HOME Matérias Entrevista R1 Soluções Audiovisuais: visão empresarial, empenho e dedicação

R1 Soluções Audiovisuais: visão empresarial, empenho e dedicação

189
0
SHARE
Raffaele Cecere, Diretor Presidente da R1 Soluções em Audiovisuais

Raffaele Cecere é Diretor Presidente da R1 Soluções em Audiovisuais, empresa de locação de equipamentos Audiovisuais, que também é uma plataforma de negócios, ajudando clientes a vender mais, com soluções tecnológicas, criativas e inovadoras. Fundada há 14 anos, no mercado de tecnologia para eventos corporativos, a companhia está presente em São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Curitiba (PR) e Recife (PE).

O profissional iniciou a carreira no setor de vendas e T.I, mas após algum tempo de planejamento deu início a R1, que vê o setor hoteleiro como grande aliado. Recentemente a empresa atingiu o objetivo de fechar parceria com o hotel Grand Hyatt São Paulo e buscará investir em novas tecnologias. Confira abaixo a entrevista exclusiva do executivo para a Revista Hotéis:

Revista Hotéis Sua história ao fundar a R1 há 14 anos é de muita visão empresarial, empenho e dedicação. O que o levou a empreender nesse segmento de eventos, quais as principais dificuldades no início das atividades e quando foi que realmente percebeu que estava na trilha do sucesso?

Raffaele Cecere – Iniciei minha carreira em duas áreas, vendas e TI. Aos 19 anos abri meu primeiro negócio na área de Web, que infelizmente não deu certo e continuei na área de informática. Depois disso tive a oportunidade de trabalhar em uma agência de eventos (na área de TI) e pude constatar que existia uma grande oportunidade de desenvolver um trabalho diferenciado e profissional, após quase três anos nesta empresa, iniciei a R1.

R.H – Qual é a atuação hoje do Grupo R1 no mercado? Quantas empresas fazem parte, o que representa o segmento hoteleiro e o que difere os serviços de vocês?

R.C – Hoje a R1 não é mais uma empresa de locação de equipamentos Audiovisuais, somos uma plataforma de negócios, ajudamos nossos clientes inclusive a vender mais, com soluções tecnológicas, criativas e inovadoras. E nesse sentido ampliamos nossa atuação e para isso fizemos novas aquisições de empresas prestadoras de serviços para eventos, como a Prime Geradores, Tes Cenografia, Concept Displays, 42 Labs que é uma software house.

R.H – Vocês acabaram de fechar uma parceria com o hotel Grand Hyatt São Paulo. Quanto tempo demandou essa negociação e o que muda a partir de agora nos serviços prestados por esse hotel?

R.C – O Hyatt era um desejo de alguns anos e no momento certo a parceria aconteceu. Estamos muito felizes e animados com este novo acordo, que não seria possível sem que pessoas como o Carlos Bassi, Yann Gillet e toda equipe do Hyatt acreditassem em nosso projeto. Estamos investindo em novas tecnologias e levando o jeito R1 de atendimento.

R.H – Vocês possuem uma atuação muito forte na cidade de São Paulo. Vão consolidar ainda mais presença nesse importante mercado ou já estão planejando atuar em outras capitais, como por exemplo, a cidade do Rio de Janeiro ou Belo Horizonte?

R.C – São Paulo é o coração do Brasil, porém o Brasil é muito grande e temos boas oportunidades para crescer e consolidar nossa empresa cada vez mais. Estamos em busca de novas parcerias pelo país. Nosso foco é o crescimento.

R.H – Vocês anunciaram recentemente uma reorganização nas empresas associadas a R1 e contrataram o Juan Pablo de Vera como seu novo CEO. O que levou vocês a tomarem essa decisão? E como fica seu cargo e atuação a partir de agora?

R.C – Com o crescimento você precisa estruturar a empresa para que suporte novos horizontes e nesse sentido fomos ao mercado e escolhemos o que consideramos o maior craque. Juan veio para nos ajudar a crescer mais ainda, de forma sólida, ética e profissionalmente, estamos muito felizes.

R.H – Por que Juan Pablo de Vera foi escolhido para comandar o crescimento da empresa nos próximos anos e quais os atributos que você enxerga nele para desempenhar essa função?

R.C – O Juan é um profissional com uma história incrível. Ele foi o responsável por transformar a Reed no que ela é hoje, e, além disso, Juan tem bagagem internacional. Quem sabe nossos vôos não sejam maiores ainda? Temos absoluta certeza que ele é a pessoa certa para um grande salto.

“O setor hoteleiro é nosso grande parceiro, já nos identificam como a melhor empresa para seus negócios, temos apenas que retribuir a confiança”.

R.H – Vocês elaboraram um projeto para os próximos cinco anos que prevê uma taxa de crescimento anual de mais de dois dígitos. O que o leva a crer que conseguirão atingir essa meta e como se posicionará a partir dai o Grupo R1?

R.C – Acreditamos que o Brasil irá retomar crescimento e existe um escala muito grande para crescer. Temos acompanhado empresas do setor de turismo e da hotelaria retomando os investimentos. Para isso o mercado precisará de uma empresa séria e consolidada, acreditamos que somos o parceiro certo para estes negócios.

R.H – A atuação do Grupo R1 dentro dos pavilhões das feiras será o grande divisor desse crescimento? Como estão se articulando nesse sentido?

R.C – Este será um dos braços de atuação de nossa companhia, para tanto há muito trabalho para atingirmos essa meta. Nossa ideia é ir ao mercado e firmar boas parcerias e novas aquisições para que isso aconteça.

R.H – O Grupo R1 é conhecido no mercado pela busca constante de tecnologias. Como vocês trabalham com as tecnologias para que um evento seja uma experiência memorável? O cliente percebe esse valor agregado e paga ou muitas vezes questiona e analisa preços na hora de fechar o evento?

R.C – Como disse anteriormente, a R1 é uma plataforma de negócios, a tecnologia nos ajuda a levar o cliente ao seu objetivo de forma direta. Estamos sempre em busca do que há de moderno e inovador, porém nem sempre o grande diferencial é só tecnologia. Acreditamos que as pessoas fazem a diferença, por isso temos programas de treinamento e desenvolvimento da equipe.

R.H – O Brasil tem hoje know how e tecnologia suficiente para produzir grandes eventos como os que acontecem, por exemplo, nos Estados Unidos, ou ainda estamos longe disso? E como a R1 se enquadra nesse contexto?

R.C – O Brasil está, sim, alinhado com o que tem de mais moderno no mundo de eventos. O que nos penaliza muito é o custo de aquisição destas tecnologias, além da falta de capital barato, o que torna as coisas muito difíceis, porém o brasileiro é muito criativo e acaba driblando estas questões.

R.H – Quais foram os investimentos que fizeram em tecnologia nos últimos anos, o que isso agregou aos eventos e o que pretende investir em tecnologia nos próximos anos?

R.C – Nossa empresa não para de investir, equipamento eletrônico em especial tem uma vida muito curta, os investimentos são quase que diários. Eu destacaria nesse momento a aquisição de uma boa quantidade de painel de led em alta resolução e a aquisição de novas estruturas para a empresa de cenografia, que irá mudar bastante a forma de montar os eventos.

R.H – Como você enxerga a atuação do Grupo R1 nos próximos anos? O segmento hoteleiro será o grande carro chefe?

R.C – Se tudo caminhar da forma que estamos prevendo, iremos crescer muito. O setor hoteleiro é nosso grande parceiro, já nos identificam como a melhor empresa para seus negócios, temos apenas que retribuir a confiança.

R.H – Há considerações importantes a serem ressaltadas?

R.C – O Brasil precisa voltar a crescer, criar estabilidade econômica e financeira. Que possamos fazer planos de 10, 20, 30 anos, como é nos Estados Unidos por exemplo. O caminho é longo e bastante difícil, porém esse é meu desejo como brasileiro.