HOME Matérias Projeções para o setor hoteleiro em 2019 serão apresentadas no ADIT Hotel

Projeções para o setor hoteleiro em 2019 serão apresentadas no ADIT Hotel

185
0
SHARE
Com mais de 20 anos de experiência nas áreas comercial e de formatação de produtos no setor de viagens, o executivo Claiton Armelin participará de painel durante ADIT Hotel - Foto: Riccardo Annandale (unsplash)

Durante o painel ‘Perspectivas do Mercado: a visão de quem comercializa hotéis e resorts no Brasil’, Claiton Armelon, Diretor Executivo de Produtos Terrestres Nacionais da CVC Corp, falará sobre como é preciso se renovar constantemente para conquistar novos consumidores. O conteúdo compõe a abertura do ADIT Hotel, Seminário sobre Desenvolvimento e Investimentos Hoteleiros, que acontece no dia 5 de novembro, na capital paulista.

Armelin comenta que, no segmento de viagens de lazer, a CVC é uma empresa de vanguarda e trilha esse caminho, seja ampliando o seu portfólio de produtos, com novas opções de resorts em sistema all inclusive ou mesmo hotéis e pousadas mais econômicas, ou também facilitando as formas de pagamento (hoje os clientes da operadora podem parcelar suas viagens em até 12x sem juros).

Com mais de 20 anos de experiência nas áreas comercial e de formatação de produtos no setor de viagens, o executivo Claiton Armelin explica que a companhia preza por relações duradouras com seus parceiros comerciais, de forma que possa gerar negócios aos meios de hospedagem, empresas de turismo receptivo e que administram atrações turísticas em todo o Brasil. “Nossa equipe de negociadores está sempre em campo em contato com os fornecedores e, ao mesmo tempo, em linha com a equipe de vendas que faz a linha de frente com o consumidor e os agentes de viagens, justamente para desenvolver produtos e roteiros que atendam a essas necessidades e que possam ser distribuídos por nossas redes multicanais, com lojas no varejo, agências parcerias ou sites”, diz Armelin.

Claiton Armelin, Diretor Executivo de Produtos Terrestres Nacionais da CVC Corp

O executivo abordará em seu painel o que os consumidores mais têm buscado seja em termos de viagens de lazer ou em viagens corporativas, e como os equipamentos podem se preparar para atender a essa demanda que, independente do cenário, é crescente e promissora.  “Nossas respostas para esse cenário são sempre muito rápidas e se traduzem em mais promoções e mais opções de produtos e que contribuam em fazer o sonho da viagem caber no orçamento da família”, diz, reforçando que, para 2019, a CVC continuará diversificando seus produtos e roteiros, para que o consumidor possa viajar mais vezes ao longo do ano, além das tradicionais férias, para diversas localidades do Brasil.

Enfrentando a crise

Já Carlos Pereira, Diretor Executivo do Turismo do Clube de Turismo Bancorbrás, que participa do mesmo painel, afirma que “analisando as utilizações totais do Clube Bancorbrás (entre 2017 e 2018) percebemos que a tendência do mercado, em geral, é de uma projeção de queda em torno de 5%”. Alguns hotéis fecharam, houve trocas de bandeiras, principalmente no Rio, Salvador e cidades corporativas. “Acreditamos que os negócios estejam em sua maioria em stand by aguardando definições de mercado, pós-eleições, mas não podemos deixar de considerar o desemprego no Brasil em torno de 13 milhões de pessoas, afetando diretamente o turismo nacional”.

Mas ele garante que as expectativas do Clube Bancorbrás para 2019 são otimistas. A perspectiva de utilização para 2018 é de quase um milhão de diárias no Clube, e superação destes números em 10% no próximo ano. “Possuímos atualmente mais de 10 mil hotéis conveniados no Brasil e no exterior, número este que praticamente se manteve em comparação com o ano de 2017. Mesmo com todos os aspectos não favoráveis do setor, conseguimos manter nossa produção e força junto ao turismo nacional”, afirma Pereira.

O executivo entende que o sistema de multipropriedade encontra muita força em momentos de crise, principalmente para viabilizar economicamente o empreendimento. “Esta modalidade cresceu nos últimos dois anos e tem se consolidado como um motor de avanço do setor imobiliário/hoteleiro”, analisa.