Publicidade
Hotelplus

Cancelamento do Carnaval deve gerar prejuízo de 8 bilhões na economia

O Dia e horário dessa postagem está no final, assim como nome do autor. O tempo estimado de leitura é de 2 minutos

O Vice-presidente jurídico da CNTUR (Confederação Nacional do Turismo), Carlos Augusto Pinto Dias e o Presidente da Braztoa (Associação Brasileira das Operadoras de Turismo), Roberto Nedelciu, foram os entrevistados na ‘Live JR’, exibida nesta sexta-feira, dia 12 de fevereiro, nas plataformas digitais da Record. O Prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), acaba de oficializar em coletiva de imprensa o cancelamento do feriado mais importante para os brasileiros. Contando com a mediação dos jornalistas Celso Freitas e Luiz Fara Monteiro, a ‘Live JR’ repercutiu como o cancelamento do feriado de Carnaval em diversas cidades brasileiras e afeta diretamente o turismo nacional.

Publicidade
Equipotel 2021

O Carnaval gera anualmente uma grande movimentação na economia principalmente com os investimentos aportados por diversas marcas patrocinadoras dos eventos que duram em média 4 dias. O possível adiamento do feriado para o mês de julho significa um prejuízo de quase 8 bilhões de reais. O impacto maior se dará no setor de serviços seja ele formal ou informal.

Cancelamento do Carnaval deve gerar prejuízo de 8 bilhões na economia

O cancelamento do Carnaval terá impacto significativo para o turismo e as cadeias produtivas do setor (Foto: Pixabay/489327)

Encerrando atividades

De acordo com Dias, “A nossa estimativa é que cerca de 30% das empresas que atuam neste setor encerrarem as suas atividades, ou seja, cerca de 250 mil empresas que fecharão as portas em definitivo. Isso é mais de um milhão de empregos diretos que deixarão de existir, mais de um milhão de pessoas a mais desempregadas por conta da pandemia, fora o impacto para os autônomos, terceirizados, ambulantes etc.”.

Publicidade
Onity

O setor de bares e restaurantes já sofreu muitos prejuízos no ano de 2020 por conta da pandemia, mesmo respeitando todas as regras de segurança impostas pelo Governo de São Paulo. Segundo Dias, o índice de contágio nesses locais foi muito baixo, pois os estabelecimentos respeitaram as determinações impostas pelo Governo Dória. “Acaba de ser divulgado um estudo em Nova Iorque mostrando que o setor de restaurantes e similares responde por apenas 1,48% do índice de contaminações pela COVID-19, ou seja, tudo isso mostra que quando é feito com responsabilidade, com segurança como o setor fez desde o início, o segmento de restaurantes e similares pode funcionar perfeitamente bem”, afirmou.

Publicidade
Engie

Ao serem questionados sobre como seria uma ajuda ideal por parte do Governo Federal, ambos defenderam a enorme relevância do turismo para o setor da economia. “Espero que o Governo Federal reconheça que hoje o turismo representa 8.1% do PIB brasileiro e nós temos um potencial de crescimento muito grande. Então qualquer investimento que se faça no turismo, a resposta é muito rápida”. concluiu Nedelciu.

Publicidade
Anuncie conosco

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image
Reload Image
CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA