Publicidade
SPCVB

ABRAFIBRAS quer ampliar uso de fibras naturais na hotelaria

O Dia e horário dessa postagem está no final, assim como nome do autor. O tempo estimado de leitura é de 2 minutos

A sustentabilidade é uma preocupação constante das empresas para atender a demanda do comportamento de seus clientes e na hotelaria não é diferente. Aproveitando a agenda de sustentabilidade cada vez mais presente e necessária, a ABRAFIBRAS – Associação Brasileira da Indústria e dos Produtores de Bambu e Fibras Naturais, identificou na hotelaria de lazer uma forma de conectar o viajante que busca aumentar a sua experiência com meio ambiente e os biomas locais.

Publicidade
Pikolin

 

A ABRAFIBRAS defende o uso de vários tipos de fbras naturais – Imagem – Divulgação

Publicidade
Onity

Valor agregado

O projeto Bioeconomia na Hotelaria da ABRAFIBRAS tem como finalidade agregar valor ao ciclo das fibras naturais. Visa garantir desde o plantio até o produto final, que deixará de ser confeccionado de forma artesanal, com baixo apelo funcional e estético, para tornar-se um produto com design atual, funcional e exclusivo. “Minha experiência na área de Gestão de Compras de produtos voltados para a montagem hoteleira, aposta na relevância destes hotéis como uma grande vitrine para alavancar e contribuir com o desenvolvimento econômico das comunidades, atrelada às necessidades socioambientais”, destaca Ana Fiorda, Consultora Técnica ABRAFIBRAS.

Ana Fiorda: “As fibras naturais tem um potencial grande para crescer na hotelaria” – Foto – Divulgação

Publicidade
Equipotel 2021

De acordo com Katiane Gouvêa, Diretora Executiva da ABRAFIBRAS, a entidade inicialmente começou a defender o uso do bambu. “Hoje defendemos o setor das seguintes fibras naturais: Bambu, Juta, Malva, Seda, Sisal, Fibra de Coco, Piaçava, Tucumã, Inajá, Bacaba, Açaí, Capim dourado, Licurí, Macaúba, Abacá, Curauá, Buriti, Cânhamo entre outras. As folhas, o caule, e a casca, hoje em sua grande maioria descartadas, são feitas de fibras com potencial estruturante e de alto valor na bioeconomia, com aplicação em diversos usos, com design contemporâneo e em escala industrial”, destaca Katiane lembrando que: No mundo, a bioeconomia movimenta 2 trilhões de Euros e gera cerca de 22 milhões de empregos. São 40 milhões de famílias e 200 milhões de pessoas envolvidas na cadeia produtiva, segundo dados da OCDE – Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico ou Económico.

Katiane Gouvêa: “A sustentabilidade é uma grande ferramenta para reforçar a marca e imagem das empresas” – Foto – Divulgação

Publicidade
Simmons

Diversos usos das fibras

Para Katiane, as iniciativas e projetos visam a inserção do bambu e das fibras naturais nos setores de construção civil e vão mais além. Podem ser usadas na área de acabamentos e interiores, na decoração de áreas comuns como recepção, deck, salas, e de áreas privativas como quartos e banheiros, assim como nos uniformes e acessórios do staff das redes hoteleiras e nos restaurantes, como jogos americanos, souplats. talheres, copos, panelas entre outros. O plantio de mini-florestas de fibras naturais também pode ser uma forma das redes hoteleiras investirem na sustentabilidade.

Mais informações podem ser obtidas  com Katiane Gouvêa, Diretora executiva – Fone  (61) 98341.5126 e Email  presidencia@abrafibras.org

Publicidade
APP da Revista Hoteis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image
Reload Image
CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA