HOME Matérias Aconteceu Desembargador Sylvio Capanema é homenageado na 8ª edição do ADIT Juris

Desembargador Sylvio Capanema é homenageado na 8ª edição do ADIT Juris

50
0
SHARE
O Consultor Caio Calfat entregou a placa de homenagem ao desembargador Sylvio Capanema

Direto de Florianópolis (SC) – O evento que teve início agora a pouco no Majestic Palace Hotel conta com 311 participantes de várias partes do Brasil, sendo a grande maioria de advogados e juristas que atuam no mercado imobiliário e turístico. E iniciando o evento, o Desembargador Capanema recebeu o prêmio Legado ADIT: Uma vida que vale a pena ser vivida que foi entregue pelo Consultor Caio Calfat, que é Conselheiro da ADIT Brasil e Vice-presidente do Núcleo Turístico Imobiliário do SECOVI/SP.

Ao receber essa homenagem, Capanema disse: “Vivo esse momento com sensação de alívio e convicto que minhas coronárias de 80 anos estão preparadas para viver fortes emoções. Essa é a primeira vez que participo de um evento como homenageado. Esse legado de uma vida que vale a pena ser vivida cheira um pouco a despedida, mas eu espero participar de várias outras ADIT Juris. Guardarei esse momento como uma das lembranças mais queridas de minha vida”, destacou Capanema.

André Abelha do Castier, Sylvio Capanema e Joel Dias Figueira Junior

Em seguida os moderadores, André Abelha do Castier / Abelha Advogados (RJ) e Joel Dias Figueira Júnior do Tribunal de Justiça de Santa Catarina começou a fazer perguntas ao Desembargador Capanema. Ele disse que se formou em 1960 e se especializou no direito imobiliário, lembrando que é de uma família tradicional de médicos, mas resolveu estudar o direito e se especializar no imobiliário por acreditar que uma família de médicos necessita também de um advogado. “Exercer essa profissão é um sacerdócio e faço com a maior dedicação. Me lembro de quando comecei a exercer a profissão que existia uma verdadeira guerra entre locadores e locatários e muitas demandas acabavam o desfecho em delegacias de polícias, hospitais ou mesmo no cemitério. Tudo por causa da Lei 1300 de 1950 que congelou os alugueis, dificultou o repasse de aluguel e retomada do imóvel, concentrou o imóvel alugado como bem de família, mas do locatário. Por isso, era necessário inventar a retomada do imóvel e eu tive que defender num processo a retomada do imóvel para a sogra e eu consegui”, lembrou Capanema.

Transição de advogado e magistrado

Como magistrado ele disse que foi convidado pela OAB /RJ – Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro após trabalhar por 33 anos como advogado. “Ingressei como quinto na magistratura e essa transição de advogado e magistrado foi difícil. Mas aqui estou eu as vésperas de completar 80 anos com o vírus da advocacia latente na veia”.

E uma das grandes conquistas que teve e mencionou foi a luta para a aprovação da Lei do inquilinato, na qual muitos afirmam que ele é o Pai dessa lei, mas disse que fez apenas parte da comissão que elaborou o anteprojeto e ressaltou. “A Lei do Inquilinato vigora há 25 anos praticamente como foi elaborada em sua origem. Ela flexibilizou o contrato de locação, rompeu velhas tradições e levou em consideração o despejo por rito ordinário. Com isso, regulamentou a relação do proprietário e inquilino, concluiu o Desembargador Capanema. Outras questões de direito imobiliário foram tratadas nesse bate papo, como as questões de reuniões de condomínio, assim como Capanema elogiou a aprovação da lei da multipropriedade, tema que ele pretende escrever um livro a respeito. E encerrando disse que se sente orgulhoso de ter carregado a bandeira da justiça por 80 anos e que está passando para os novos advogados e magistrados.

A Revista Hotéis é Midia Oficial desse evento e a reportagem se hospeda no Majestic Palace Hotel para cobrir esse evento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here


CAPTCHA Image
Reload Image