HOME Matérias Trade Brasil poderá ganhar quatro rotas de trens turísticos

Brasil poderá ganhar quatro rotas de trens turísticos

14
0
SHARE

O País pode ganhar quatro trens turísticos ainda este ano. Este é o objetivo de um Grupo de trabalho Ferroviário que se reuniu na última semana no Ministério do Turismo. O grupo é formado por representantes do MTur, da ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres, do Ministério dos Transportes, da  Associação Brasileira de Preservação Ferroviária e órgãos administrativos de diversos estados. 

Um dos trens vai trafegar entre Barbacena (MG) e Santos Dumont (MG), o outro irá circular no município de Santa Maria (RS), um terceiro vai de São Carlos (SP) até a fazenda Conde do Pinhal (SP) e um quarto, percorre um trecho entre São Roque (SP) a Mairinque (SP). O Brasil tem atualmente 33 trens turísticos em operação, todos na região Sul e Sudeste.

Em Santa Maria, a 250 km de Porto Alegre, um projeto prevê a implantação de uma linha de trem que vai funcionar no próprio município, com 4 km de extensão. A proposta também inclui um centro de espetáculos ao longo da via e uma área com maquetes de trens para exposição. Ainda falta a construção de 1.200 metros de trilhos e reparos da locomotiva inglesa que pertence ao município. Durante a reunião, o grupo decidiu que o próprio DNIT doaria os trilhos de materiais antigos que constam em seu patrimônio. Santa Maria passou a receber voos diretos de Porto Alegre, o que deve estimular ainda mais o turismo na região.

Em Barbacena (MG), o Expresso Pai da Aviação, prevê a implantação de um trem que liga a cidade a Santos Dumont, com extensão de 43km. Em Barbacena, alguns trens transportavam os doentes mentais de um dos maiores hospitais psiquiátricos do país, daí a expressão mineira “trem de doido”. Já Santos Dumont é a cidade onde nasceu Santos Dumont – e cujo o antecessor foi um empreendedor das ferrovias.

Ainda não há acordo entre a concessionária que explora a ferrovia e a agência de Barbacena, dona da locomotiva. A concessionária, que transporta minério pela ferrovia, alegou falta de segurança no trecho para o transporte de pessoas.  O diretor do Departamento de Produtos e Destinos, Marcelo Lima Costa, alega que a empresa que transporta minério já usa a malha ferroviária. 

Outro município de São Paulo que aposta no potencial ferroviário é São Roque (SP), conhecido pela produção de vinho e alcachofra. A prefeitura pretende revitalizar a Maria Fumaça para um trajeto de 22km, passando por São João Novo, Maylasky e Mairinque. Cerca de 90% do projeto já foi executado e duas locomotivas estão prontas. Entretanto, segundo os responsáveis pela condução do projeto, as obras não começaram porque a concessionária ALL está com a documentação parada. O diretor Marcelo, do MTur, solicitou à prefeitura uma nota técnica para intervir junto à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que regulamenta o setor.

No município de São Carlos (SP), um projeto deve colocar em operação a locomotiva 821, que vai de São Carlos até a Fazenda do Conde do Pinhal. O trajeto passa por uma área de cerrado que pode ser usada para projetos educativos e também abrigará a primeira fábrica de dirigíveis do mundo. Ainda faltam R$ 6 milhões para que o projeto seja viabilizado, incluindo a reforma da locomotiva, que pertence a prefeitura. “Estimamos que 43 municípios ao redor de São Carlos e 4,4 milhões de habitantes podem ser potenciais usuários do trem”, afirmou Geraldo Godoy da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária, responsável pela revitalização de nove trens turísticos no país.

SHARE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here


CAPTCHA Image
Reload Image