Fique AtualizadoÚltimas Notícias

Senac: Destinos Turísticos Inteligentes pedem profissionais diferenciados

O Senac São Paulo desenvolveu um programa voltado à criação dos DTI’s no âmbito do Estado de São Paulo que pode ajudar a elevar ainda mais o patamar do turismo brasileiro

Não foram poucas as mudanças que afetaram o setor de turismo, principalmente por conta da pandemia. Em um cenário low touch (ou seja, de pouca interação humana), turistas optaram por destinos domésticos e o turismo de experiência ganhou terreno, assim como as cidades que conseguiram oferecer experiências inéditas e atrativas.

Publicidade
Clima ao Vivo

O conceito de Destino Turístico Inteligente (DTI) se insere nesse contexto. Os DTI’s são estruturas turísticas diferenciadas, cujo objetivo é facilitar a interação e a experiência dos visitantes em todos os momentos da viagem, bem como gerar dados qualitativos e quantitativos, em tempo real, para os gestores de turismo dos municípios em que estão localizados. Eles estão baseados em quatro pilares, sendo eles: governança, tecnologia, sustentabilidade e acessibilidade.

Segundo Julio Cesar Butuhy, professor da pós-graduação em Gestão de Meios de Hospedagem do Centro Universitário Senac, o Brasil está evoluindo no desenvolvimento nos destinos turísticos inteligentes de forma constante, mas lentamente. “Poucas são as cidades turísticas que possuem profissionais oriundos e conhecedores da área de turismo para planejar e gerir suas instâncias decisórias locais ou regionais. Outra dificuldade encontrada no país é a pouca capilaridade da tecnologia. São poucas as cidades com condições de se tornarem um DTI no curto prazo por conta da falta de condições tecnológicas básicas, como a falta de internet de boa qualidade”, afirma o especialista.

Mesmo antes da pandemia da COVID-19, os turistas já demandavam importantes mudanças de comportamento, passando pela exigência de produtos naturais, excluindo opções de ambientes artificiais e pasteurizados, pelo desejo de obter lembranças duradouras, positivas e gratificantes e conexão com o destino. Para Julio Cesar, os DTI’s seguem na linha dos desejos dessa parcela de turistas que deseja honestidade, que só é possível por meio de uma boa governança.

Nossos Destinos Turísticos Inteligentes

Com o propósito de incentivar a prática do turismo responsável e sustentável, o Senac São Paulo desenvolveu, em 2017, um programa voltado à criação dos DTI’s no âmbito do Estado de São Paulo. Utilizando metodologia internacional, a entidade fez um diagnóstico que foi aplicado em 114 municípios paulistas, entre estâncias turísticas, municípios de interesse turístico e municípios candidatos a despertarem interesse turístico.

A partir da análise das condições do turismo nessas localidades, o estudo apontou quais eram as fragilidades que afetavam a prática turística local e quais destinos teriam condições de se tornar, no curto, médio ou longo prazos, um Destino Turístico Inteligente.

Segundo Antonio Carlos Bonfato, professor dos cursos de Hotelaria e Gastronomia do Centro Universitário Senac – Águas de São Pedro, no interior de São Paulo, o diagnóstico foi dividido em sete indicadores englobando condições gerais do município, sustentabilidade ambiental, sustentabilidade turística, acessibilidade, qualidade de vida, conectividade e sistema de informações turísticas. E, após aplicado, o diagnóstico gerou indicadores de monitoramento da atividade turística que permitiam estabelecer comparativos entre um determinado município e a média geral dos outros 113 municípios, apontando quais eram seus pontos fracos e quais fragilidades deveriam ser trabalhadas em cada um deles.

O passo posterior foi buscar um município que pudesse ser o protótipo da aplicação do plano de ações. Brotas, no interior de São Paulo, foi escolhido. Validadas as prioridades, os gestores do turismo local, em acordo com os profissionais do Centro Universitário Senac, entenderam que as prioridades deveriam ser inseridas não apenas no plano de ações de DTI, mas também deveriam compor as ações prioritárias do Plano Municipal de Turismo, que estava sendo desenvolvido à época.

Antonio Carlos acrescenta: “A partir desse momento, o plano de ações começou a ser aplicado, via captação de recursos e desencadeamento dos respectivos projetos. Atualmente a maioria das prioridades do plano de ações já forma concluídas ou estão em fase de implantação e demostraram o sucesso desse primeiro protótipo do plano de ações, fato que pode levar o destino turístico de Brotas a ser reconhecido como o primeiro Destino Turístico Inteligente — DTI, do Estado de São Paulo”.

Importante ressaltar que os planos de ações dos DTI’s não servem apenas para serem aplicados em um destino de forma individualizada, mas também servem para um grupo de cidades que compõem uma região turística.

Publicidade
Ameris
Preparação dos profissionais

Uma questão importante, diretamente associada ao desenvolvimento dos destinos, é a formação dos profissionais de turismo e hospitalidade. O contexto pede aprofundamento dos conhecimentos em hospitalidade direcionados ao turista, com boas doses de empatia; domínio de tecnologias como usuário final; ética e transparência em todas as ações, pois honestidade e governança são essenciais nos negócios; experiência avançada na gestão de equipes para obter uma equipe proativa, treinada e informada; sustentabilidade financeira (equilíbrio entre receitas e custos).

Os obstáculos enfrentados na profissionalização dos destinos estão relacionados às dificuldades de profissionalizar a gestão local do turismo, dificuldades de uso/acesso à Internet e o trato com as questões socioambientais.

Bonfato finaliza: “A condução do processo de criação de um Destino Turístico Inteligente, elaborado de modo cooperativo, de modo a envolver todos os stakeholders ligados à prática do turismo nos respectivos destinos, exige uma formação específica, com conhecimentos não só em planejamento do turismo, mas também em relações interpessoais, na articulação de grupos, na gestão de conflitos e também no monitoramento de processos. Nesse sentido, devido à natureza da formação profissional, um egresso formado em Gestão da Hospitalidade, possui a capacitação necessária para se tornar um profissional bem-sucedido na área de desenvolvimento de Destinos Turísticos Inteligentes — DTI´s”.

Publicidade
Fispal

O Senac São Paulo tem opções variadas de formação, em consonância com as tendências demandadas pelo mercado. Seguindo o crescimento dos destinos turísticos inteligentes, a instituição oferta o Bacharelado em Gestão de Hospitalidade, a Pós-graduação em Gestão de Meios de Hospedagem, o curso Tecnologia em Hotelaria e o curso Tecnologia em Gastronomia.

Serviço

Centro Universitário Senac

Bacharelado em Gestão de Hospitalidade

Local: Centro Universitário Senac – Santo Amaro

Pós-graduação em Gestão de Meios de Hospedagem

Local: Centro Universitário Águas de São Pedro e Senac Aclimação

Tecnologia em Hotelaria

Local: Centro Universitário Senac Águas de São Pedro

Tecnologia em Gastronomia

Local: Nos três campus do Centro Universitário Senac

Publicidade
Anuncie conosco

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA