Publicidade
Pikolin

Retomada da hotelaria em Santa Catarina já está acontecendo

O Dia e horário dessa postagem está no final, assim como nome do autor. O tempo estimado de leitura é de 3 minutos

Artigo de Rui Schürmann*

O avanço da vacinação em Santa Catarina e a expectativa de estar todo mundo acima dos 18 anos vacinados até o fim de agosto, e grande parte da população com a segunda dose até dezembro, fazem não só a hotelaria ver esperança, como toda cadeia produtiva do turismo. A torcida é para que realmente o governo consiga cumprir esse calendário e o setor volte a operar em toda sua capacidade.

Publicidade
Engie

Para falar em alta temporada e taxas de ocupação, faremos um comparativo de regiões e nichos. Vamos pegar o litoral e a serra catarinense, e também os meios de hospedagem de lazer e os executivos, visto que existem realidades diferentes em cada região, bem como, da atividade econômica predominante.

Vamos começar pela Serra Catarinense que vive o seu momento de alta temporada com seus hotéis fazenda e demais meios de hospedagem voltados ao lazer de inverno tendo, talvez, a melhor ocupação dos últimos anos em termos de hospedagem. Não estamos falando em faturamento, mas sim de ocupação, coisas bem diferentes.

Serra do Rio do Rastro deve receber complexo turístico

A Serra do Rio do Rastro é uma das principais rotas de turismo em Santa Catarina  (Foto: Pixabay/Fer2016)

Publicidade
Onity

 

Ocupação máxima no frio

As baixas temperaturas e as previsões de neve na Serra Catarinense levaram a hotelaria a uma ocupação muito boa. Não é uma ocupação máxima até porque não tem essa tradição, mas este fluxo intenso durante um período curto mostrou o quanto é preciso que os empreendimentos, órgãos públicos e profissionais estejam preparados para receber uma demanda turística alta. As pessoas estão ansiosas por viajar e os destinos que possibilitam contato com a natureza e experiências espetaculares são os preferidos.

No litoral, a expectativa principalmente para a temporada de verão já é positiva se comparada à temporada de 20/21, mas o que realmente se espera é algo próximo à temporada 19/20. No entanto, ainda há uma incógnita.  A situação econômica do país vizinho, a Argentina, afeta muito nossa temporada. Algumas medidas e decretos estabelecidos têm dificultado inclusive a vinda de argentinos que possuem imóveis em Santa Catarina, já que ao retornarem precisam cumprir quarentena de 15 dias. As fronteiras também continuam fechadas limitando a circulação de pessoas.

Eventos como o Encatho & Exprotel em breve devem ser retomados em Florianópolis (SC)

Publicidade
Tramontina

 

Expectativa dos eventos

Se por um lado os hotéis de lazer e de contato direto com a natureza estão comemorando a retomada, os empreendimentos executivos, ou seja, os hotéis do centro de cidade, permanecem lutando e na expectativa da retomada dos grandes eventos, encontros corporativos e reuniões de negócios presenciais.

Este impacto também se reflete nos profissionais do setor. Enquanto alguns empreendimento já retomaram as contratações, sentindo inclusive a falta de mão de obra qualificada para sua plena operação, outros continuam vendo os reflexos das demissões em massa no início da pandemia, com profissionais do setor mudando de ramo de atividade e, até mesmo, mudando de cidade para buscar novas oportunidades de emprego.

Apesar de todas as dúvidas que ainda fazem parte do dia a dia dos hoteleiros, a temporada na Serra indica que teremos uma temporada próxima do normal também no litoral. Vamos torcer que sim, pois assim como aconteceu com outros setores, a pandemia trouxe muitas mudanças para a hotelaria e, uma delas, foi no que chamamos janela de reservas. Antes, as pessoas planejavam seus destinos com meses de antecedência. Atualmente, são dias. A procura já começou. As reservas começam a surgir muito lentamente, mas com o passar dos dias certamente o fluxo aumenta e, para garantir que o desejo de passar as férias em um destino se realize, é preciso planejar com antecedência ou, assim como acontece hoje na Serra, o turista corre o risco de ficar sem vaga!

Santa Catarina é um estado abençoado. Temos destinos incríveis e atrações nas quatro estações. Que venham os turistas, pois a hotelaria está preparada para receber todos com a segurança que o momento pede, e a singular hospitalidade do povo catarinense.

*Rui Schürmann é Diretor-presidente da ABIH-SC – Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina

Publicidade
APP da Revista Hoteis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image
Reload Image
CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA