AconteceuÚltimas Notícias

IMOBTUR trouxe os desafios da implantação e operação hoteleira

Painel “Desafios da implantação e operação hoteleira” apresentou informações e rumos para o segmento de multipropriedade

IMOBTUR 2023, evento que reúne os diversos meios de hospedagem, plataformas e operadores de aluguel por temporada, OTAs, startups de tecnologia e investidores para discutir o futuro da hospitalidade, que acontece nesta quarta-feira, 29 de novembro, no Amcham Business Center, em São Paulo (SP), trouxe o painel “Desafios da implantação e operação hoteleira”, que contou com a presença de Luciana Kuzuhara (moderadora), Business Development Manager da Wyndham Hotels & Resorts; Luciano Carvalho, Diretor de Novos Negócios da Trul Hotéis; e Alexandre Zubaran, CEO da Enjoy Hotéis e Resorts.

Publicidade
Clima ao Vivo

Luciana começou a apresentação dizendo que a implantação e a gestão de um empreendimento hoteleiro têm várias facetas como governança, alimentos e bebidas, gestão de pessoas, entre outras.

IMOBTUR trouxe os desafios da implantação e operação hoteleira
Luciana Kuzuhara, Business Development Manager da Wyndham Hotels & Resorts.
Publicidade
APP da Revista Hoteis

A seguir, Luciano Carvalho comentou que “é preciso ter o entendimento de quais os tipos de produtos que serão colocados no mercado para atender as necessidades dos variados públicos como comprador de multipropriedades, hóspede de hotel e também short-term rental. O caminho é entender qual o seu público”, disse.

Alexandre Zubaran revelou que tem quase 40 anos de atividades no setor de hotelaria, principalmente no de lazer e que a Enjoy possui 2.000 mil apartamentos, somando mais de 20.000 mil leitos, todos no modelo de multipropriedade.

Publicidade
Desbravador

A moderadora quis saber dos convidados qual o momento certo de trazer o incorporador e Luciano Carvalho respondeu que “nós trabalhamos em projetos que o quanto antes iniciarmos o acompanhamento do empreendimento, traremos mais insights para a parte estrutural e demais áreas. Por exemplo, a multipropriedade tem necessidades e expectativas de um proprietário, o ideal é que desde a concepção consigamos criar os diferencias. A operadora precisa ter interação com a incorporadora e com a área de arquitetura”, afirmou.

IMOBTUR trouxe os desafios da implantação e operação hoteleira
Luciano Carvalho, Diretor de Novos Negócios da Trul Hotéis.
Publicidade
Ameris

Perguntado se existe uma receita de sucesso para a implantação, Zubaran disse que “quando vamos desenvolver um empreendimento hoteleiro, temos uma implantação com mais de 200 itens, detalhes desde a lata de lixo ao cabide, é uma logística muito complexa. O planejamento tem que ser baseado em experiência adquirida”. Para Luciano, “se existe a fórmula mágica do sucesso, essa é começar sempre antes, ter tudo mapeado e definido, com datas, pois são vários processos simultâneos ao mesmo tempo”, ele lembra.

Publicidade
Harus

Luciana levou para o painel o tema do turnover de funcionários e retenção de talentos. Afinal a carga horária para quem trabalha no setor de turismo e hotelaria é pesada e envolve fim de semana, feriado, diversos turnos e também tem a questão salarial. Carvalho contou que “a Trul tem um programa de atração de talentos, pois ninguém quer ser retido e sim atraído para uma função de trabalho. Tivemos que desenvolver novos profissionais. A nova geração busca mais “ser” do que “ter”. Hoje trabalhamos a métrica de atração de talentos e fazemos uma avaliação dos funcionários, porque uma boa avaliação reflete um bom posicionamento para o hóspede e isso gera desenvolvimento. Temos uma ferramenta para seleção e avaliação que conseguimos analisar a evolução do funcionário desde o início da contratação”.

IMOBTUR trouxe os desafios da implantação e operação hoteleira
Alexandre Zubaran, CEO da Enjoy Hotéis e Resorts.
Publicidade
Carbono Free

De acordo com Zubaran, “estamos diante de uma geração diferente, se a pessoa não tem admiração pelo seu líder ou marca, ela sai da empresa e vai para casa.  A primeira questão é geracional, hoje é difícil engajar um indivíduo, pois não somos o setor que melhor paga e temos uma carga horária pesada. Outro ponto é a grade de formação ruim dos profissionais, é muito limitada. Formação inadequada e um problema geracional, boa parte de nossa energia vai ter que estar voltada para isso. É o maior desafio dessa década”, finaliza.

Publicidade
Anuncie conosco

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA