem mercados para todos. Acredito muito em segmentação”.

Lizete observou que o cliente está cada vez mais exigente, e essa mudança ou aperfeiçoamento do seu comportamento é algo natural, que aconteceria de qualquer jeito. “O luxo hoje é o bem-estar. A busca pela natureza, pelos spas, nunca foi tão grande como atualmente”.

O luxo hoje é o bem-estar. A busca pela natureza, pelos spas, nunca foi tão grande como atualmente
Maria Carolina Pinheiro: “Mesmo sendo um hotel para famílias, é preciso ter ambientes diferenciados, novas opções de gastronomia, atividades diferentes e não necessariamente mais custosas”

Maria Carolina reiterou: “Isso é o futuro. Na Wyndham temos o programa Wyndham Green, que chancela os hotéis que mantém inovações e políticas sustentáveis. Hoje os hóspedes e as empresas perguntam sobre isso antes de decidirem pelo empreendimento para hospedagem. A aposta deve ser no verde”.

Segundo Alessandro Cunha, “Além da sustentabilidade, a cultura regional também é valorizada pelo viajante moderno. Eles querem se sentir inseridos no destino, por meio da gastronomia, das atividades, enfim, por meio de inúmeras experiências”.

Lizete concluiu: “No ano que vem o Grupo Tauá será carbono free. Já sentimos como o mundo mudou e com extrema rapidez. Hoje é comum ao prospectarem espaços para eventos, perguntarem sobre as ações sustentáveis que mantemos e estamos preparados para essas indagações”.

Publicidade
Ameris
Uso misto

Fabiana também quis saber sobre a modalidade do timeshare e da multipropriedade nos resorts. “Tanto o multi quanto o timeshare nos ajuda a ter uma ocupação acima da média. Este ano vamos fechar em 74% de ocupação e digo com certeza que é graças ao uso misto praticado no Rio Quente. Claro que posicionamento de preço também tem seu peso, assim como a possibilidade de day-use. Não tenho dúvidas da eficiência dos modelos e acho que se complementam, não são duas pontas de uma competição interna”, revelou Cunha. “No Rio Quente, em termos de faturamento, mais de 50% hoje é oriundo do timeshare”, finaliza.

IMOBTUR 2022 aborda ‘novo momento dos resorts no Brasil’
Um bom público está participando dessa edição do IMOBTUR 2022

De acordo com Lizete, “O atendimento tem de ser o mesmo para todos. Não temos multi, só trabalhamos com timeshare, mas somando a média, dá entre 19% e 20% de ocupação. Ajuda demais na ociosidade. Então é um desafio nosso melhorar. Com o timeshare, é importante dizer, que a ocupação tem desempenho durante a semana, como nunca registrada antes”.

Maria Carolina Pinheiro concluiu: “A multipropriedade é uma forma de viabilizar empreendimentos. Claro que é uma operação mais complicada, mais difícil, mas quem compra semanas já aprendeu que deve usar fora da temporada para uma maior rentabilidade. Essa é uma situação que está assimilada, consolidada pelo cliente”.

IMOBTUR 2022 aborda ‘novo momento dos resorts no Brasil’
Lizete Ribeiro: “O luxo hoje é o bem-estar. A busca pela natureza, pelos spas, nunca foi tão grande como atualmente”
Convenções e eventos

Lizete Ribeiro afirmou que o destino São Paulo já atingiu o índice de pré-pandemia no Grupo Tauá. Alessandro Cunha revelou que o receio da Aviva era em relação a mudança de comportamento do cliente, com os hábitos adquiridos durante a pandemia. “Convenções corporativas com clientes de lazer dividindo o mesmo espaço é algo complexo. Não são todas as famílias que gostam de dividir o espaço na hora da refeição com um grupo corporativo, por exemplo. Por isso estamos trabalhando em segmentação nesse sentido também”, observou o CEO.

Maria Carolina disse que os eventos são fundamentais para a operação dos empreendimentos. “Nós somos latinos, como que não vamos nos encontrar, sempre queremos estar junto, olhar nos olhos, é algo muito cultural para os latino-americanos. Eventos são essenciais mesmo, de fato”, concluiu.

Publicidade
Anuncie conosco

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA