Publicidade
LG Eletronics

Conciliar atividade mineral e o turismo é debatido no Encontro da Hotelaria Mineira

Direto de Brumadinho (MG) – Terminou agora a pouco a primeira palestra da grade de programação da 19ª edição do Encontro da Hotelaria e Gastronomia Mineira. O evento que acontece no Instituto Inhotim, em Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte, é promovido pela FBHA – Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação e tem a Revista Hotéis como Midia Oficial.Mineração a nossa origem, turismo o nosso futuro! As atividades são reconciliáveis? Esse foi o tema da palestra e contou com a participação de Wilson Brumer, Presidente do IBRAM – Instituto Brasileiro de Mineração e Mauro Werkema – Jornalista e Escritor e que já ocupou diversos cargos públicos, como Presidente da Belotur.

Publicidade
Harus

Mauro Werkemar palestrando

Brumer começou dizendo que o acidente que aconteceu na mina Córrego do Feijão, da mineradora Vale, se deve tirar um grande aprendizado para que fatos como esse, não devem acontecer novamente. “CPI´s são feitas para apurar o ocorrido e muitas vezes são improdutivas e de fato concreto nada acontece. A indústria de mineração tem de rever processos, ver o que está errado, ter humildade de ouvir as comunidades. A mineração gera emprego, fomenta a economia, mas defendemos a mineração com responsabilidade. No Brasil temos mais de 9.400 empresas de mineração na cadeia produtiva e ela é enorme, mas temos que unir em razão do que aconteceu”, destacou Brumer.

Publicidade
APP da Revista Hoteis

Wilson Brumer palestrando

Segundo ele, Minas Gerais tem de se desenvolver com minas, pois isso está em seu DNA, mas a mineração tem se adequar as boas práticas. “É possível conciliar mineração com o turismo, pois esse é um ciclo que alavanca a economia nos municípios enquanto existe a atividade mineral e depois que ela acabar”, concluiu Brumer.

Publicidade
Dam Roupas

Mineração é o DNA de Minas Gerais

Werkema começou sua palestra dizendo que a mineração está intrinsicamente ligada a atividade econômica de Minas Gerais que tem mina até no nome e nasceu alguns fatos históricos. Entre eles, como se deu a ocupação do território mineiro através dos bandeirantes em busca de ouro que formou os primeiros povoados e vilas. “Após o ciclo das grande minerações que acontecem em Minas Gerais e no Brasil, estou convicto que agora está para acontecer o ciclo do turismo. Temos um grandioso potencial para receber bem mais de 6,5 milhões de turistas ao ano. O turismo tem uma característica distinta que estimula de forma rápida o giro e o consumo”, disse Werkema.

Publicidade
LG Eletronics – Meio

Ele deixou três pontos para reflexão da mineração e turismo. Aplicação dos recursos dos royalties da mineração no turismo em cidades mineradoras, mas muitos prefeitos utilizam para pagar o funcionalismo público. A criação de geoparque turístico e cultural em cidades como Ouro Preto e Mariana, onde nasceu a mineração em Minas Gerais. No Brasil o único geoparque é em Araripi, no Piauí. E a terceira sugestão foi a recriação da linha mineira, que saia de Belo Horizonte, passava por Ouro Preto e chegava até Mariana, mas depende da autorização da Vale que tem outorga dessa linha.

A reportagem da Revista Hotéis viaja para cobrir esse evento em razão da parceria com a FBHA e se hospeda no hotel Intercity Belo Horizonte Expo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image
Reload Image

CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA