Publicidade
Travel Tech

“Cenários futuros” da hotelaria regem painel do 57º Conotel

Terminou agora há pouco, no São Paulo Expo Exhibition & Convention Center, situado na capital paulista, o primeiro painel da 57ª edição do Conotel 2015 – Congresso Nacional de Hotéis. O evento ocorre em simultâneo à Food Hospitality World, feira que reúne diversos expositores da área de alimentação e hospitalidade.

O secretário executivo do Conselho de Turismo da CNC – Confederação Nacional do Comércio, Eraldo Alves Cruz, foi o mediador do painel “Cenários do Futuro”, o qual debateu o tema sob as visões política, empresarial e estratégica. A palestra contou com a participação de Gaudêncio Torquato, que falou sobre o assunto sob o aspecto da visão estratégica, o Ministro do Turismo, Vinícius Lages, que falou sobre visão política e Vander Morales, Presidente do Sindeprestem – Sindicato das Empresas de Prestação de Serviços a Terceiros, que abordou a visão empresarial.

Lages iniciou o painel apontou um cenário de maior mobilidade no futuro, considerando a localização do País, a conectividade, expansão das redes ferroviárias e rodoviárias, oferta turística, dentre outros fatores. Segundo ele, o País também caminha para ser mais acessível, onde 20% da população possui alguma deficiência física. “Além disso, devemos ver um país mais inclusivo, em que mais brasileiros estarão viajando e os números só estão crescendo”, menciona.

O Ministro também destacou o público de terceira idade, que tem aumentado nos últimos anos e é um nicho a ser explorado. “Teremos um Brasil mais fácil para todos. Os brasileiros avançam no uso da internet, e temos que facilitar também o ciclo que envolve o turismo, para que o País possa ser um dos mais fáceis do mundo para viajar”, afirma. O setor cresceu seis vezes mais que o PIB durante o primeiro mandato da Presidente Dilma Rousseff, sendo 8,4% do PIB de Turismo contra 3,5% do PIB nacional.

Segundo ele, o Brasil será, em poucos anos, um país mais internacionalizado, o que é fundamental para a competitividade, para se tornar uma potência em gastronomia e hospitalidade. “Trabalhamos para fazer do turismo o principal vetor da economia, assim como foi o agronegócio há alguns anos. É legítimo que este setor reivindique seu espaço na agenda econômica do País e na sua expansão e investimento”, declarou o Ministro.

Em seguida, Vander Morales falou sobre os desafios que recaem sobre empreendedorismo, e um projeto de lei que deverá regulamentar a prestação de serviços terceirizados. “Este projeto está sendo debatido há dez anos. Os empresários são importantes neste momento, mas é preciso se envolver com a política para alcançar resultados e uma posição de desenvolvimento. Não estamos em um cenário de protagonismo, então precisamos cobrar das autoridades uma posição mais efetiva”, declara.

Para concluir o painel, Gaudêncio Torquato destacou as crises econômica, política, hídrica e de credibilidade, que acarretam uma série de conseqüências, mas também gera uma maior participação da sociedade nestas questões – o que se torna algo positivo, de acordo com Torquato. “O Brasil que sairá deste momento, será um país mais maduro”, apontou.

Publicidade
Totaline

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image
Reload Image