Publicidade
FOHB

Brasília Palace Hotel entra para o ranking dos dez hotéis históricos do século XX

O Dia e horário dessa postagem está no final, assim como nome do autor. O tempo estimado de leitura é de 1 minuto

O Brasília Palace Hotel, na capital federal entrou no ranking da publicação árabe de língua inglesa The National Travel como um dos dez hotéis históricos cujo design e arquitetura são considerados os mais notáveis do século XX. A publicação classificou o hotel como  um edifício impressionante, que se  assemelha a um navio de cruzeiro de luxo. Os painéis únicos de Athos Bulcão e o mobiliário de época completaram as características necessárias para que o empreendimento entrasse na lista.

 

A publicação pesquisou empreendimentos hoteleiros de todo o mundo, e levou em conta a singularidade dos projetos arquitetônicos e o respeito às estruturas originais, apesar de eventuais reconstruções e reformas. O espírito de vanguarda dos idealizadores das obras, como do arquiteto Oscar Niemeyer que projetou o Brasília Palace Hotel, também foi considerado. O hotel brasiliense foi a única construção na América do Sul a entrar na lista, ao lado de estruturas como o Le Corbusier Hotel, na França, do arquiteto que dá nome à obra, Le Corbusier, e o alemão Bauhaus Dessau Foundation, planejado pela escola de Bauhaus – uma das mais influentes academias de design das décadas de 20 e 30.

 

A pesquisa também destacou a história contida na construção dos hotéis para avaliar a importância do legado arquitetônico e histórico que fornecem para as localidades em que estão instalados. Constatou-se que muitos deles viveram anos de negligência até serem restaurados e reconhecidos. O Brasília Palace Hotel, por exemplo, foi a primeira obra a ser finalizada no projeto de construção da nova capital do Brasil. Durante anos foi o centro da capital nascente e recebeu hóspedes como Che Guevara , André Malraux, Dwight Eisenhouwer, dentre outras personalidades.

 

Em 1978, um incêndio destruiu parte do hotel e comprometeu seu funcionamento. A obra de Niemeyer ficou 28 anos no ostracismo até sua renovação, em 2006.

Publicidade
21 anos Revista Hotéis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image
Reload Image

CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA