Publicidade
Unilever

COVID-19 exige adequação dos processos de limpeza e higienização para a governança hoteleira

*Artigo de Ariadne da Silva

Processo de limpeza das UH’s

▪ Retirada dos itens de enxoval decorativo que tenham contato próximo do corpo: peseira, almofada, chale, tapetes, etc.;

▪ Redução da quantidade de papelaria, deixando somente o necessário com as informações do hotel e cardápio de minibar. O hotel que tiver condições pode colocar as informações em um canal da TV ou dispor o cardápio de minibar em acrílico para facilitar a higienização;

▪ Não fazer reaproveitamento de papel higiênico para hóspedes ou colaboradores. Havendo possibilidade fazer a substituição do papel higiênico de rolo por interfolhado, além da proteção o custo pode ser reduzido em até 20%;

▪ Não fazer reaproveitamento de amenities usados. Havendo possibilidade fazer a substituição dos amenities individuais por dispenser, além da proteção o custo pode ser reduzido em até 15% e ainda na auxilia nos projetos de sustentabilidade da empresa;

▪ Não fazer reaproveitamento de enxoval na saída, mesmo que os enxovais não tenham sido utilizados. Reforçar com a recepção para evitar check-in individual em UHs Twins ou Triplos;

▪ Sugere-se a substituição dos copos e xícaras por material descartável (de acordo com o projeto de sustentabilidade de casa empreendimento); ▪ Ao Hotel que disponibiliza mexedor descartável nas UHs sugere-se que opte pelo embalado individualmente;

▪ Reforçar a limpeza e higienização em todos os pontos de maior contato no quarto: fechaduras, interruptores, pega ladrão, puxadores, maçanetas, controle de Ar condicionado e TV, puxadores de cortina, cabeceira, bancada, criado mudo, cadeiras, poltronas, telefone, etc.;

▪ Reforçar a limpeza e higienização de todos os pontos de maior contato no banheiro: fechaduras, interruptores, puxadores, maçanetas, telefone, torneiras, registros, acionadores de descarga, alavanca do dispenser de papel higiênico, assento do vaso, lixeira, etc;

▪ Nos banheiros adaptados utilizar cortinas descartáveis e reforçar a higienização dos banquinhos de banho;

▪ Deve ser respeitado o processo de limpeza e higienização: de cima para baixo (teto ao chão), de fora para dentro (da sacada ou fundo do quarto para porta);

▪ Sempre que for possível a limpeza deve ser realizada com janelas e portas de sacadas abertas aumentando a ventilação do ambiente;

▪ Não reaproveitar sacos de lixo usados.

O perfeito asseio de quartos e banheiros do hotel funciona como um cartão de visita do negócio – Foto: (Rawpixel/Freepik)

UH’s – Arrumação

▪ Elaborar um informativo e oferecer ao hóspede no momento do check-in o mesmo procedimento de Apart Hotel, arrumação em dias alternados ou para mensalistas duas vezes na semana;

▪ Nas arrumações programadas não fazer com o hóspede dentro da UH e utilizar o EPI completo.

▪ Sugere-se escalar uma ou mais pessoas da equipe (conforme tamanho do empreendimento) para fazer arrumação, evitando o consumo de EPI em demasia.

▪ Em casos de suspeita ou confirmação de Covid-19 não fazer arrumação.

UH’s – Saída

▪ Sugere-se que os hotéis trabalhem com uma ocupação de 50% revezando andares ou blocos e deixando as UHs em check-out fechadas por 72h.

Existem algumas pontuações para este caso:

▪ O enxoval pode ser danificado por mofo devido a umidade;

▪ O custo com energia elétrica e água pode aumentar se o hóspede deixar equipamentos ligados ou torneiras e duchas pingando.

Hotéis que optem por manter a ocupação normal:

▪ Sugere-se escalar uma ou mais pessoas da equipe (conforme o tamanho do empreendimento), equipada com todos os EPIs para retirada do enxoval e do lixo, antes da entrada da camareira.

▪ Em casos de suspeita ou confirmação de Covid-19 respeitar o prazo de 72 horas para executar a limpeza.

Áreas comuns

▪ Aumentar a frequência de higienização das áreas de maior circulação, como recepção, elevadores, banheiros, vestiários, refeitórios, etc.;

▪ A limpeza e higienização dos banheiros deve ser realizada sem aglomeração de pessoas, de preferência com a placa de sinalização bloqueando a porta para evitar contato com outras pessoas;

▪ Devem ser disponibilizados dispenser com álcool 70% dentro e fora de todos os banheiros sociais ou de serviço, vestiários e refeitórios;

▪ Devem ser disponibilizados detergente para lavagem das mãos em todas as pias do empreendimento;

▪ Devem ser disponibilizados dispensers com álcool 70% na recepção, próximo a elevadores de serviço ou sociais, salas de eventos, etc.;

▪ Devem ser disponibilizados dispenser de álcool 70% e panos multiuso descartáveis para todas as salas administrativas para que após o contato ou utilização de qualquer equipamento (mesa, cofre, botões de impressora, telefone, o próprio colaborador já realize a higienização;

▪ Deve ser respeitado o processo de limpeza e higienização: de cima para baixo (teto ao chão), de fora para dentro (da sacada ou fundo do ambiente para fora);

▪ Reforçar a limpeza e higienização em todos os pontos de maior contato das áreas: fechaduras, interruptores, puxadores, maçanetas, controle de Ar condicionado e TV, puxadores de cortina, bancada, cadeiras, poltronas, telefone, botões acionadores do elevador, etc.;

▪ Reforçar a limpeza e higienização de todos os pontos de maior contato no banheiro: fechaduras, interruptores, puxadores, maçanetas, telefone, torneiras, registros, acionadores de descarga, alavanca do dispenser de papel higiênico, papel toalha e sabonete, assento do vaso, lixeira, fraldário, etc.;

▪ Sempre que for possível a limpeza deve ser realizada com janelas e portas de sacadas abertas aumentando a ventilação do ambiente; ▪ Não reaproveitar sacos de lixo usados.

Produtos de limpeza

▪ Diluir apenas o produto que será utilizado no dia, respeitando o prazo de ação de 24h;

▪ Respeitar o prazo de 10 minutos de ação do produto bactericida no banheiro;

▪ Utilizar os produtos de limpeza autorizados pela Anvisa, conforme SEI/ANVISA – 0976782 – Nota Técnica:

⎯ Hipoclorito de sódio ou cálcio, na concentração de 0.5%11, ⎯ Alvejantes contendo hipoclorito (de sódio, de cálcio) 11 ⎯ Peróxido de hidrogênio 0.5% 4 ⎯ Ácido peracético 0,5%4 ⎯ Quaternários de amônio, por exemplo, o Cloreto de Benzalcônio 0.05%4 ⎯ Desinfetantes com ação virucida.

**O Hotel que optar pelo Hipoclorito deve instruir a equipe em relação aos cuidados com os uniformes e carpetes dos quartos, corredores e salas de eventos.

Materiais de limpeza

▪ Utilizar esponjas de cores diferentes, conforme procedimento de limpeza para banheiro e louças. Sugere-se que cada uma tenha seu dispenser para armazenamento;

▪ Panos de limpeza para superfícies: sugere-se a utilização de panos multiuso descartáveis, evitando o risco de contaminação. Não havendo condições utilizar panos de cores diferentes ou embainhado com overloque em cores diferentes em boa quantidade para não haver contaminação cruzada.;

▪ Pano de chão: sugere-se a utilização de MOPs ou rodo PVA, além de evitar a contaminação do colaborador existe um ganho em produtividade, qualidade e redução dos custos em até 30%.

Foto: (Pixabay/KlausHausmann)

EPI’s

▪ Os capotes devem ser de material sintético, de preferência descartáveis e substituídos entre os horários de intervalo do colaborador, é proibido que o mesmo frequente refeitório com este equipamento;

▪ Os óculos e protetores faciais devem ser lavados com água e sabão entre os horários de intervalo;

▪ Ao retirar as luvas para manusear os enxovais e materiais de reposição das UHs as mãos devem ser lavadas, conforme procedimento “Higienização das mãos”;

▪ Deve ser respeitado o tempo de utilização de cada tipo de máscara.

Retirada de lixo, enxoval sujo e arrumação:

⎯ Luva Nitrílica ou Neoprene cano longo ⎯ Capote com punho

⎯ Máscara ⎯ Proteção facial ⎯ Bota ⎯ Sapatilha Propé

Limpeza geral (sem contato com lixo e enxoval) ⎯ Luva Nitrílica ou Neoprene ⎯ Máscara ⎯ Bota ou sapato ⎯ Proteção ocular

Carrinho

▪ Manter a limpeza, organização e higiene;

▪ Não permitir que sejam colocados enxovais ou panos sujos por cima do carrinho evitando o contato com os materiais de limpeza, enxovais limpos e amenidades;

▪ Colocar um dispenser ou borrifador de álcool 70% em todos os carrinhos, orientando os colaboradores sobre os riscos de incêndio;

▪ Sugere-se substituir o saco de lona por tecido sintético e higienizá-lo com álcool ou hipoclorito ao final da operação. Não havendo possibilidade da substituição sugere-se forrar o carrinho com saco de lixo reforçado e substituí-lo diariamente ou sempre que necessário.

Colaboradores

▪ Cabelos devem ser mantidos presos ou com toca; ▪ Unhas curtas e limpas;

▪ As mãos devem ser lavadas corretamente, conforme procedimento “Higienização das mãos;

▪ Não utilizar nenhum tipo de acessório;

▪ A máscara deve ser disponibilizada para todos os colaboradores; ▪ Os uniformes utilizados devem ser trocados diariamente por uniformes limpos.

Rouparia

▪ O colaborador que faz a separação e contagem dos uniformes e roupas de hóspedes deve utilizar o EPI completo;

▪ Os hotéis que ainda fazem a contagem manual dos enxovais sujos, sugere-se que o processo seja substituído pela pesagem (lembrando que o enxoval molhado pode dar uma diferença de até 20% no peso). Caso não seja possível o próprio colaborador responsável pela coleta pode anotar as quantidades retiradas das UHS;

▪ As roupas de hóspedes entregues pela lavanderia devem estar embaladas, evitando contato corporal;

▪ Os enxovais extras levados as UHS por solicitação do hóspede devem estar embalados individualmente, evitando contato corporal;

▪ Os carrinhos para transporte de enxoval devem ser preferencialmente de fibra, higienizados diariamente com álcool 70% ou hipoclorito;

▪ Os carrinhos que forem de lona devem ser protegidos por sacos de material sintético ou saco de lixo reforçado substituído diariamente;

▪ Deve haver um dispenser próprio para descarte dos panos de limpeza sujos em área isolada. O ideal é que o processo de lavagem destes seja profissional evitando a contaminação.

Segurança

▪ Manter termômetro de aproximação a disposição dos hóspedes e colaboradores, no caso de qualquer sintoma suspeito encaminhar a pessoa para emergência;

▪ Manter as fichas de EPI atualizadas. Sugere-se recolher o EPI velho para entrega do novo evitando desperdício e tendo maior controle; ▪ Manter as fichas técnicas dos produtos de limpeza autorizados pela Anvisa atualizadas;

▪ Ao aplicar os treinamentos colher assinatura de todos na lista de presença, registrar em ATA e manter a documentação no RH;

▪ Cada empreendimento deve fazer um mapa das áreas de maior criticidade (onde há maior circulação ou concentração de pessoas), exemplo: UHs, recepção, banheiros, etc.;

▪ Manter visível nas copas, áreas de serviço, vestiários, refeitório os procedimentos para colocação e retirada de EPI, higienização das mãos e descrição dos locais que de maior contato que devem ser higienizados rigorosamente;

▪ Aplicar advertência em todos os colaboradores que não seguirem as regras de utilização dos EPIS, respeitando a CLT;

▪ Evitar fazer os briefing em locais fechados ou com aglomeração de pessoas. O ideal é que sejam feitos em áreas externas ou salas de eventos respeitando a regra da distância de 1,5 mts. O mesmo serve para refeitório dos colaboradores e salas de descanso o ideal é que seja feita uma escala aumentando os horários de refeição ou utilização respeitando as regras de distância;

▪ Orientar que todos os colabores que utilizem rádio, Bip ou celular da empresa realize a higienização dos mesmos na troca de turno;

▪ Orientar que os colaboradores da recepção higienizem as maquinas de cartão de crédito, telefone e teclado após utilização e as mãos sempre que manusear dinheiro;

▪ Orientar que os mensageiros higienizem as mãos após manuseio de bagagens; ▪ Orientar que os colaboradores da manutenção utilizem as mesmas regras da equipe de governança para entrada nas UHS;

▪ Sugere-se que seja colocado uma caixa de acrílico no balcão da recepção que o hóspede coloque as chaves no momento do check-out e as mesmas sejam higienizadas individualmente;

▪ A área de recepção deve ser demarcada com as regras de distanciamento, tanto no piso, quanto nos sofás e poltronas;

▪ A regra da Anvisa é que não seja feita a separação do lixo reciclado em caso de suspeita de contaminação, como nesse momento é difícil identificar quem está contaminado a sugestão é que não haja separação do lixo. O lixo das UHS com suspeita ou confirmação de COVID-19 devem ser separados e descartados separadamente como lixo hospitalar.

Treinamentos

▪ Devem ser aplicados para 100% dos colaboradores, desta forma todos auxiliaram nos cuidados e na segurança dos hóspedes e colegas de trabalho;

▪ Os treinamentos devem ser imediatos para colaboradores que estejam atuando e com antecedência para os hotéis que estiverem com as operações suspensas, respeitando as regras de aglomerações e distanciamento, devem ser repetidos quantas vezes a empresa julgar necessário nesse momento de pandemia ou seguir a regra semestral de reciclagem. Lembrando que todo novo colaborador deve passar pelo treinamento antes de iniciar o trabalho.

▪ Os procedimentos devem ser reforçados diariamente pelos líderes e se possível registrados em ATA.

*Ariadne da Silva é Governanta e Consultora da Organiza Hotel Escola

Publicidade
Retomada do turismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image
Reload Image

CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA