Publicidade
Pikolin

Taxa de ocupação hoteleira nos Estados Unidos continua crescendo

O Dia e horário dessa postagem está no final, assim como nome do autor. O tempo estimado de leitura é de 1 minuto

A STR, uma das empresa mais atuantes no mundo em consultoria imobiliária, acaba de divulgar um estudo mostrando o desempenho dos hotéis nos Estados Unidos. O índice tem muito ver com a crescente imunização da população contra a COVID-19. Segundo esse estudo, na semana de 30 de maio a 5 de junho, a ocupação média foi de 61,9%, mas representa uma queda de 14% em 14% em 2019. A diária média foi de US$ 123,49 (queda de 6,7%) enquanto a receita por quarto disponível foi de US$ 76,44 (queda de 19,7%). Cada uma das três principais métricas de desempenho foi a mais alta da era pandêmica.

Publicidade
SPCVB

Publicidade
Equipotel 2021

Principais Mercados

Entre os 25 principais mercados, Miami viu os maiores aumentos ao longo de 2019 em cada uma das três principais métricas de desempenho: ocupação (aumento de 9% para 77,1 por cento), ADR (aumento de 69,1% para US $ 257,24) e RevPAR (aumento de 84,2 por cento para US $ 198,30). Tampa (Flórida) teve aumento de 1,6% para 74,2% e foi o único outro mercado top 25 a relatar um ganho de ocupação ao longo de 2019. Tampa reportou o segundo maior aumento em relação a 2019 tanto na ADR (aumento de 21,8% para US$ 148,13) quanto no RevPAR (aumento de 23,7%, para US$ 109,96).

Publicidade
Onity

Já a cidade de Boston viu o declínio mais acentuado na ocupação em comparação com 2019 (queda de 45,2% para 47,7%). On RevPAR teve queda de 69%, para US$ 64,57  e São Francisco/San Mateo registrou queda de 68,1%, para US$ 70,28.

Publicidade
Altenburg

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image
Reload Image
CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA