AconteceuÚltimas Notícias

Tendências do mercado de lazer foram analisadas no Hotel Trends

O Hotel Trends Conference – Budget 2023, evento promovido pelo portal Hôtelier News com apoio institucional do FOHB – Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil, no Novotel Morumbi, em São Paulo, prosseguiu a sua programação com a palestra “Tendência para o mercado de lazer e de resorts”, ministrada por Patrícia Zulato, Country manager da STR, e que expôs o bom momento do setor e como esse movimento deve se expandir para além de 2023. Participaram da bancada, Alessandra Nascimento e Pedro Cypriano.

Publicidade
Banner do SPCVB

Patrícia começou compartilhando informações sobre a STR, que coleta informações sobre a hotelaria em nível mundial. “Hoje em nível Brasil, recolhemos informações de 844 hotéis, sendo 39 resorts. Todas as regiões estão com 80% da ocupação de 2019 já recuperada. Quando colocamos o Brasil, vemos o País recuperando na frente em relação aos outros destinos. Saímos na frente em ocupação em relação a 2019. Em diária média nominal, o mundo inteiro já retomou com exceção da Ásia. E o Brasil mais uma vez liderando a recuperação, agora em diária média. A demanda norte-americana volta a sua normalidade gradativamente também. O segundo semestre desse mercado tem tendência forte para grupos de eventos, que é uma demanda muito reprimida lá fora. A inflação vem impactando o bolso de quem viaja pelo país e quem investe. Indo pra Europa, em termos de ocupação, ainda não recuperou sua ocupação na totalidade.

Participaram da bancada, Alessandra Nascimento e Pedro Cypriano

Já em termos de diária média, a Europa já recuperou praticamente em todo o continente. O fim do verão traz uma desaceleração desse movimento e a partir de novembro, entramos em um escuro em relação ao que deve acontecer. No Brasil, a reabertura das fronteiras, o aumento das tarifas aéreas e a inflação, começa a amortizar o movimento de retomada. As categorias superiores, como o luxo, vem desacelerando um pouco mais, em relação as outras, que vêm ganhando tração. De modo geral, a diária média real está 6% abaixo de 2019. As cidades com perfil mais corporativo estão retomando gradativamente com destaque a Barra da Tijuca, com a demanda off-shore sendo destaque para o setor. Quando analisamos o RevPar, vemos a mesma dinâmica do mercado corporativo e dos mercados que mesclam o corporativo e o lazer. Em São Paulo, os finais de semana começam a superar 2019, com os dias de semana permanecendo abaixo. A diária média dos dias da semana está 5% abaixo de 2019. No Rio de Janeiro, ambos índices (dias da semana e finais de semana) tiveram incremento de 80% em relação a 2019.

Publicidade
Harus
Resorts em alta

Falando em resorts e lazer, Patrícia comentou: “Até o momento os resorts continuam com tudo, com incremento de 20% em termos de diária média real e ocupação com +10%. A ocupação está totalmente recuperada e a proximidade do mercado emissor tem contribuído com os resorts do interior. Essa é uma retomada que foi expressiva para o setor. Temos sentido que os resorts do Nordeste tem desacelerado mais do que os do sudeste. Os empreendimentos do Nordeste não conseguem captar eventos para o destino devido a alta tarifária do aéreo. A preocupação com o aumento dos custos das viagens tem sido a principal barreira para o planejamento das futuras viagens no mundo”.

Tendências do mercado de lazer foram analisadas no Hotel Trends
Comparativo da taxa de ocupação do mercado norte-americano e do Brasil apresentado nesse slide da palestra de Patricia Zulato
Publicidade
Tramontina
Dados do mercado norte-americano

Patrícia Zulato mostrou alguns dados dos mercados norte-americano e europeu. “Nos Estados Unidos se trabalha com a recuperação total em 2025, enquanto a Europa, 2023. Isso demonstra otimismo parecido com o que vemos no Brasil. Alguns take aways desse estudo são:
– Mundo – a recuperação da Diária Média mundial vem na frente da recuperação em Ocupação;
– Há uma preocupação mundial com o aumento do custo das viagens por conta da inflação global;
– EUA – grande expectativa pela retomada de grupos fortemente agora no segundo semestre;
– Europa – ainda é incerto como deve se comportar a ocupação nos próximos meses após o final do verão;
– Brasil – Ocupação no Brasil está desacelerando nos últimos dois meses, e o segmento de luxo e upper upscale é o que vem sentindo mais;
– Corporativo no Brasil está progredindo mês a mês nas capitais.

Publicidade
Desbravador

Patrícia também comentou, ainda sobre o desempenho do segmento de resorts: “O que se relata é que não está tendo grande procura. Enquanto o Nordeste vem passando por essa desaceleração, o Sudeste mantém, com a retomada do lazer com o corporativo, realização de eventos, entre outros. As tarifas fazem crescer a resistência na realização de eventos e consequentemente, o crescimento do corporativo na região Nordeste”.

Tendências do mercado de lazer foram analisadas no Hotel Trends
Esse slide apresentado por Patrícia Zulato, mostra a recuperação da hotelaria no mundo

Sobre a hotelaria urbana, Patrícia comentou em relação a diária: “Entendo que deve haver readequação da diária. O crescimento do luxo foi significativo. Mas não é sustentável a longo prazo, sendo diluída para outros segmentos. Acredito qua essa readequação de demanda deve contribuir para o equlíbrio da diária média”.

Patrícia Zulato finalizou sobre o mercado global: “O mercado norte-americano por exemplo, nos últimos quatro meses teve margem de lucro estável. Como a gente, eles também lidam com inflação e outros desafios”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA