HOME Matérias Entrevista Seriedade, transparência e compromisso

Seriedade, transparência e compromisso

92
0
SHARE

A Rede Deville acaba de completar 35 anos de atividades e festeja com a recente eleição pela revista Carta Capital como uma das cinco melhores empresas de hotelaria do País. No comando da Rede está Jayme Canet Neto que acredita que o sucesso é fruto da  seriedade  e transparência que a Deville tem no mercado.
A Rede que possui dez hotéis, em oito importantes cidades do Brasil, está vendo a atual conjuntura econômica como uma oportunidade de bons negócios e pretende investir recursos próprios em mais um hotel ainda este ano. Investimento em novas unidades e o arrendamento serão os modelos de expansão da Deville nos próximos anos.
Confira a seguir a entrevista exclusiva com o Diretor presidente da Rede Deville, Jayme Canet Neto.

Revista Hotéis — A Rede Deville acaba de completar 35 anos de atividades. Como foi que surgiu a Deville e quais os principais desafios enfrentados no início das atividades até se consolidar no mercado?
Jayme Canet Neto — A Rede Deville teve início com a inauguração do Hotel Colonial em Curitiba, no ano de 1974. Nos primeiros anos os maiores desafios foram a falta de experiência em hotelaria e a falta de abrangência nacional, já que as primeiras quatro unidades abertas ficam no Paraná.
 
Revista Hotéis  — Recentemente a Deville foi eleita pela revista Carta Capital como uma das cinco melhores empresas de hotelaria do País. Qual é a fórmula para se chegar a este sucesso e reconhecimento?  
Jayme Canet Neto  — Na minha opinião este resultado é fruto da  seriedade  e transparência que a Deville tem no mercado,  da  dedicação dos colaboradores e  do  nosso foco no cliente.
 
Revista Hotéis  — Quais são os principais pontos que a Deville valoriza no relacionamento com seus colaboradores e clientes?
Jayme Canet Neto  —Destaco a transparência, seriedade e compromisso.
 
Revista Hotéis  — Quantas unidades compõem a Rede Deville hoje e destas quantas são próprias e quantas são administradas de terceiros?  
Jayme Canet Neto  — Operamos dez hotéis em oito cidades (Curitiba, Maringá, Cascavel, Guairá, Cuiabá, Florianópolis, Porto Alegre e Guarulhos, sendo  seis imóveis próprios e quatro arrendados.
 
Revista Hotéis  — Em 2006 a Deville arrendou uma unidade em Florianópolis e no ano passado arrendou o Hotel Rayon, um dos mais tradicionais do Paraná. O arrendamento será o pilar do crescimento da Deville nos próximos anos ou vocês pretendem também fazer investimentos com recursos próprios?  
Jayme Canet Neto  — Vamos continuar atuando nestes dois modelos, conforme as oportunidades. Ainda para este ano, pretendemos investir recursos próprios em mais um hotel, para o qual estamos estudando propostas.
 
Revista Hotéis  — Como a Deville está vendo o atual momento econômico? É época de oportunidades ou de repensar o modo de gestão?  
Jayme Canet Neto — Para a hotelaria, a crise está sendo mais marcante no segmento de eventos e congressos. Nas viagens corporativas o impacto tem sido menor. Esperamos uma ligeira recuperação no 2º semestre e a normalização, na metade do próximo ano. Esta é também uma época de oportunidade para a aquisição de hotéis, como já comentamos. Toda crise provoca reflexões para que nos tornemos mais eficientes. Temos recomendado foco na redução de custos, desde que isso não impacte negativamente a percepção do hóspede.
 
Revista Hotéis — A Deville tem uma forte atuação em Curitiba que, assim como São Paulo, recebeu grandes investimentos em hotelaria nos últimos anos que saturaram o mercado e levaram muitos hotéis a uma verdadeira guerra de tarifas. Como está a realidade de mercado em Curitiba atualmente? A tarifa já se recuperou, assim como as diárias?   
Jayme Canet Neto  — Em comparação com outras cidades de porte semelhante, Curitiba tem desempenho inferior tanto em diária média quanto em ocupação, como se pode perceber nos indicadores do setor. Eu não vejo um fato novo que possa mudar isso no curto prazo. A mudança virá pelo crescimento orgânico do mercado. E isso leva tempo.
 
Revista Hotéis  — O Senhor acredita que nos próximos anos já é possível construir novos hotéis em Curitiba? De onde poderão vir estes recursos?  
Jayme Canet Neto — É possível. Mas não recomendável.
 
Revista Hotéis  — Quais são os planos de crescimento da Rede Deville para os próximos anos? Vocês pretendem estar presente em outras grandes capitais, como Rio de Janeiro, São Paulo ou mesmo atuarem no Nordeste brasileiro?  
Jayme Canet Neto — Não definimos uma área geográfica em nosso plano de expansão. Estamos abertos às boas oportunidades para aquisição, construção com recursos próprios e/ou com parceiros, independente da localização.
 
Revista Hotéis — Como se encontram os investimentos na modernização das unidades Deville, assim como a previsão destes investimentos nos próximos anos?  
Jayme Canet Neto  — Estes investimentos são parte permanente de nosso plano de negócio, que destina um percentual do faturamento para as obras de modernização das propriedades. E estamos dando continuidade  a estas ações .
 
Revista Hotéis — A Deville é a primeira franqueada da marca Marriott na América do Sul. Como foi firmada esta parceria? Vocês pretendem desenvolvê-la para outras bandeiras internacionais?
Jayme Canet Neto  — A parceria firmada em 2001 para nossa propriedade em Guarulhos, foi uma estratégia para posicionar o hotel junto ao público estrangeiro num momento de  grande crescimento da oferta na região. Continuamos proprietários e operadores daquele hotel, porém usando a marca e seguindo os padrões e procedimentos da Marriott International. Se surgir oportunidade de operarmos outro hotel sob bandeira internacional, nossa preferência natural será pela Marriott pelos anos de parceria que acumulamos.

SHARE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here


CAPTCHA Image
Reload Image