HOME Matérias Economia compartilhada para imóveis de férias se renova e cresce 15% este...

Economia compartilhada para imóveis de férias se renova e cresce 15% este ano

79
0
SHARE
Wyndham Gramado Termas Resort Spa (Foto: Divulgação)

Uma residência de férias sem o custo de uma residência de férias. Parece uma equação sem solução, porém, desde 2010, no Brasil, o conceito de multipropriedade – também chamado de propriedade compartilhada ou ainda de cota ou fração imobiliária – vem crescendo no turismo e evoluindo, especialmente com a difusão de outros exemplos de economia compartilhada e o crescimento da atividade turística interna.

O fato de ter se desenvolvido durante anos de recessão econômica e crise no setor imobiliário demonstra sua pujança, atrelada ao sonho de uma segunda residência, agora para férias. Tal movimento exigiu, inclusive, a modernização da legislação, e a atividade foi ratificada pela Lei Federal 13.777, de 2018, dando mais segurança a todas as partes envolvidas, especialmente os consumidores.

Na prática, funciona da seguinte maneira: uma mesma unidade imobiliária é dividida em várias frações e vendida para diferentes proprietários, que recebem a escritura correspondente e, de acordo com o contrato celebrado, têm um determinado número de semanas que podem ou usufruir daquela unidade inteiramente ou locá-la para terceiros via o administrador da propriedade – que, geralmente, é um resort com farta infraestrutura de lazer, além de estar localizado em um atrativo destino de férias.

De acordo com o Cenário do Desenvolvimento de Multipropriedades 2019, há hoje 92 empreendimentos (46 deles em funcionamento) em 45 cidades de 16 estados. A região do Nordeste lidera, com 25 empreendimentos. Em 2019, houve um crescimento de 15% no setor em relação ao ano passado.

O perfil do público da multipropriedade no Brasil é composto, ainda segundo o estudo, de 36,4% de pessoas na faixa dos 36 aos 40 anos, sendo 72,7% deles casados com filhos. O preço médio de cada fração foi de R$ 51 mil em 2019.

A mais nova empresa a operar no setor é a Prime Vacation, criada em Gramado, em 2016. Como fruto de um momento mais amadurecido do mercado de multipropriedade, decidiu se responsabilizar por todas as fases dos projetos que comercializa: incorporação, desenvolvimento, jurídico, inteligência de negócio, marketing, comercialização e gestão de clientes.

Ronaldo Fagundes, CEO da empresa (Foto: Divulgação)

Para Ronaldo Fagundes, CEO da empresa, aí reside seu principal diferencial: “Ao cuidarmos de todo o sonho de férias inteligentes para os nossos clientes, inclusive e especialmente do contínuo relacionamento com eles, que hoje somam 16 mil pessoas, podemos estar mais próximos de todas as etapas, empenhar os melhores esforços em tecnologia, novas práticas internacionais de mercado e treinamento de pessoas para a completa realização das famílias que confiaram em nós”.

A Prime Vacation conta hoje com os empreendimentos Wyndham Gramado Termas Resort Spa (já em operação), Gramado Exclusive Resort (o próximo a ser entregue, em 2020), Gramado BV Resort e Gramado Buona Vitta Resort Spa, em Gramado, e Aquan Prime Resort, em Foz do Iguaçu. São mais de 10 salas de vendas espalhadas pelos estados de Rio Grande do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo e Pernambuco.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here


CAPTCHA Image
Reload Image