HOME Matérias Trade Projeto de duplicação da Rodovia das Cataratas (PR) recebe licença ambiental

Projeto de duplicação da Rodovia das Cataratas (PR) recebe licença ambiental

O projeto, desenvolvido pelo Fundo Iguaçu, poderá agora ser doado ao Dnit. O custo das obras é previsto em R$ 98 milhões

26
0
SHARE
Encontro dos parques nacionais do Iguaçu (Brasil) e Iguazú (Argentina) - Foto: Caio Coronel

Em ato assinado no último dia 3 de junho, o IAP – Instituto Ambiental do Paraná concedeu a Licença Ambiental Prévia para o projeto de duplicação de 8,82 km da Rodovia BR-469, mais conhecida como Rodovia das Cataratas, no trecho entre o trevo de acesso à Ponte Tancredo Neves e o portão de acesso ao Parque Nacional do Iguaçu.

A Licença Ambiental Prévia foi emitida após aprovação do relatório de avaliação de impacto ao patrimônio arqueológico pelo Iphan – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. “Agora, finalmente, o projeto de duplicação está completo e apto a ser doado para o Dnit – Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre, para que possamos viabilizar os recursos necessários para execução das obras. O custo previsto da duplicação e das obras de arte é de R$ 98 milhões”, afirma Gilmar Piolla, superintendente de Comunicação Social da Itaipu Binacional.

Piolla também é vice-presidente do Fundo Iguaçu e secretário-geral do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu – Codefoz. Ele foi responsável pela coordenação dos trabalhos. O projeto de duplicação da BR-469 foi desenvolvido pela Engemin, uma das mais conceituadas empresas de engenharia de obras de infraestrutura do Paraná, contratada pelo Iguassu Convention & Visitors Bureau, com apoio da Itaipu Binacional e do Fundo Iguaçu.


Piolla explica que, para receber projetos em doação, o Dnit, por normativa interna, exige que os mesmos sejam acompanhados da devida licença ambiental. Para tanto, foi necessário contratar estudos e realizar escavações arqueológicas na área da faixa de domínio a ser utilizada para a duplicação da BR-469. “O Dnit receberá os projetos básicos e de engenharia, assim como os estudos de impacto ambiental e o licenciamento ambiental”, informa. A data da doação será agendada com a direção do Dnit e o Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil.

O projeto de duplicação prevê que a rodovia será alargada nos dois lados, no trecho entre o trevo de acesso à Argentina e a entrada do Parque Nacional do Iguaçu, o que permitirá o aproveitamento da faixa de domínio do Dnit. As obras incluem a construção de avenidas marginais em boa parte do trecho.

O projeto prevê também ciclovias dos dois lados da pista, duas passarelas de pedestres, dois passa-bichos, cinco retornos em nível com faixas extras de desaceleração e aceleração, um viaduto no acesso ao aeroporto, duas trincheiras, ponte elevada no rio Tamanduá e uma rotatória nas proximidades da entrada do Parque Nacional do Iguaçu.

Para o presidente do Fundo Iguaçu, Carlos Silva, a duplicação da Rodovia das Cataratas é “um sonho antigo da comunidade e vai auxiliar no desenvolvimento do município”. Ele lembra que a BR-469 é fundamental para Foz do Iguaçu, já que é a única via de acesso às Cataratas e ao Aeroporto Internacional. “Por isso, a partir de agora, será necessário chegar às autoridades para que os recursos sejam alocados”, declara.

SHARE