HOME Matérias Aconteceu Prática do relacionamento dos investidores com incorporadores é tema no ADIT Invest

Prática do relacionamento dos investidores com incorporadores é tema no ADIT Invest

72
0
SHARE
Danilo Samezima: "O modelo de multipropriedade foi tropicalizado no Brasil e cresce de forma rápida".

Acabou há pouco a palestra comandada por Danilo Issao Samezima, Diretor de Estratégias e Novos Negócios da WAM Brasil, de tema “Prática do relacionamento dos investidores com incorporadores”, na 13ª edição da ADIT Invest, Seminário sobre Investimentos Imobiliários e Turísticos, que acontece hoje (23) e amanhã, na Amcham, em São Paulo (SP), e tem a revista Hotéis como mídia oficial.

Samezima começou falando sobre a Multipropriedade Fractional e Timeshare (Vacation Club), que nasceu na década de 70 e se consolidou no mercado norte-americano. No Brasil, em 2010, ocorreu a consolidação do conceito Multipropriedade, e no ano de 2011, a de Timeshare. “Dizemos que os conceitos ‘tropicalizaram-se’”, comenta ele.

Orlando, nos Estados Unidos, conta com 87 empreendimentos no estilo Multipropriedade e Timeshare, com um volume de vendas de 9,2 bilhões de dólares. No Brasil o número é de 3,5 bilhões. O palestrante ainda citou a ascensão da classe média no Brasil. No ano 2000, 30% estavam dentro da classe média. Em 2013, o número saltou para 60%. Por isso, existe uma oportunidade significativa de se empreender no ramo no Brasil.

O Diretor de Estratégias citou que, dentro do modelo de multipropriedade, há 5 pilares da sustentabilidade. Na WAM Brasil, sua equipe promove uma blindagem jurídica juntos aos investidores, realiza a gestão de recebíveis e gerencia obras, além de, claro, toda a questão jurídica.

A palestra de Danilo Samezima atraiu um bom público

Para Danilo, não há tempo para se relacionar com cada um dos stakeholders. Portanto, criou um gerenciamento que se relaciona diretamente com os investidores. “Realizamos reuniões mensais abordando os principais tópicos, como Gestão Legal, Gestão Financeira e Acompanhamento de Viabilidade. Dentro da Gestão Legal, apresentamos aos investidores, de forma muito didática, como estão desde os prazos do projeto até o alvará”, diz.

“Também apresentamos para os stakeholders as ações institucionais e sociais envolvidas. Na questão da Gestão Técnica, acompanhamos toda a área de suprimentos e em que fase está a obra. Tudo isso, sendo o mais claro possível, a fim de que o investidor tenha certeza que seu dinheiro está sendo bem aplicado. Mostramos fotos e prazos, pontos críticos e a questão do acompanhamento financeiro”, revela.