Publicidade
Simmons

Turismo de eventos é debatido na 11ª edição do Encontro da Hotelaria e Gastronomia Mineira

O Dia e horário dessa postagem está no final, assim como nome do autor. O tempo estimado de leitura é de 2 minutos

Direto de Juiz de Fora (MG) – O Presidente do Juiz de Fora e Região Convention & Visitors Bureau, Cássio Elizio, coordenou agora a pouco um painel que abordou o tema Turismo de Eventos. O painel faz parte da grade de programação da 11ª edição do Encontro da Hotelaria e Gastronomia Mineira que se encerra hoje no Centro de Convenções do Independência Trade Hotel e Eventos, em Juiz de Fora. Elizio contou com a presença de seis profissionais ligados a eventos nas áreas de hotéis, conselhos de entidades, receptivo. E para iniciar o painel, Elizio apresentou alguns dados para ilustrar a importância que o turismo de eventos representa no Brasil, movimentando R$ 209,2 bilhões em 2014, o que equivale a 4,3% do PIB brasileiro, gerando R$ 48,7 bilhões em impostos, 7,5 milhões empregos diretos e teve 590 mil eventos no Brasil.

Entre os painelistas estava Gio Ahmad, Gerente Comercial & Marketing do Victory Business Hotel de Juiz de Fora que foi enfático em dizer: “Um hotel que for construído sem ter um centro de eventos já nasce morto. Todo hotel tem de ser vocacionado a receber eventos, pois é ele que muitas vezes alavanca a taxa de ocupação, ajuda a combater a sazonalidade e garante a rentabilidade necessária que o empreendimento necessita para se manter competitivo no mercado”.

Ana Maria Diniz Braga, Presidente da ABEOC/MG – Associação Brasileira das Empresas de eventos destacou que Minas Gerais está muito atrás no Brasil na captação de eventos internacionais e que para mudar este quadro, é necessário investimentos para descobrir a real vocação de cada região. “Pelo fato de Belo Horizonte ser muito forte na área educacional, devemos atrair eventos focados ao conhecimento, trabalhar isto e vender esta imagem. A vocação de Belo Horizonte também se estende a área da biotecnologia, siderurgia e ambiental. São nichos muito promissores e isto é um diferencial competitivo”, assegura Ana Maria.

Como Juiz de Fora é um pólo de cervejas artesanais, reunindo atualmente oito marcas, foi criado o Circuito Turístico Caminho Novo e através do projeto “Beer Tour” Juiz de Fora foi apresentado como caso de sucesso a empresários do ramo de cervejarias artesanais das cidades de Blumenau, Pomerode, Indaial, Gaspar e Timbó, municípios de Santa Catarina (SC). “Mesmo em terra com forte tradição cervejeira, conseguimos levar nossos conhecimentos e surpreendeu o mercado catarinense com nossos roteiros das cervejarias artesanais”, explicou Thais Lima, Diretora executiva do Circuito Turístico Caminho Novo. Para a presidente do Circuito Turístico Caminho Novo, Danielle Feyo, a apresentação da iniciativa realizada em Juiz de Fora mostra que o trabalho do Circuito, pensando na organização e integração da cadeia produtiva do turismo, já está despertando interesse em outras regiões. “Unir entidades é de vital importância para alavancar turismo seja ele de lazer, de eventos ou de outros setores”, conclui Elizio.

Publicidade
Anuncie conosco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image
Reload Image
CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA