HOME Matérias Aconteceu Fórum: José Ernesto Neto palestra sobre atuação de redes e hotéis independentes

Fórum: José Ernesto Neto palestra sobre atuação de redes e hotéis independentes

212
0
SHARE
José Ernesto Marino Neto: "A nova geração transformou as formas de comunicação e consequentemente, os modelos de negócio"

Para dissertar sobre as fraquezas e forças tanto de redes hoteleiras como de hotéis independentes, José Ernesto Marino Neto, Fundador e CEO da BSH International apresentou em palestra do I Fórum Brasileiro de Hotéis Independentes, realizado hoje (26) pela Nobile Hotéis no Wyndham Garden Convention Nortel, o que se pode aprender com os dois lados.

O executivo apresentou o posicionamento da BSH International, que participou da estruturação de projetos que somam mais de R$ 5 bilhões no Brasil, Uruguai e Flórida; é pioneiro na promoção de investimentos hoteleiros no Brasil; introdutor de grupos internacionais no Brasil e de Asset manegement hoteleiro no Brasil.

Ernesto classificou o Brasil como um “país ilhado”. Em uma imagem produzida pela NASA, foi mostrado pontos na América Latina que representam focos de riqueza em cada um dos países. “No Brasil, encontram-se grandes barreiras naturais. Além disso, o País produz recursos que não demandam o relacionamento com outros povos. O Brasil nunca precisou ter grandes relações internacionais porque sempre teve o que precisava para sobreviver”, introduziu.

Isso fez com que o Brasil não fosse muito conhecido no mercado externo e que ainda está em formação e culturas muito diferentes no mesmo território nacional, segundo o especialista. “As estruturas populacionais são diferentes, geradas pelas imigrações e costumes implantados ao longo do tempo em cada região”, pontuou Ernesto.

O Diretor da BSH também contou em tópicos a história do investimento hoteleiro no Brasil, que recebeu  de 1964 a 1986 incentivos financeiros e fiscais que atraíram companhias internacionais ao Brasil, como Accor, ITT, e outras. Até os anos 1990, com o término dos incentivos fiscais e locações residenciais restritivas, havia desincentivo à produção de imóveis residenciais, fazendo com que incorporadores imobiliários viessem inventar o que se chamou de apart-hotel. “Foi aí que veio a Embratur e regulamentou o que se chamada de hotel-residência”, contou. A projeção da BSH de crescimento da tarifa para São Paulo este ano é de 50%.

A nova geração transformou as formas de comunicação e consequentemente, os modelos de negócio. “Se antes nós já sabíamos o que encontrar nos hotéis, hoje o foco é surpreender em cada estada do hóspede, que nao está preocupado com a marca, mas com a experiência. Hoje, o feedback é instantâneo e a nova era digital transformou a hotelaria em um produto tangível. Neste novo mundo, quem tem que se reinventar não sao só as redes hoteleiras, mas também os hotéis independentes para saberem o que encontrar neste novo mundo”, disse.

Hoteleiros independentes

Ernesto menciona que ainda se vê hoteleiros independentes administrando seu empreendimento em uma planilha de Excel, indicando a precariedade que ainda existe na gestão de muitos empreendimentos.  “Se posso deixar um recado é que não existe inimigos entre redes hoteleiras e hotéis independentes, mas hábitos de gestão. Se vocês não se adaptarem as novas formas de interação, ficarão para trás. Mas se houver este investimento, certamente terão um futuro melhor”, concluiu.

SHARE