Publicidade
Trofeu fornecedor

Cancelamento das festas de carnaval vai ter grande impacto no turismo

O Dia e horário dessa postagem está no final, assim como nome do autor. O tempo estimado de leitura é de 3 minutos

Várias prefeituras do País decidiram cancelar a festa de carnaval, por conta do aumento de casos de COVID-19, da nova variante Ômicron e da Influenza

Uma das datas mais esperadas pelo brasileiro se aproxima e, com ela, uma dúvida: o tradicional carnaval de rua, este ano, deve ou não acontecer? Considerando a decisão de várias prefeituras das principais capitais do País em cancelar a festa, por conta do aumento de casos de COVID-19, da nova variante Ômicron e da Influenza, tudo indica que ainda não será este ano que o carnaval será promovido aos moldes tradicionais.

Publicidade
Harus 1

O STF – Supremo Tribunal Federal determina que cabe a cada Prefeitura ponderar sobre esta decisão, com base em opinião técnica sanitária, considerando a realidade de cada município. “Obviamente, estas medidas prejudicarão muito o turismo, mais especificamente os setores de hospedagem e comércio de alimentação preparada e bebidas, – a exemplo do ano passado -, mas são um mal necessário, neste momento, haja vista o aumento de casos de contaminação destas variações de vírus. Entretanto, será importante que sejam adotadas, pelas autoridades, medidas compensatórias para os setores envolvidos”, afirma Alexandre Sampaio, Presidente da FBHA – Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação, lembrando que, em efeito cascata, um dos cenários será a diminuição de postos de trabalho e a retração da renda da população, uma vez que o carnaval ajuda a girar a economia.

Cancelamento das festas de carnaval vai ter grande impacto no turismo

Alexandre Sampaio: “O cancelamento das festas de carnaval medidas prejudicarão muito o turismo, mais especificamente os setores de hospedagem e comércio de alimentação preparada e bebidas”. (Foto: Pedro Gelio)

Publicidade
Altenburg

Confira a lista de Carnavais de Rua que já foram cancelados em 2022:
  •  Belém: a decisão de cancelar o carnaval foi anunciada pela prefeitura no fim de novembro, após registro dos primeiros casos de ômicron no mundo. O cancelamento do carnaval de rua e outras manifestações segue mantido pela FUMBEL – Fundação Cultural do Município de Belém. A Secretaria de Estado de Cultura do Pará também informou que não programação prevista;
  •  Brasília: o governador do DF, Ibaneis Rocha, cancelou as festas públicas após aumento de casos de COVID-19 e influenza;
  •  Campo Grande: decisão levou em conta a preocupação das autoridades de saúde com as novas variantes da COVID-19;
  •  Cuiabá: o prefeito Emanuel Pinheiro anunciou a decisão em 1° de dezembro. Entre os motivos estão os riscos da nova variante da COVID-19, a ômicron, além das pessoas que ainda não se vacinaram com nenhuma das doses;
  •  Curitiba: o prefeito Rafael Greca anunciou em 26 de dezembro que, pelo segundo ano seguido, a comemoração do Carnaval de 2022 vai acontecer em formato virtual;
  •  Florianópolis: o prefeito, Gean Loureiro, afirmou que “a prefeitura não vai promover grandes eventos neste momento de incertezas sobre a pandemia e emergências públicas e privadas com muita pressão de atendimento”;
  •  Fortaleza: O prefeito José Sarto cancelou o edital de apoio às festas de carnaval em 30 de novembro. No mesmo dia, o governador do estado, Camilo Santana, também cancelou os editais;

Publicidade
Faitec

  •  João Pessoa: a prefeitura decidiu cancelar os eventos de rua e transferi-los para um local fechado, conforme anúncio do prefeito Cícero Lucena;
  •  Maceió: prefeitura cancelou as festas de carnaval;
  •  Manaus: A prefeitura anunciou a suspensão de festas e blocos de rua em Manaus. A decisão leva em conta o cenário de pandemia, casos de dupla infecção de COVID-19 e influenza e o registro da variante ômicron, da COVID-19, na cidade;
  •  Recife: O carnaval de rua de 2022 foi suspenso por tempo indeterminado no Recife por causa da disseminação da COVID-19 e, principalmente, da alta nos casos de influenza. Para realizar os festejos em outro período, é preciso que a vacinação avance e se chegue a uma situação sanitária que garanta a segurança da população;
  •  Rio de Janeiro: O prefeito Eduardo Paes anunciou em 4 de janeiro que a cidade não terá carnaval de rua pelo segundo ano consecutivo devido à pandemia;
  •  Salvador: o governador Rui Costa anunciou a decisão em 23 de dezembro. Segundo ele, atraso na segunda dose da vacina contra a COVID-19 e epidemia de gripe tornam festa insegura;
  •  São Luís: O prefeito Eduardo Braide decidiu em 5 de janeiro cancelar a programação oficial devido a pandemia da COVID-19;

Cancelamento das festas de carnaval vai ter grande impacto no turismo

Em São Paulo os desfiles das escolas de samba no Sambódromo está mantido (Foto: José Cordeiro/SPTuris)

Publicidade
Anufood

  •  São Paulo: o prefeito Ricardo Nunes anunciou o cancelamento do carnaval de rua. Apesar disso, ele manteve os desfiles das escolas de samba no Anhembi, mas só se a Liga aceitar os protocolos sanitários;
  •  Vitória: A Prefeitura de Vitória cancelou o carnaval de rua deste ano mas, de acordo com o prefeito Lorenzo Pazolini, a administração municipal ainda está disposta a discutir a possibilidade de os blocos se apresentarem em locais fechados.

Onde não foi definido:

  •  Aracaju
  •  Belo Horizonte
  •  Goiânia
  •  Macapá
  •  Natal

Publicidade
APP da Revista Hoteis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image
Reload Image

CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA