HOME Matérias Aconteceu Sistema S é detalhado por Alexandre Sampaio, presidente da FBHA, no Conotel

Sistema S é detalhado por Alexandre Sampaio, presidente da FBHA, no Conotel

92
0
SHARE
Alexandre Sampaio (Foto: Hugo Okada)

Direto de Goiãnia (GO) – Alexandre Sampaio, presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação – FBHA, foi o segundo palestrante do Conotel 2019 nesta quinta-feira (9) no 61º Conotel – Congresso Nacional de Hotéis, em Goiânia.

Sampaio começou sua palestra sobre o Sistema S explicando a Função Social do Sesc e Senac. “No sistema Senac, provemos não apenas formação especifica como de último grau e pós-graduação. Os mecanismos internos de conselho devem ser melhorados, e o recurso para isso, provém dos bolsos dos empresários, que devem ter a percepção clara do uso desses recursos. A partir de agora, prestaremos contas a órgãos do executivo ligados ao Ministério da Economia”, explicou.

O Sesc, segundo Sampaio, possui 587 unidades fixas e 151 unidades móveis. São atualmente, 5,8 milhões de clientes com o Cartão Sesc e 4,3 milhões desses com renda inferior a três salários mínimos. Outros números mostram que o Sesc prove a população com 367 bibliotecas, 435 espaços culturais e 830 mil inscrições em cursos, palestras e oficinas, além de 213 escolas com 67 mil alunos na educação básica e 15 mil na educação de jovens e adultos.

Cursos

Sobre a colaboração da entidade no Turismo e Hotelaria, Sampaio afirmou que o curso de hospitalidade “é um curso que exige laboratório e por isso é um curso que demanda maiores investimentos e depende de adesão. “O Senac forma profissionais de excelentíssima qualidade”, disse o executivo.

Na educação profissional, o Senac atua com aprendizagem profissional, aperfeiçoamento, qualificação profissional e programas instrumentais, socioprofissionais e socioculturais. “No Rio de Janeiro, temos uma unidade que forma profissionais de baixa renda. Essas pessoas não pagam nada. Hoje, temos um programa para essa unidade que leva alunos de São Paulo, com todos os subsídios arcados pela entidade. Esses alunos, além do curso gratuito, recebem hospedagem, alimentação e podem visitar a família na cidade natal uma vez ao ano”, explicou Sampaio.

Turismo

Alexandre Sampaio afirmou ainda sobre o Senac: “É reconhecido como um dos melhores espaços de formação profissional da Indústria do Turismo em todo o mundo”. A qualificação profissional engloba lazer, gastronomia, hospedagem, eventos e turismo. “A infraestrutura disponível conta com 317 laboratórios pedagógicos com oferta de títulos em 27 Estados e cinco unidades especializadas em 53 cursos específicos”, complementou.

A produção e disseminação de tanto conteúdo é publicada pelas editoras da entidade, que já dispõem de mais de 200 títulos, disponíveis nas livrarias de todo o País. Ainda de acordo com Sampaio, “os Fóruns Setoriais e os serviços sociais autônomos e o modelo de financiamento torna o Senac o que é, uma entidade forte no desenvolvimento da educação profissional”.

Política

Sampaio trouxe para sua palestra, os exemplos das consequências sociais do corte de 40% nas alíquotas da Contribuição Social. De acordo com o levantamento, com o corte, serão encerradas 731 mil ações culturais, fechadas 147 bibliotecas e canceladas mais de 17 mil apresentações artísticas. No lazer, serão menos 380 mil inscrições em passeios, excursões e hospedagens de turismo social, menos 587 mil inscrições em atividades físico-esportivas e menos 1.150 piscinas, quadras e salas de ginástica. Na saúde, o impacto resultaria no fechamento de 98 clínicas odontológicas, menos 934 mil consultas odontológicas e menos de 1,2 milhão em ações de saúde.

No assistencialismo, 587 mil pessoas perderiam em doação de alimentos, e menos 20 mil beneficiados em grupos de idosos, adolescentes e voluntários. Na educação, o impacto tiraria a vaga de 26 mil alunos da educação básica e 85 escolas fechariam suas portas.

Diante das perdas, Sesc e Senac adotariam como estratégias: A reorientação e/ou fechamento de unidades da rede física a partir de relação custos e desempenho; revisão do portfólio de cursos e programas em função da relevância da demanda por ações sociais e/ou do setor produtivo e redimensionamento das equipes em função do reposicionamento estratégico.

Segundo Alexandre Sampaio, “A proposta das instituições do Sistema Comércio entende que o momento do País é grave e que o único caminho possível é o do diálogo social”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here


CAPTCHA Image
Reload Image