HOME Matérias APP-Sindicato/Foz realiza força-tarefa nas escolas contra a retirada de direitos

APP-Sindicato/Foz realiza força-tarefa nas escolas contra a retirada de direitos

88
0
SHARE
Cátia Castro, Secretária de Formação da APP-Sindicato/Foz. Créditos: Divulgação

A APP-Sindicato/Foz realiza durante essa semana uma força-tarefa nas escolas de Foz do Iguaçu e região, mobilizando a categoria a favor da paralisação estadual marcada para dia 30 de agosto, em Curitiba (PR).

Dirigentes sindicais e representantes de base da APP-Sindicato/Foz percorrerão todas as 30 escolas públicas da rede estadual em Foz do Iguaçu, propondo debates, diálogos e entrega de materiais para professores, pedagogos e agentes educacionais.

A paralisação marcada para o dia 30 de agosto busca impedir a aprovação do PL 257 (Projeto de Lei) e da PEC 241 (Proposta de Emenda Constitucional) que tramitam no Congresso Nacional, em que preveem a retirada das garantias dos trabalhadores dos setores público e privado. A categoria ainda estuda a possibilidade de entrar em greve, exigindo que o Governo do Paraná cumpram os acordos firmados durante o fim da paralisação de 2015 como o pagamento da dívida de progressões e promoções e investimentos na escola pública.

A secretária de Formação da APP-Sindicato/Foz, Cátia Castro, explica que a entidade aposta na mobilização dos trabalhadores para impedir a aprovação das pautas que representam retrocessos. “O momento é difícil para os trabalhadores brasileiros e somente a mobilização vai evitar que direitos conquistados sejam tomados”, expõe.

Sobre a PL 257 e a PEC 241

Em conjunto, o PL 257 e a PEC 241 pretendem estabelecer um teto para os investimentos na área social, para que o governo possa empregar os recursos no pagamento de juros da dívida pública. As medidas pretendem reduzir os recursos em áreas como educação e saúde, diminuir salários, congelar reajustes e concursos públicos e modificar as regras da previdência.

O PL 257 propõe aos Estados a diminuição do quadro do funcionalismo público por meio de plano de demissões voluntárias, redução dos benefícios aos servidores e restrição de novas contratações via concurso. Já a PEC 241 prevê que os investimentos públicos serão congelados por vinte anos. Com isso, o Governo Federal passa a ignorar o aumento de demandas do serviço, não havendo ampliação das atividades decorrentes do aumento da população, novas políticas públicas de enfrentamento às desigualdades sociais ou combate ao desemprego.

SHARE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here


CAPTCHA Image
Reload Image