Publicidade
FOHB

Volta dos eventos indica cenário promissor para os próximos anos

O Dia e horário dessa postagem está no final, assim como nome do autor. O tempo estimado de leitura é de 18 minutos

O segmento hoteleiro é um dos que mais se beneficiam com a volta dos eventos

Com o progresso da vacinação e a adoção de hábitos de segurança que se tornaram parte do cotidiano de todas as pessoas, os eventos presenciais voltaram a acontecer, reaquecendo diversos setores da indústria, principalmente aqueles que mais sofreram com as restrições impostas pela pandemia, o turismo, a hotelaria e a alimentação fora do lar. Entre as novidades, medidas como a presença de álcool em gel em lugares estratégicos, assentos mais distantes uns dos outros ou com bloqueio entre um e outro e a opção de acompanhar o conteúdo no ambiente digital, o chamado evento híbrido.

Publicidade
Harus 1

 

Dados levantados por um estudo da Even3, plataforma especializada na criação de eventos acadêmicos e científicos, mostraram que entre os meses de janeiro e novembro de 2021, houve crescimento de 1.800% no número de eventos presenciais. Eventos online também registraram crescimento, entre janeiro e novembro de 2021, de 350% em comparação com o ano anterior, aponta o estudo.

Volta dos eventos indica cenário promissor para os próximos anos

O bom momento dos eventos nos segmentos de turismo e hotelaria tem a ver com um certo clamor pela retomada da economia nos dois mercados, que se complementam. Como fenômeno natural, após dois anos de restrições e quarentena, o lazer disparou na frente quando o cenário deu sinais de que já era seguro voltar a frequentar resorts, parques aquáticos e destinos diversos, observados os devidos cuidados e procedimentos recomendados. A retomada do corporativo também se encontra em curso, ainda que em velocidade moderada, em parte impulsionada pelo próprio retorno das feiras de negócios, convenções de vendas e encontros de conteúdo. Eventos como a Equipotel, no final do ano passado, a WTM Latin America, em abril deste ano e a Fispal Food Service e Fispal Sorvetes, no início de junho, registraram grandes quantidades de visitantes em todos os dias de programação, movimentando a hotelaria, já que muitos expositores vêm de outras partes do País e de fora dele, assim como diversas caravanas de outros estados.

Para o acesso a todos esses eventos, foi exigida a apresentação do comprovante do ciclo vacinal, o que já é lei em alguns destinos do Brasil. Recomenda-se inclusive, que o participante esteja por dentro da legislação vigente sobre o passaporte de vacinação, que é diferente de estado para estado. Algumas observações como o uso obrigatório da máscara estão mais flexíveis, mas algumas dicas como o credenciamento digital vieram para ficar. A ferramenta evita filas e facilita o fluxo dos participantes nas atividades.

Volta dos eventos indica cenário promissor para os próximos anos

Ricardo Roman: “Com a retomada, muitos postos de trabalho retornam e a hotelaria se aquece” (Foto – Divulgação)

Ricardo Roman, Presidente da ABIH/SP – Asssociação Brasileira da Indústria de Hotéis de São Paulo, comentou o sucesso desses e outros eventos realizados na cidade de São Paulo. “Vemos com bons olhos essa retomada, com ela retomam-se muitos postos de trabalho e a hotelaria se aquece. Para se ter noção de como a confiança no setor está se recuperando, no início do ano a confirmação de um evento se dava praticamente em cima da hora, a três meses de sua realização. Hoje esse prazo está maior, os realizadores têm mais segurança e a demanda está grande”.

Publicidade
Revista Hotéis – Instagram

Para Roman, o parque hoteleiro também está apto para voltar a sediar eventos de diferentes proporções, sociais ou corporativos. “Os hotéis estão preparados, com equipamentos atualizados. O gargalo atual se encontra na mão-de-obra. Com a pandemia, diversos profissionais mudaram de ramo. Estamos trabalhando em parceria com o projeto Cerzindo (que capacita imigrantes e estrangeiros) e também com o SENAC, para sanar essa necessidade do setor”, explicou. “A ABIH São Paulo também conta com o apoio do secretário Vinícius Lummertz e de outras autoridades no sentido de abrir ainda mais o leque de possibilidades, já que essas vagas significam oportunidades que podem ser preenchidas por novos profissionais, capacitados e que precisam trabalhar”, complementou.

Roman concluiu observando que o setor corporativo – muito importante para a receita e desempenho dos hotéis – ainda deve levar um pouco mais de tempo para retomar seu ritmo definitivo. “Creio que o corporativo deve retomar com tudo em 2023. Não é só a questão da COVID-19 que entrava esse avanço e sim da malha aérea, que ainda não está cem por cento normalizada. Tudo deve voltar ao normal e ao seu ritmo em 2023”, finalizou.

Volta dos eventos indica cenário promissor para os próximos anos

Retomada dos eventos e hotéis preparados

Para Orlando de Souza, Presidente executivo do FOHB – Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil, “estamos observando uma retomada importante dos eventos, com um certo atraso do corporativo em comparação com o lazer e claro que, para destinos como São Paulo, isso traz um impacto bem significativo para rapidamente retomarmos aos níveis de ocupação do período pré-pandêmico”.

Orlando aponta ainda que, para que a hotelaria se beneficie desse movimento, “a coisa mais importante a fazer é cuidar da recuperação das diárias médias que caíram enormemente durante a crise. Nos eventos isso é ainda mais importante, pois você negocia valores de diárias para períodos futuros e com uma inflação crescente há que se ter muita inteligência comercial nas negociações de condições e preços”.

Volta dos eventos indica cenário promissor para os próximos anos

Orlando Souza “Arrisco dizer que apesar de toda tecnologia, teremos uma demanda ainda maior” (Foto – Caio Pimenta)

Souza também compartilha da opinião de que, a normalidade e o ritmo definitivo da indústria de eventos, acontecerá no ano que vem: “A expectativa é de que com a vacinação em grande escala, que certamente levará ao fim da pandemia, 2023 seja o ano de uma volta à normalidade do mercado de viagens em todos os setores. Arrisco dizer que apesar de toda tecnologia, teremos uma demanda ainda maior do que tínhamos no passado”. E completa, sobre a ‘sobrevivência’ dos eventos híbridos: “Esses formatos continuarão a ser bastante utilizados, mas serão complementares aos eventos físicos e presenciais, não haverá a substituição pura e simples de um pelo outro, o ‘phygital’ veio para ficar”.

Publicidade
Tramontina

Para concluir, Orlando destaca os próximos passos do FOHB: “O FOHB participa de eventos com seus associados e eventos do setor, como por exemplo, a Equipotel. Destaco, no entanto, o IV Fórum Nacional de Hotelaria que vamos promover no Hotel Intercontinental São Paulo, no dia 12 de setembro, em parceria com o Grupo R1. Esse fórum consolidou-se como o maior evento de conteúdo da hotelaria do Brasil e este ano será novamente um sucesso, temos certeza”.

Não cancele, adie

Com essa premissa, o trade turístico promoveu uma forte campanha para que os eventos agendados para aquele que ficou conhecido como o período mais crítico da pandemia, fossem reagendados para outros momentos. É o que explicou Toni Sando, Presidente executivo do São Paulo Convention & Visitors Bureau. Para ele, “a retomada já é uma realidade. O desafio atual é a entrega dos eventos que já estavam quitados antes da pandemia, mas que só agora estão sendo realizados, com a forte campanha do trade de ‘não cancele, adie’, possibilitando que as empresas envolvidas não tivessem que retornar os recursos aos clientes, em um momento de extrema sensibilidade econômica. O próximo passo é a realização de eventos novos, com recursos novos”.

Sando também ressaltou a importância do SPCVB como importante incentivador do setor de eventos no destino. “Esse é um dos pilares de essência do SPCVB, desde a sua criação. Para captação, a área de eventos faz um amplo trabalho de pesquisa em banco de dados de eventos do Brasil e do mundo que podem ser realizados, em uma edição futura, em São Paulo. Detectados os tomadores de decisão, é feito todo um trabalho de convencimento e articulação com a iniciativa privada e poder público para a realização em São Paulo. Quanto a promoção, seja de um evento captado, seja de um evento que já faz parte do calendário da cidade e do estado, o SPCVB promove por meio de seu calendário, disponível em visitesaopaulo.com, além de promover a agenda cultural, atrações e atrativos que os participantes podem usufruir durante sua estada”.

Volta dos eventos indica cenário promissor para os próximos anos

Toni Sando: “O desafio atual é a entrega dos eventos que já estavam quitados antes da pandemia, mas que só agora estão sendo realizados” (Foto – AndreStefano.com)

Movimento na economia

O reaquecimento do setor também traz a estimativa da ‘volta aos trilhos’ no que diz respeito a economia. “Há um cálculo da Ubrafe – União Brasileira dos Promotores de Feiras e Eventos, de que, por ano, antes da pandemia, São Paulo movimentava R$ 16 bilhões, somente na operacionalização de feiras. Há ainda a movimentação que ocorre no setor ou segmento da feira, como moda, agro, tecnologia, turismo, medicina e mais”.

Volta dos eventos indica cenário promissor para os próximos anos

Para o executivo, a hotelaria sempre teve papel relevante para o setor, sendo uma atividade essencial e complementar para o sucesso de cada evento, independente do segmento. “A hotelaria é um dos principais parceiros no trabalho da captação, apoio e promoção dos eventos. Entretanto, é preciso atenção neste período de retomada, depois de dois anos muito desafiadores, que é a manutenção da diária média em preços competitivos e sustentáveis. Depois de meses e meses com baixa ocupação, é tentador baixar o preço da diária média buscando aumentar a ocupação e recuperar o recurso perdido durante a pandemia. O turismo, com negócios, eventos e lazer, está retomando e não será a guerra tarifária que irá ser decisivo em sua evolução. E, por fim, a importância do hotel associado ao SPCVB recolher o Room Tax, que é a contribuição facultativa cobrada do hóspede por diária, que, após descontados os devidos impostos, é repassada à entidade, que converte em novas ações de captação, promoção e hospitalidade”.

Sobre projeções para o futuro, Sando afirma: “2022 está sendo o ano em que os eventos adiados se misturam com os novos eventos. 2023 será o ano em que poderemos ver um cenário mais próximo do período pré-pandemia, com um calendário normalizado, além da realização de novos eventos, como os captados e apoiados pelo SPCVB, em congressos, feiras, simpósios e conferências e grandes novidades do entretenimento, como o The Town, festival de música dos mesmos realizadores do Rock In Rio”.

Volta dos eventos indica cenário promissor para os próximos anos

Willians Lopes: “É importante frisar que a presença do público tem impacto direto das restrições sanitárias de cada cidade” (Foto – Divulgação)

Outros desafios da retomada

O São Paulo Expo, inaugurado em 2016 e consolidado como um dos principais destinos de eventos na cidade de São Paulo, também celebra o reaquecimento do setor. No entanto, Willians Lopes, Diretor geral do São Paulo Expo, ressalta em sua análise: “Antes de mais nada, é importante frisar que a presença de público teve impacto direto, claro, das restrições sanitárias em cada cidade.

A retomada na área de entretenimento, como shows, é mais rápida e ganha força desde outubro do ano passado. Já eventos técnicos e científicos e feiras de negócios precisam de cerca de um ano de planejamento e só começaram a voltar em março. A cadeia se sobrecarregou porque muitos fornecedores sumiram, pois, além de ficarem fechados, são altamente impactados pela alta do diesel e da construção. Uma feira é como um shopping pop-up (temporário). Ou seja, a estrutura envolve madeira, cabo elétrico, compensado, metalon (aço). E tudo isso subiu”.

Publicidade
Pratica

O Diretor compartilha, sobre o espaço: “O São Paulo Expo, desde sua inauguração em 2016, se tornou o destino dos principais eventos da América Latina. Esse posicionamento é resultado de um alto investimento em um Centro de Eventos completo e moderno, concebido por uma Empresa Global – GL events, que vive integralmente os eventos. Além de um Centro de Eventos único – em operação em São Paulo, a GL events trouxe ao mercado práticas comerciais que proporcionou e proporciona aos seus clientes segurança e visibilidade para os seus eventos. Desta forma, o Calendário de Eventos do São Paulo Expo possui grande parte de seus eventos confirmados que vão além de 2023”.

Volta dos eventos indica cenário promissor para os próximos anos

O São Paulo Expo é consolidado como um dos principais destinos de eventos da América Latina (Foto – Divulgação)

Aprendizado da pandemia

Para Lopes, a pandemia potencializou práticas como o evento híbrido, que teve papel fundamental para a realização de eventos durante o período mais crítico da quarentena. Porém, o Diretor explica porque os eventos presenciais ainda são mais relevantes: “Aprendemos muito nesse período tão desafiador. Não deixaremos de ter eventos no formato que o público já conhece, uma vez que há segmentos que pedem a presença, seja em uma grande feira de maquinários ou de tecidos. Não é possível comprar um produto sem vê-lo ou tocá-lo. No entanto, o online veio para ficar e servirá para complementar o presencial, por meio de conteúdos que irão enriquecer o evento”.

Willians revela que o São Paulo Expo visa sempre a modernização e atualização do equipamento: “O São Paulo Expo é composto por uma equipe de excelentes profissionais que são provocados a pensar em melhorias. Nos colocamos frequentemente no lugar dos nossos clientes, expositores e visitantes a fim de simularmos sua experiência em nosso Centro de Eventos em prol de melhorias. Respiramos Hospitalidade. Nossas melhorias vão além do bem-estar. Elas englobam diferenciais que contribuem inclusive para os nossos clientes criarem experiências para os expositores e visitantes. Temos orgulho em nos desafiarmos a sermos melhores a cada dia”.

E conclui: “É importante que os municípios fomentem a economia local, com incentivo à segmentação de negócios que impulsionem a realização de feiras, o que fixa o calendário. Um exemplo são os congressos técnico-científicos, que têm um calendário flexível, buscando destinos variados. Quando há um evento, movimenta-se muito a economia local, seja pela geração de empregos diretos e indiretos, como também para estimular a economia da cidade. A partir de um evento, mais de 50 segmentos são estimulados, entre eles transporte, hospedagem e alimentação”.

Publicidade
Soluções 1

Tecnologia, inovação e sustentabilidade

O Grupo R1, especializado em tecnologia para eventos e notoriamente consolidado nos setores de hotelaria e turismo, com parcerias com diversas redes, hotéis e outras empresas renomadas, não só investe na constante modernização e atualização dos seus equipamentos e serviços, sempre alinhado com tendências mundiais do segmento, como também desenvolve novidades como a criação da primeira Academia Gamer, totalmente voltada para esse mercado. “A iniciativa é em conjunto com a BDS – Beyond Digital Sports – e o principal propósito é capacitar jovens em 50 profissões do futuro. O mundo gamer é muito além de apenas jogos, existe todo um ecossistema por detrás, são profissionais de vários setores para fazer movimentar esse mundo que hoje já é maior que a indústria da música e do cinema juntas”, explica Rafaelle Cecere, sócio-proprietário do Grupo R1. “Dentre essas ações, iremos investir fortemente em iniciativas para jovens de comunidades, para que se capacitem e tenham oportunidades de engajar nesse mundo”, complementa.

A Academia estará aberta ao público em definitivo no mês de julho, no complexo World Trade Center, em São Paulo. “São 800m² dedicados e recheados de muita tecnologia”, afirma o executivo.

Com relação a relevância dos eventos híbridos, Cecere opina: “Acho que vieram para ficar. O presencial é insubstituível, pois o networking no caso deste evento é muito valioso, porém no que se refere a conteúdo, virtualmente conseguimos abranger com grande qualidade”.

Volta dos eventos indica cenário promissor para os próximos anos

Rafaelle Cecere: “Os eventos voltaram com força e demonstra a sua importância para pessoas e empresas” (Foto – Divulgação)

Segundo Rafaelle, “Os eventos voltaram com muita força e mostra que o setor é muito importante para todas as pessoas e empresas. Estamos trabalhando para levar ao mercado o que existe de melhor, novas tecnologias e novas empresas dentro do grupo, e outras novidades virão ao longo do ano. Sabemos que teremos muitos desafios ainda por conta da pandemia, que hora ou outra dá sinais de vida. Porém acreditamos que existe uma maturidade adquirida e passaremos rapidamente por esses sustos”.

Tradição de eventos

O Transamerica Resort Comandatuba, localizado no município de Una, no Sul da Bahia, é consolidado como destino de eventos não só na região, mas para os principais destinos emissores como São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. O empreendimento recebe diversos eventos corporativos como treinamentos, capacitações, convenções, e também eventos sociais de todas as proporções e perfis. A retomada do segmento também é uma realidade para o empreendimento, segundo revela Marcio Jean, Gerente de Alimentos e Bebidas e Eventos do complexo: “Essa retomada traz consigo uma demanda grande, há bastante procura. Só que ao mesmo tempo, temos uma grande demanda de lazer, então temos o maior desafio no encaixe dessas datas. Por isso temos feito uma campanha pela antecedência nesses pedidos e nas propostas de eventos. O mercado está muito aquecido, e ao mesmo tempo, com curva de resposta do corporativo cada vez mais curta, e isso acaba complicando nessa questão de encaixe. Temos feito esse trabalho então, para atender todo mundo”.

Volta dos eventos indica cenário promissor para os próximos anos

Márcio Jean: “Existe uma demanda grande e estamos com boas projeções para o segundo semestre” (Foto – Divulgação)

O Transamerica Resort Comandatuba celebra o bom momento com calendário de eventos que deve mesclar eventos remarcados a novas oportunidades. “Temos alguns eventos remanejados, de antes da pandemia. Temos um evento grande programado para agosto, serão dez dias de hotel fechado, e estamos mesclando com a prospecção de eventos menores, de 100, 150 apartamentos. Existe uma demanda grande e estamos em processo de negociação para o segundo semestre, com boas projeções”.

Demanda reprimida

Jean observa que o momento do mercado também é positivo devido a demanda reprimida pelos dois anos de pandemia. “Com certeza há uma demanda reprimida que vem lá de trás, com muitos eventos que não aconteceram naquele período. As pessoas e as empresas demonstram uma necessidade de fazer esse cenário acontecer, você vê campanhas que não foram premiadas, eventos de relacionamento que não aconteceram, e outros que ficaram represados. Apesar da solução remota e/ou híbrida, ainda existe essa demanda pelo presencial. Entendemos que o híbrido vai continuar, nós mesmos já realizamos eventos nesse formato, estamos preparados”.

O Centro de Eventos do Transamerica Comandatuba foi inaugurado em 2012. “São cerca de 2,5 mil m², doze salas de 40m², e um salão grande de 1,6 mil m² que pode ser modulável em quatro salas. Conseguimos atender em auditório nesses salões, até 1,6 mil pessoas. Esse salão está superior a quantidade de hóspedes que o hotel suporta, mas é justamente pensado para ter uma flexibilidade maior de montagens. As salas maiores têm pé direito de oito metros, conseguindo uma produção mais versátil”, finaliza.

Volta dos eventos indica cenário promissor para os próximos anos

O Centro de Eventos do Transamerica Comandatuba Resort está equipado para receber eventos de todos os portes (Foto – Hugo Okada)

De acordo com levantamento do Ministério do Turismo realizado após o feriado de Páscoa, os meios de hospedagem das principais cidades brasileiras apresentaram ocupação de 75%. Em algumas capitais a quantidade de leitos reservados chegou até 90%. Em Brasília, a realização de eventos e a ocupação de hospedagens também dão sinais de retomada. Para a Hplus Hotelaria, maior rede hoteleira do Centro-Oeste, os resultados deste ano já se equiparam aos números pré-pandemia. “Após dois anos de cenários incertos, podemos finalmente observar a retomada do setor. Na última semana de abril, tivemos uma taxa de ocupação de 100% em nossos cinco hotéis devido a realização de dois grandes eventos na cidade. Além do aumento na ocupação, também notamos o crescimento da procura pelos espaços para eventos”, afirma a Diretora executiva da Hplus, Ana Paula Faure.

Volta dos eventos indica cenário promissor para os próximos anos

Os hotéis da Hplus, em Brasília, celebram a boa ocupação oriunda da realização de eventos (Foto – Divulgação)

Com a movimentação no turismo da capital, surgem também novas oportunidades de trabalho. “Observamos que após o período mais restritivo da pandemia, as pessoas estão procurando no mercado de trabalho espaços para melhorias na qualidade de vida e querem trabalhar em empresas que invistam em suas carreiras e que acreditem em seu potencial, ajudando a acrescentar maior conhecimento e em seu desenvolvimento profissional nas áreas de turismo e hotelaria”, conclui a Gerente de recursos humanos, Caroline Constantino. Para ela, o equilíbrio entre profissional e pessoal está pouco a pouco mais valorizado. “Notamos que as pessoas buscam cada vez mais por empresas que possibilitem a harmonia entre a vida profissional e pessoal e dentro da Hplus promovemos isto”, finaliza. Nos primeiros quatro meses do ano a rede Hplus realizou mais de 80 contratações.

Volta dos eventos indica cenário promissor para os próximos anos

Celso do Valle: “Nosso primeiro trimestre entregou resultados acima do orçamento traçado para o período” (Foto – Divulgação)

Referência em eventos de luxo

Apesar do pouco tempo de existência, o Palácio Tangará, em São Paulo, já se tornou referência na realização de eventos de todos os perfis e proporções, com uma leve predileção para casamentos e mini-weddings, conforme explica o Diretor geral do empreendimento, Celso do Valle. “Para atrair o mercado de eventos, o Palácio Tangará, disponibiliza de um espaço inteiramente dedicado à realização de eventos, o “Tangará House”. Com acesso e valet exclusivos, o espaço conta com localização única em meio à natureza do Parque Burle Marx. São nove elegantes salões de capacidade entre 10 e 450 convidados; todos recebem luz natural e têm acesso aos terraços, com vista para o parque. A infraestrutura é completa e conta com equipamentos de alta tecnologia, tanto para reuniões corporativas, grandes conferências, ou eventos sociais, sempre com atendimento e serviços primorosos, além da gastronomia de excelência.

Volta dos eventos indica cenário promissor para os próximos anos

O terraço do Salão Cristal, no Palácio Tangará, também é utilizado para eventos (Foto – Divulgação)

O Palácio Tangará é muito procurado para grandes celebrações de casamentos ou, principalmente no período de pandemia, para mini weddings com cerca de 15 convidados. O cenário é perfeito para celebrar o momento como um verdadeiro conto de fadas. Oferecendo espaços luxuosos que incluem o grande e opulento salão Cristal, salas de jantar privativas e o magnífico terraço em meio ao verde intocado do Parque Burle Marx, cada espaço pode ser transformado de acordo com a visão e desejo dos noivos; oferecendo o glamour indiscutível de um Palácio contemporâneo e belas vistas da exuberante paisagem tropical”, detalha o gestor.

Publicidade
Clima ao Vivo

Para Celso, o reaquecimento do setor de eventos é uma realidade. “É um movimento em ascensão comprovado pelos resultados em receita e rentabilidade nos primeiros meses do ano, apontando para um 2023 promissor. Nosso primeiro trimestre entregou resultados acima do orçamento traçado para o período. E o faturamento robusto veio de todas as frentes: hospedagem, A&B (Alimentos & Bebidas) e eventos. Refinamos o diálogo com o mercado, especialmente o corporativo e do segmento MICE; sobre uma experiência única, estrutura completa e serviços de referência para a organização de eventos. Com este novo posicionamento, enxergamos uma mudança de percepção em relação ao Palácio Tangará para este público ao mostrar a versatilidade de nossos espaços”.

O Diretor destaca o desempenho do Palácio Tangará no segmento e prevê bons resultados para os próximos meses. Começamos o ano muito bem. Realizamos sete casamentos em janeiro e viramos o ano com projeção de 103 eventos marcados, dos quais 23 são corporativos e os outros 80 são casamentos. Em 2019, viramos o ano com 38 eventos confirmados, ou seja, alcançamos quase o triplo dos níveis pré-pandêmicos. Para 2023, já temos mais de 34 eventos confirmados”, finaliza.

Volta dos eventos indica cenário promissor para os próximos anos

Leonardo Di Clemente: “Nossa solução de painel de LED, que pode ser aplicada em auditórios e outros espaços, garante uma experiência mais premium, além de maior segurança ao evento” (Foto – Divulgação LG)

Soluções inteligentes

Com o crescimento do setor e com a velocidade com que se transformam as tendências, cada vez mais se faz necessário o uso da tecnologia certa para o sucesso dos eventos. Recentemente a LG inaugurou um espaço, o Business Solutions Center, na região da Barra Funda, com showroom de equipamentos de todas as linhas da marca. Visitantes podem conferir in loco, novidades como telas de LED, equipamentos para a exibição de conteúdo, tecnologia de ar-condicionado, entre outras soluções. “Os eventos têm diferentes tipos de transações, uma é o aluguel, quando os organizadores alugam equipamentos de áudio e vídeo. Por outro lado, enxergamos hotéis que já se preocupam em possuir uma estrutura mínima para que o organizador não tenha esse trabalho a mais, de gerenciar a estrutura toda. Não só eventos sociais, mas festas de empresas, convenções, workshops, e tudo o mais, sempre foi o hotel o principal destino que as pessoas buscam para a sua realização. Toda a nossa solução de painel de LED, que pode ser aplicada em auditórios e outros lugares, além de trazer uma experiência mais premium para o evento, também traz segurança. A manutenção no meio do evento é complicada. Nossa linha tem durabilidade, qualidade e isso traz mais credibilidade. Hoje para um evento, o vídeo é 40% ou 50% da estrutura, é crítico para o evento e os hotéis devem confiar em marcas que proporcionem suporte e certificações internacionais de segurança”, explica Leonardo Di Clemente, Gerente sênior de Produtos ID e B2B da LG Brasil.

Publicidade
Soluções RH

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image
Reload Image

CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA