Publicidade
Unilever

Tecnologia é peça fundamental nos novos padrões de limpeza

Por conta da pandemia, alguns procedimentos de limpeza que antes eram parte de um pacote geral como carpetes e estofados, ganham destaques exclusivos

É muito comum quando pensamos em tecnologia lembrarmos de celulares, videogames, aparelhos de televisão ou computadores. Mas você já parou para pensar que a tecnologia também pode ser – e vem sendo – um braço direito no setor de limpeza e higienização? Fazendo uma pesquisa, podemos encontrar soluções para purificação do ar, aparelhos que consomem menos água, softwares que deixam a programação do ambiente no automático, além dos robôs que limpam pisos, aspiradores de pó e as famosas máquinas de ozônio. Não se trata apenas do futuro, isso já existe e está cada dia mais presente nos hotéis, cruzeiros, hospitais, aviões e em diversos segmentos.

Publicidade
Retomada do turismo

 

Tecnologia é peça fundamental nos novos padrões de limpeza

Pandemia do coronavírus foi fator fundamental para intensificar o uso da tecnologia no segmento (Foto: Geralt – Pixabay)

Como já é de se imaginar, a pandemia do novo coronavírus ajudou acelerar este processo, isso porque a higienização correta de ambientes e superfícies pode ser uma das principais medidas para conter o avanço de doenças. Por conta também do isolamento social, alguns pontos dos ambientes precisam de atenção redobrada, e a tecnologia pode fazer este serviço mesmo sem a presença de um humano no local.

Pensando neste lado, Gabriela Fontanelli, Gerente de Marca da Nextool, explicou como a tecnologia pode ajudar nesta retomada. “Desde o início da pandemia, as pessoas foram obrigadas a adotar novos hábitos de limpeza e a tendência é que esses hábitos mais rigorosos continuem mesmo após o término desta situação. A busca por conhecimento na área de sanitização também tem aumentado. A tecnologia baseada na utilização do gás ozônio se mostrou uma das mais eficientes, de utilização relativamente simples e preço acessível.

Publicidade
Harus

Esta combinação de fatores está fazendo com que a oxi-sanitização deixe de se restringir à área médica (hospitais, ambulâncias, consultórios) e passe a virar rotina na higienização de locais com grande fluxo de pessoas ou até mesmo em residências. A tecnologia do ozônio é indicada para utilização em ambientes fechados, previamente limpos e é uma forte aliada no combate à micro-organismos e partículas suspensas no ar e em superfícies de ambientes, como veículos, quartos de hotéis, salas de espera, leitos de hospitais, embarcações, bares, tabacarias, residências, pet shops, cinemas, shoppings, escolas, academias, entre outros”, diz.

Tecnologia é peça fundamental nos novos padrões de limpeza

A Nextool oferece geradores de ozonio profissionais (Foto: Divulgação)

Purificação através do ozônio

Como foi introduzido pela Gabriela Fontanelli, os geradores de Ozônio garantem ambientes mais seguros, e são a etapa final do processo de sanitização que garante a purificação do ar e ambientes esterilizados, de acordo com a orientação da Anvisa, Resolução 09/2003 – padrões referenciais de qualidade do ar interior em ambientes climatizados artificialmente de uso público e coletivo.

Vantagens e Funções exclusivas dos geradores de Ozônio Nextool:

– Bivolt automático (110/220V), conecte à rede elétrica e ligue sem se preocupar com o seletor de tensão, evitando a queima ou problemas por tensão errada.

– 2 ventiladores, melhora o espalhamento do gás Ozônio pelo ambiente.

– Painel digital e timer programável, é possível programar o tempo de aplicação entre 1 e 30 minutos através do display de led.

– Contagem regressiva de fim de ciclo, saiba quanto tempo falta para finalizar a aplicação.

– Contador/totalizador de operações, tenha o controle de quantas aplicações foram realizadas, preciso e ideal para locação do equipamento.

– Robusto, portátil e simples de utilizar (4,0kg – 18,5 x 28 x 23 cm)

– Equipamento muito potente (60W) e eficaz contra odores e micro-organismos (geração de ozônio: 10g/h)

– São produtos ecologicamente corretos pois não utilizam nenhum tipo de produto químico, não deixam resíduos e tem baixo consumo de energia.

– Os Geradores de Ozônio Nextool possuem laudos de eficácia microbiológica emitidos por laboratórios acreditados pelo INMETRO e certificados pela ANVISA.

– Com manual, garantia e Assistência Técnica permanente localizada em São Caetano do Sul-SP.

– Fabricante nacional, há mais de 10 anos no mercado.

Publicidade
RAP Engenharia

Tecido antiviral

A população está mais atenta com a forma que colchões, tapetes, almofadas, travesseiros, sofás, bichinhos de pelúcia e roupas de cama estão sendo limpas e higienizadas. Isso se dá por conta da bandeira que a COVID-19 levantou. Além da pandemia que abalou o mundo, outras doenças alérgicas ganharam mais importância como rinite, asma, conjuntivite alérgica e dermatite atópica.

A Teka trouxe para o segmento hoteleiro um produto antiviral (Foto: Divulgação)

Com foco no novo coronavírus, a Teka Profiline traz ao segmento hoteleiro seu tecido antiviral, que inativa o vírus da COVID-19 com eficácia de 99,99% por mais de 50 lavações industriais. O produto foi desenvolvido com tecnologia brasileira e vai contribuir para a retomada das atividades do setor com toda a segurança necessária.

A opção antiviral é oferecida em um tecido 200 fios misto, que recebe um tratamento exclusivo com o aditivo Protec-20. A proteção é aplicada durante a produção do tecido e possui todos os parâmetros e processos controlados, eliminando também demais bactérias que possam aderir às roupas de cama.

Tecnologia é peça fundamental nos novos padrões de limpeza

Esse lançamento da Teka garante eficácia de 99,99% contra o novo coronavírus

Márcio Hoffmann, Diretor Comercial da Teka Profiline, ressalta que mais uma vez a Teka se coloca como protagonista no ramo têxtil e passa a oferecer uma solução muito importante para garantir que todos os hóspedes possam voltar a utilizar os serviços da rede hoteleira. “O tecido antiviral tem eficiência comprovada contra a COVID-19 e vai proteger também os colaboradores que atuam diretamente na higienização das roupas de cama. Nosso time de especialistas trabalhou com muita dedicação e carinho para trazer essa grande novidade ao mercado, e estamos certos de que esse é um marco para o segmento hoteleiro”, destaca.

Tecnologia é peça fundamental nos novos padrões de limpeza

A tecnologia utilizada no tecido é 100% brasileira (Foto: Free-Photos – Pixabay)

O composto utilizado no novo tecido antiviral Teka Profiline é uma tecnologia 100% brasileira, desenvolvida por uma empresa catarinense, na qual o aditivo Protec-20 é responsável pela eliminação das categorias de vírus envelopados e não envelopados. Esse diferencial age de forma rápida, garantindo a proteção de hóspedes e colaboradores.

Os testes aplicados no desenvolvimento do tecido antiviral foram realizados por um laboratório credenciado e certificado pelos órgãos responsáveis, seguindo a ISO 18184. O Diretor ainda ressalta que essa criação é mais um passo da ajuda da tecnologia no segmento. “Sim (tecnologia faz parte deste cenário). Prova disso é o tecido antiviral que estamos lançando com foco no segmento hoteleiro. Com essa novidade exclusiva Teka, não apenas os hóspedes poderão desfrutar de uma estadia mais segura, como também os colaboradores poderão ter mais segurança no desempenho de suas funções”, aponta.

Carpetes e estofados

Minúsculos e invisíveis, os ácaros são responsáveis por diversos tipos de doenças, como já foi dito. Muito por essa razão, Paulo Jubilut, CEO da milliCare Brasil, entende que as manutenções de boa parte desses materiais devem ser tratadas de forma exclusiva, não dentro de um combo geral de limpeza. “É fundamental revisitar as tecnologias disponíveis, ignoradas ou subutilizadas antes da pandemia e aplicá-las. Carpetes e estofados, por exemplo, geralmente, são um tópico embutido nos serviços gerais de limpeza, quando, na verdade, deveriam ser tratados como um serviço independente, com retranca própria, justamente porque demandam uma tecnologia específica para sua correta manutenção e higienização. Esta tecnologia existe e é fruto da pesquisa e desenvolvimento de metodologias e produtos patenteados que garantem a eliminação de mais de 90% dos vírus e bactérias das superfícies tratadas – comprovada por laudos laboratoriais -, reduzem o consumo de água e energia e o período de inatividade dos ambientes higienizados. Em resumo, tecnologia que garante a biossegurança, sustentabilidade e otimização do tempo em empreendimentos com grande rotatividade como o caso dos hotéis. Incorporar definitivamente esta tecnologia na rotina de limpeza e conservação dos ambientes corporativos, comerciais e hoteleiros é parte essencial do “novo padrão de limpeza”, que, de fato, não é novo, é, apenas, pouco utilizado”, afirma.

Tecnologia é peça fundamental nos novos padrões de limpeza

Este sistema mantém as fibras do carpete conservadas (Foto: Divulgação)

Com essa visão, a milliCare Brasil desenvolveu um sistema para os cuidados dos carpetes dos empreendimentos. “O sistema de higienização a seco milliCare utiliza uma tecnologia exclusiva e patenteada que limpa, higieniza e, ainda, mantém a aparência e a vida útil do carpete por muito mais tempo preservando assim seu patrimônio/investimento. Isto porque utiliza um polímero – partícula sintética – que baseado na tecnologia de “adsorção” atrai e retém a sujidade do carpete, inclusive as micropartículas que são difíceis de serem extraídas só com o processo de aspiração. É esta capacidade de aglutinar a sujeira em torno do polímero “partícula milliCare” que permite assegurar a higiene e limpeza. A tecnologia milliCare está cientificamente comprovada pelo projeto de pesquisa desenvolvido na Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo”, diz Jubilut.

Também pensando em auxiliar os empreendimentos, a EFA disponibiliza ao mercado tecnologias que limpam e descontaminam superfícies e ambientes. Henrique Noel, Sócio diretor da empresa, comenta sobre o produto. “Nosso diferencial está em disponibilizar ao mercado tecnologias que sanitizam, limpam e descontaminam superfícies e ambientes. Através da EFA System e do Clean Air EFA – Sistema de Oxi-sanitização, a EFA pontua um novo conceito de limpeza e descontaminação aliados a tecnologia, praticidade e otimização de custo e tempo, com segurança durante o processo.

A EFA System tem eficácia comprovada na purificação e aromatização do ar, eliminando ácaros, fungos e bactérias, limpando e higienizando de forma completa, agregando valores em limpeza e descontaminação. O Sistema de Oxi-sanitização realizado pelo Clean Air EFA possui a mais avançada tecnologia para sanitização efetiva de ambientes. Inativando vírus e micro-organismos, matando bactérias, fungos, mofos e ácaros. Elimina odores, mesmo que impregnados.  O Clean Air EFA é bivolt automático, função liga e desliga com ajuste de tempo. Não requer troca de refil ou limpeza de filtros. Resulto imediato com liberação de ozônio no ambiente, capaz de chegar em locais onde a limpeza tradicional não chega”.

Tecnologia é peça fundamental nos novos padrões de limpeza

A EFA System tem eficácia comprovada na purificação e aromatização do ar, eliminando ácaros, fungos e bactérias (Foto: Divulgação)

Segundo Noel, tudo isso acontece graças a ajuda da tecnologia que auxilia na limpeza profunda. “A tecnologia facilitou e melhorou a vida da humanidade em muitos aspectos, e na limpeza não podia ser diferente. O mundo vem evoluindo tecnologicamente em uma velocidade surpreendente, porém quando falávamos de limpeza, higienização e descontaminação a história não era bem essa. Comprovadamente estamos mudando esse padrão, já ultrapassado. Hoje com a tecnologia, é possível fazer a higienização e sanitização, ou seja, uma limpeza profunda e eficaz. Isto acontece por meio de um processo continuo e comprovado de limpeza e higienização, menor custo e risco, além da qualidade de vida e saúde”, diz.

Qualidade do ar

A renovação do ar é regulamentada pela Norma Brasileira NBR 16401-3, exigindo a ventilação e circulação do ar, além da diluição do ar no interior do ambiente, evitando a concentração de poluentes nocivos à saúde, o que pode gerar dores de cabeça e fraqueza. No setor hoteleiro alguns momentos exigem o máximo cuidado e atenção, pois é necessário a descontaminação correta desses ambientes, tanto na recepção de novos hóspedes como na abertura ou limpeza de um quarto, por exemplo.

A BioGuard tem como diferencial nos produtos a agilidade de seu funcionamento e na eficácia no processo de higienização, que elimina germes, bactérias, fungos e vírus de forma rápida e segura. Esse processo pulveriza uma névoa com gotículas de desinfetante, que eliminam organismos nocivos à saúde, tanto do ar quanto da superfície.

Tecnologia é peça fundamental nos novos padrões de limpeza

A BioGuard oferece ao mercado uma tecnologia capaz de neutralizar metros cúbicos de ambientes (Foto: Divulgação)

O método permite mais segurança para todo o empreendimento e às pessoas que ali circulam, seja nos quartos ou áreas comuns, o que será fundamental, especialmente com a chegada da alta temporada de verão, quando os hotéis brasileiros ficam bastante cheios e podem operar com a máxima segurança possível e menor custo. A garantia de ação da tecnologia da BioGuard foi atestada pelo Laboratório Eurofins, especializado em ensaios bio-analíticos. O processo garante a descontaminação de 99,99% de vírus, germes e bactérias, incluindo o novo coronavírus (COVID-19). “Sabemos que, aos poucos, as pessoas estão retomando suas rotinas e já planejam férias e dias de folga com a chegada das festas de fim de ano, mas esse não é o momento de baixar a guarda para os cuidados com a saúde que, inclusive, devemos adotar por toda a vida, a fim de evitarmos novos surtos e pandemias”, comenta André Tchernobilsky, Engenheiro e CEO da BioGuard.

Diferenças entre sanitização e higienização

Engana-se quem pensa que sanitização e limpeza fazem parte do mesmo processo. Daniel Nogueira Gontijo, Diretor de Marketing Maxmaq, faz uma análise sobre as diferenças de cada um. “Primeiramente é importante diferenciar os conceitos de limpeza e sanitização de ambientes. A limpeza é um conjunto de processos muito importante para a retirada mecânica de sujidade (Pó, gordura, material orgânico e mineral em geral) das superfícies.

A Sanitização é um processo químico de redução aos menores níveis possíveis, que chegam muito próximo de zero, a quantidade de microrganismos em um ambiente. A Limpeza foi evoluindo ao longo dos anos com o desenvolvimento de novos materiais sintéticos, aspiradores a vácuo, novos produtos e técnicas. Mas hoje já não é mais o suficiente. Uma boa limpeza sem um bom acabamento não é capaz de garantir um ambiente seguro. Para tal é preciso lançar mão de tecnologias que garantam um ambiente livre de vírus, bactérias e odores de mofo. E isso precisa ser feito, em escala comercial, de forma rápida e com ganho de eficiência. O que precisamos é uma aliança entre equipamento, produto e técnica (aplicador)”, afirma.

Atomizadores eletrostáticos

Falando sobre um produto que faz parte da Maxmaq, Gontijo apresenta um produto atômico capaz de limpar sem perder o efeito a longo prazo. “Temos hoje equipamentos atomizadores eletrostáticos importados que garantem a cobertura total de um quarto de 25m² em 30 segundos. E o melhor, sem encharcar o ambiente colocando móveis, tecidos e equipamentos eletrônicos em risco. Os atomizadores (ou nebulizadores eletrostáticos a frio) são diferentes de pulverizadores pelo nível da quebra de partículas. Pulverizadores fazem gotas grandes e encharcam o ambiente, além de gastar muito produto. Nebulizadores a frio economizam produto e reduzem drasticamente a chance de encharcar um ambiente. Aliando o equipamento a um produto de tecnologia atômica que adere a superfície por ligações covalentes deixando-as protegidas 24h por dia, 7 dias por semana, por até 12 meses protegidas contra vírus, fungos e bactérias tem se um ambiente realmente seguro. Esta tecnologia atômica permite que as superfícies sejam lavadas, com a limpeza comum sem perder o efeito de longo prazo”, diz.

Tecnologia é peça fundamental nos novos padrões de limpeza

Este produto da Maxmaq permite limpeza sem perder os efeitos de longo prazo (Foto: Divulgação)

Diferenciais:

– Reduz custo operacional: Poucos segundos por cômodo poucas vezes ao ano para ter total proteção;

– Reduz custo com produto: O Atomizador Eletrostático reduz em mais de 60% o uso de produtos sanitizantes comparado a técnicas comuns;

– Reduz riscos: O produto quando bem aplicado elimina vírus e bactérias protegendo funcionários e clientes. Além do que é um potente antimofo. Com somente uma aplicação, bem feita, elimina-se o risco de mofo e bolor por até 12 meses. Isso é um grande valor para o mercado hoteleiro com certeza já que não terão reclamação de odores e nem de problemas respiratórios;

– Aumenta receitas: Um trabalho bem feito e bem divulgado aumenta a credibilidade. Muitos estabelecimentos colocam adesivos com QR codes que levam para páginas explicativas sobre a tecnologia deixando os clientes (no caso hóspedes) mais tranquilos.

– Pode ser usado em redes sociais e demais canais de divulgação para reafirmar o cuidado dos hotéis para com os hospedes se tornando uma poderosa ferramenta de marketing;

Combate profissional

Pensando nesses diferenciais, o Diretor explica qual é o resultado final esperado. “Nossa função é desmistificar o combate profissional aos microrganismos, neste momento temos o COVID-19 mas, no futuro, quem sabe? Com o sistema que implementamos conseguimos deixar o controle na mão dos empreendimentos e dar toda a visibilidade para seus clientes saberem que estão se importando e tomando medidas de precaução, afinal, como é algo invisível aos olhos humanos, precisamos comunicar. O que a Maxmaq oferece é um tripé que envolve maquinário, produtos e treinamento. Todos de altíssimo nível que, sem dúvidas, irá ajudar os hotéis, navios, restaurantes e etc a reduzirem custos e oferecer uma experiência completamente diferenciada aos seus clientes Com simplicidade operacional e muita tecnologia envolvida”.

Não é uma hipótese e sim um fato. Os clientes dos hotéis, cruzeiros, aviões estão mais exigentes. Gabriela Fontanelli, da Nextool, fez um balanço deste novo momento. “Em geral os clientes estão mais exigentes em relação a limpeza, principalmente no atual contexto em que estamos vivendo. O público, com razão, exige cada vez mais informações, garantias e comprovações de eficácia dos produtos e procedimentos a fim de confiar no serviço prestado. Com o repentino crescimento de demanda na área de sanitização, surgiram muitas empresas e prestadores de serviços oferecendo soluções que não seguem os devidos protocolos, resoluções da ANVISA, nem possuem nenhum tipo de laudo que comprove sua eficácia microbiológica. Por este motivo, a Nextool se preocupa em oferecer a seus clientes laudos de eficácia microbiológica emitidos por laboratórios acreditados pelo INMETRO e certificados pela ANVISA, assim como explicações, instruções e suporte pós-venda para que o consumidor tenha total confiança de que nosso produto cumpre o propósito a que se destina”, esclarece.

A Teka também acredita que este cenário traz mudanças e atenção redobrada dos clientes. “Sim, em função da pandemia os hóspedes estão mais atentos às questões relacionadas à higiene e limpeza. Portanto, será fundamental que o setor esteja preparado para atender essas expectativas, com produtos e serviços diferenciados que estejam de acordo com esse novo comportamento”, diz Marcio Hoffmann.

Paulo Jubilut, da milliCare Brasil, também opinou sobre ao assunto e comentou sobre os novos sensores do monitoramento da qualidade do ar da empresa. “Com certeza clientes já estão mais exigentes com relação à limpeza tanto em hotéis, bares e restaurantes como em ambientes corporativos e comerciais. A biossegurança, onde a limpeza é protagonista, ganha o mesmo status do conforto e atendimento. Não basta, mais, executar: o gestor terá que mostrar como foi feito e contar com um fornecedor que possa ser seu consultor e especialista, assegurando a entrega ao hóspede. Neste sentido a milliCare já atua, finalizando os testes para a instalação de sensores de monitoramento da qualidade do ar interno cujas informações poderão ser disponibilizadas para o cliente, para sua maior segurança, o que deverá ser um importante diferencial de competitividade”, destaca.

Henrique Noel já vê que toda essa nova fase que estamos vivendo não permite apenas limpezas da forma antiga e sim com mais precisão, o que faz os clientes mais atentos e exigentes. “O “novo normal” é agora, já está acontecendo. Não cabe mais dizer que um ambiente limpo se faz com vassouras, paninhos e produtos químicos… não basta. O mercado evoluiu. A tecnologia demorou para chegar na área de serviço, mas chegou. Os clientes já cobram isso antes mesmo do check in. A cada dia o cliente se faz mais exigente quando o assunto é higienização, descontaminação e eliminação de risco comprovadamente”, aponta.

Treinamentos constantes

É natural que com novos procedimentos, adaptações aos funcionários sejam necessários para que tudo ocorra de forma segura e correta, como explica Paulo Jubilut: “A introdução de toda e qualquer nova tecnologia e metodologia deve ser repassada aos colaboradores por meio de apresentações e/ou treinamentos práticos. O treinamento é a chave para o bom desempenho de qualquer tarefa. No caso da milliCare, a equipes de limpeza internas são esclarecidas quanto a metodologia e treinadas quanto ao uso correto do kit Capture-milliCare para remoção de manchas e na plataforma milliClick”, reforça.

Já Daniel Nogueira Gontijo, da Maxmaq, concorda em relação aos treinamentos, mas acredita que as empresas devem simplificar o trabalho para os clientes. Sim, porém é importante que os fornecedores destas tecnologias, como a Maxmaq, por exemplo, estejam atentos à realidade dos estabelecimentos. Uma das principais características de uma tecnologia funcional é a simplicidade operacional. Como exemplo o iPhone: altíssima tecnologia, intuitividade no uso. É isso que buscamos oferecer para nossos clientes: tecnologia de ponta com simplicidade, eficiência e alto valor agregado. Pensamos nos clientes dos nossos clientes em primeiro lugar. O treinamento continua sendo parte muito importante, porém tornamos muito mais acessível e simplificado podendo muitas vezes ser feito com um simples vídeo”, diz.

Tecnologia é peça fundamental nos novos padrões de limpeza

Novas medidas de limpeza exigem adaptações dos funcionários (Foto: Pixabay /pascalhelmer)

Henrique Noel, Sócio diretor da EFA, opinou que tudo vem acontecendo de forma muito natural pelas novas exigências. “O momento já nos colocou um novo protocolo em relação ao assunto, mas tudo já está acontecendo, diariamente, de forma gradativa. Ninguém mais se assusta com a chegada de novas tecnologias. A surpresa se deu com o fato de estar acontecendo em relação a higienização e limpeza. Nós já estamos adaptados ao novo conceito. É uma tendência as pessoas se preocuparem mais com uma limpeza mais profunda do ambiente em que vivemos. A proliferação de ácaros e o aumento gradativo da poluição do ar causa vários problemas respiratórios. Então, acredita-se que cada vez mais as pessoas invistam em produtos que solucione esses problemas”, conclui.

Publicidade
Trofeu Fornececor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image
Reload Image

CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA