HOME Matérias Hotel Casacurta restaura cores em alguns ambientes

Hotel Casacurta restaura cores em alguns ambientes

103
0
SHARE
Uma das suítes do Hotel Casacurta ganhou tons de Toque de Areia

Suítes, quartos e o Salão dos Lustres do Hotel Casacurta, em Garibaldi, no Rio Grande do Sul (RS), ganharam tons de cinza, verde e azul em uma restauração desenvolvida pelo escritório de arquitetura Studio Ale Nicolini. As cores da paleta da Sherwin-Williams foram escolhidas lembrando o clássico estilo francês do estabelecimento.

Os 27 quartos, um salão e quatro suítes do hotel boutique passaram pela restauração, acompanhada de perto pelo escritório. No Salão dos Lustres, uma das salas multifuncionais do espaço, foram utilizadas as cores Cinza Útil (SW 7050) e Cinza Analítico (SW 7051) nas paredes e boiseries e forros na cor branca.  “Utilizamos tons neutros e abertos, contrapondo com as boiseries (técnica que consiste em revestir paredes com molduras feitas originalmente em madeira), típicas desse estilo tão marcante na arquitetura”, comenta a arquiteta Alexandra Nicolini.

As suítes número 3 e 31 ganharam tons de Toque de Areia (SW 9085) nas paredes e a suíte 9 recebeu Bege Favorito (SW 7036). Seguindo a escolha de Alexandra, que se concentrou em tons neutros para a restauração, o quarto 14 recebeu a cor Recatada (SW 6295), um tom de rosa clássico da Sherwin-Williams e o quarto 15 ganhou novos ares com o azulado Confins do Céu (SW 6239).

Um dos quartos recebeu a cor Recatada, tom de rosa clássico da Sherwin-Williams

O verde Planície Costeira (SW 6192) deu nova cara ao quarto 18 do Hotel Casacurta e o quarto 22 foi decorado nos tons Bege Favorito (SW 7036) e Fibra de Bambu (SW 7035). Alexandra destaca que a Sherwin-Williams foi escolhida pela ampla paleta de cores e pelo serviço técnico especializado.

Salão Rosa ganhou as cores Cinza Útil e Cinza Analítico nas paredes

Com 66 anos, o Hotel Casacurta investe no conceito de hotel boutique. São 31 quartos, dois salões multifuncionais, além de restaurante e área de lazer com piscina. Por se tratar de uma restauração, questões técnicas relacionadas às alterações exigidas na obra foram cuidadosamente observadas. “O projeto respeita o estilo da arquitetura francesa do hotel, resgatando elementos perdidos com o decorrer dos anos e adaptando os espaços a funcionalidade exigida pelos novos tempos”, conclui Alexandra.

Na obra, também foram utilizados gesso para forros e molduras, madeiras nobres para restauro de esquadrias e pisos, recuperação de forros de época, reconstrução de pisos com ladrilhos e novas esquadrias aplicadas em PVC, aos moldes de restauros europeus.

SHARE