Publicidade
Equipotel

Quando devo reabrir meu hotel?

Artigo de Ricardo Pérez

Financeiramente os hotéis foram fortemente impactados pela pandemia, com a recuperação que ocorreu em 2019  faltava pouco para atingir indicadores no Brasil que fossem tranquilizadores e muitos hotéis ainda estavam se reerguendo mesmo com pouco fluxo no caixa para compras ou reformas necessárias a fim  de atender as necessidades dos clientes naquele momento. Vendo seus recursos ficando escassos, uma questão que está atormentando a cabeça dos investidores e donos de hotéis é exatamente esta, quando devo reabrir meu hotel? Nestes últimos dias, diversos hoteleiros e parceiros tem me procurado fazendo esta pergunta, vejo que em sua maioria estão apenas aguardando uma resposta do mercado para realizar a sua reabertura, mas alguns aspectos devem ser levados em consideração e isto me motivou a escrever este artigo.

Para entender melhor suas ansiedades, pergunto o que eles estão fazendo a respeito e quais ações estão tomando ou já tomaram para a reabertura, as respostas são as mais diversas, as mais comuns foram: Já suspendi contratos; Fiz demissões e estou aguardando a retomada para recontratar; Comuniquei meus clientes que logo estaremos reabrindo com os melhores padrões de higiene; Suspendi pagamentos para ter fluxo de caixa; Cancelei e suspendi contratos de serviços terceirizados; Estou revendo minhas tarifas para melhorar minha taxa de ocupação quando reabrir (esta vale um artigo só para ela), mas desde já aconselho, não abaixe suas tarifas! altas taxas de ocupação não se resume em liquidez.

Publicidade
Continuum

Poderia dizer que estas ações foram assertivas, mas não, pois analisando mais profundamente a maioria das atitudes foram de impacto para tentar garantir um fluxo de caixa e não com o foco no negócio como um todo, não contemplando assim a retomada do negócio. As ações precisariam de planejamento, sendo tomadas dentro de um cronograma com estratégia bem definida e coordenada.

O Hoteleiro deve ver o momento como oportunidade e tomar os mesmos cuidados como quando abriu o empreendimento. Mas agora com a experiencia acumulada buscar aproximação de especialistas e tê-los como parceiros, para que as tomadas de decisões sejam mais produtivas evitando os acidentes de percursos.

Publicidade
Totaline

O empreendimento fechado tem um custo e aberto tem este custo somado as despesas operacionais que são deficitárias no (re) inicio de qualquer negócio e na hotelaria não é diferente, os planos para reabertura terão que contemplar este fato além dos mercadológicos. Então, a pergunta certa deve ser: Estou preparado corretamente para a reabertura de meu hotel? Não tomando decisões com bases nos fatos atuais que são catastróficos as análises devem ser projetadas a médio e longo prazo.

Gráficos de preços de alguns hotéis parece um eletrocardiograma com sinais vitais que o coração está falhando

Para se preparar a melhor forma é tratar esta reabertura como um novo produto a ser lançado no mercado e para tanto deverá ser feito um strategic business plan, este planejamento estratégico do negócio deverá conter:

Uma análise de mercado, com histórico do que está acontecendo agora e o que acontecerá no futuro e como afetará meus resultados? Como está e qual será a demanda? Quais os principais segmentos de mercado que poderei atingir?

Análise da concorrência, contendo os competidores primários, secundário e terciários. Quais são as vantagens e desvantagens comparativamente com o nosso produto e serviços que oferecemos, e o que vamos oferecer para se destacar?

Revisão do posicionamento do hotel, com o objetivo e missão. Como estava e qual será meu posicionamento no mercado? Que estratégias você utilizará para atingir seus objetivos? Qual a necessidade de investimento de capital? Quais as ações de Marketing apropriadas? Minha equipe está treinada e capacitada para esta nova realidade? Estou preparado para atender a demanda das novas necessidades dos meus clientes? Revi minhas operações e procedimentos para atender este novo perfil do cliente?

Somente após estes questionamentos estarem respondidos e as ações estratégicas implementadas seu hotel estará apto para uma reabertura. Então o quando em relação ao tempo é subjetivo, pois o quando passa ter relação ao quanto se está preparado para essa reabertura.

Publicidade
Harus

Poderia encerrar aqui, mas, as principais dificuldades dos nossos parceiros são financeiras, como folha de pagamento, impostos, falta de capital de giro, ficando então a decisão de quando reabrir atrelada a redução de custos e manutenção das diárias. Os hotéis devem ser reabertos com as atividades reduzidas baixando os padrões e assim os custos da operação. A redução dos standarts operacionais para este processo de retomada dos negócios é crucial para o reinicio do negócio.

O hotel deverá abrir com uma equipe reduzida de colaboradores que atendam tão somente a demanda existente e aos novos processos operacionais. Como se tem notado os governos tem a tendência de autorizarem a abertura com restrições em áreas de aglomeração como piscinas, salões e restaurante. Seguindo uma tendência mundial, os quartos deverão ser limpos a cada três dias (procedimento já feito em hotéis como em Fernando de Noronha ou os de multipropriedade) este procedimento atende as exigências da vigilância sanitária evitando a contaminação dos nossos hospedes e  colaboradores, pois não haverá movimentação de pessoas no apartamento durante sua hospedagem a limpeza do apartamento ocorrerá 24 horas após cada check out, reduzindo automaticamente os gastos com lavanderia, amenities, materiais operacionais. A oportunidade se dará em reduzir custos operacionais para que o hotel seja rentável no menor espaço de tempo com uma baixa ocupação, isto sem afetar a qualidade dos serviços propostos, por que do contrário será difícil reabrir os hotéis.

A operação deverá atender a demanda de um hóspede que busca serviços mais sustentáveis e uma experiencia mais socializada. Diante deste novo perfil os hotéis devem abrir mão da padronização dos serviços e ofertá-los cada vez mais personalizados e dinâmicos.

O desafio será ter ou obter crédito para custear ao menos os primeiros quatro meses de operação, lembrando que todos os hotéis reabrirão como num soft open, onde a demanda para aumento da taxa de ocupação não ocorrerá nos moldes de quando abríamos hotéis e será mais gradativa demorando mais para atingir o ponto de equilíbrio, por isto que devemos aprender com o passado e não entrar em guerras tarifárias para nossa própria sobrevivência, a manutenção das tarifas elevadas diminui o tempo necessário para atingir liquidez.

*Ricardo Pérez é Diretor da Lotus Hoteis & Resorts, Empresa especializada em Operação Hoteleira, Consultor e especialista em Gerenciamento estratégico e reposicionamento de hotéis. Contato: (11) 949528645 – ricardo@lotushoteis.com.br

Publicidade
RAP Engenharia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image
Reload Image

CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA