HOME Matérias Chile recebeu quase 600 mil brasileiros em 2018

Chile recebeu quase 600 mil brasileiros em 2018

País anuncia, ainda, US$ 2,6 milhões em investimentos de promoção turística no Brasil

88
0
SHARE
Futaleufú, na região de Los Lagos, uma das apostas do Chile para 2019 - Foto: divulgação

O Sernatur – Serviço Nacional de Turismo do Chile – divulgou o número total de brasileiros que viajaram para o país latino no ano passado: 589.172, uma alta de 8,1% em relação à 2017.

Trata-se do segundo aumento consecutivo, já que em 2017 (544,8 mil viajantes brasileiros) foi observado um crescimento ainda maior, de 24,1% contra os 439 mil em 2016, ou seja, em dois anos o número de turistas do Brasil no Chile teve um acréscimo de cerca de 150 mil.

Os números e a crescente dos brasileiros motivaram a estratégia de promoção turística adotada pelo país neste ano, colocando o Brasil como um dos mercados prioritários. Do orçamento de US$ 14,1 milhões do Chile para promoção turística internacional em 2019, US$ 2,6 milhões serão investidos no Brasil, 18,44% do total.

Isso posiciona o país atrás apenas dos Estados Unidos em investimentos, já que US$ 3,1 milhões (22%) serão revertidos em ações no país norte-americano. “A expectativa para 2019 é que os turistas brasileiros no Chile ultrapassem, no mínimo, os 600 mil. Sempre vimos o Brasil como um dos mercados prioritários, nos motivando a ampliar nosso investimento neste ano”, comentou a Diretora Nacional do Sernatur, Andrea Wolleter.

Dentro do investimento estão previstos famtours para o trade e mídias, parcerias com operadoras, companhias aéreas e outras empresas do turismo brasileiro, campanhas publicitárias, além de treinamentos de agentes de viagens.

Gastos do brasileiro no Chile  

Ainda de acordo com Andrea, um dos motivos para o Chile apostar tanto no Brasil é o quanto o viajante do país investe em suas viagens: turistas brasileiros gastam, em média, US$ 104 por dia no Chile, tanto em atividades turísticas quanto em compras, e ficam, também em média, oito dias em suas viagens ao país.

Andrea Wolleter, Diretora Nacional do Sernatur

Diversificação

Uma das estratégias que o Sernatur deve adotar para crescer ainda mais no mercado brasileiro é diversificar os destinos. Hoje, boa parte dos turistas do Brasil visitam Santiago e as montanhas da Cordilheira dos Andes, onde se encontram algumas das mais conhecidas estações de esqui do país. As regiões do Deserto do Atacama, no Norte, e da Patagônia Chilena, no Sul, também tem atraído brasileiros, mas o objetivo é ir além: promover os tantos destinos de cultura e natureza que o Chile oferece de norte a sul.

Um exemplo disso é o Astroturismo do Valle de Elqui, ao norte de Santiago. Com altitude elevada, poucas partículas de poeira e um clima seco, o céu da região é considerado um dos melhores do mundo para observar estrelas e constelações. Por lá, se encontram algumas das principais estações de observação astronômica do país.

Já entre Santiago e a Patagônia fica a região dos Lagos e Vulcões. Fluindo entre as montanhas dos Andes, o rio Futaleufú – ‘Rio Grande’, na língua indígena Mapuche, considerado um dos melhores do mundo para prática de esportes de aventura, como rafting e caiaque.

Uma alternativa que chama a atenção na mesma região é Huilo Huilo, reserva biológica dentro da selva patagônica, a pouco mais de 100 km de Pucón. Lagos, cachoeiras e uma floresta com árvores da família das Araucárias permitem aos visitantes passar dias fazendo trilhas por entre as montanhas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here


CAPTCHA Image
Reload Image