HOME Matérias Alunos do Instituto Beto Carrero transformam lixo em arte  

Alunos do Instituto Beto Carrero transformam lixo em arte  

Com idades entre oito e 16 anos, jovens aprendem a ressignificar materiais no projeto ‘Betinho Carrero Fazendo Arte’

56
0
SHARE
Mais de 200 crianças, com idades entre oito e 16 anos, já passaram pelo projeto ‘Betinho Carrero Fazendo Arte’ - Foto: divulgação

Pelas mãos dos alunos do Instituto Beto Carrero, localizado em Penha (SC), ao lado do parque temático Beto Carrero World, objetos como garrafas pet, CDs, rolhas, papéis e plásticos, que seriam jogados no lixo, se transformam em guirlandas, árvores natalinas, cartões comemorativos, coelhinhos da páscoa, presentes, entre outros itens decorativos. Mais de 200 crianças, com idades entre oito e 16 anos, já passaram pelo projeto ‘Betinho Carrero Fazendo Arte’, transformando, por ano, cerca de 300 quilos de materiais.

No instituto a regra é ressignificar, ou seja, dar novo significado a um objeto. Os materiais utilizados na confecção das peças decorativas foram descartados pela comunidade e poderiam ficar meses, anos ou séculos na natureza. “O plástico, por exemplo, leva mais de 200 anos para se decompor”, comenta a professora do projeto, Surama Lima. Para todos se engajarem, a equipe propõe temas: no primeiro semestre de 2019 o foco foi o vidro. Com a ação, 91 quilos de materiais foram reaproveitados.

Após a transformação, todos os materiais trabalhados pelas crianças do ‘Betinho Carrero Fazendo Arte’ são doados à comunidade, utilizados como presentes em datas comemorativas ou vendidos em ações de arrecadação à Organização da Sociedade Civil de Interesse Público – OSCIP. “Com o projeto, estamos estimulando a criatividade, o trabalho em equipe e a sustentabilidade entre as crianças. É uma forma de transformarmos o meio e preservarmos o nosso planeta”, afirma a Coordenadora do Instituto Beto Carrero, Rosiane Souza de Souza.

Objetos como garrafas pet, CDs, rolhas, papéis e plásticos, que seriam jogados no lixo, se transformam em guirlandas, árvores natalinas, cartões comemorativos, coelhinhos da páscoa, presentes, entre outros itens decorativos – Foto: divulgação

Preservação ambiental no Beto Carrero World

A preocupação com o meio ambiente também é pauta no Beto Carrero World. Todo cuidado com a sustentabilidade e pela preservação das espécies é cultivado desde a inauguração do empreendimento, legado deixado pelo fundador, Beto Carrero.

As ações vão desde as práticas internas, realizadas pelos colaboradores, até estímulos e conscientização da comunidade em geral e dos visitantes, tais como:

– Destino correto do lixo: todos os resíduos gerados dentro do parque recebem seleção na Central de Triagem instalada dentro do empreendimento. No local, os materiais são separados por tipologia, prensados e transportados para destinadores finais credenciados por órgãos ambientais. No total, mais de 20 mil quilos de plástico ganham destino correto por ano. Algumas das peças retornam para o Beto Carrero World sendo reaproveitadas em oficinas e atelier;

– Canudos biodegradáveis: canudos de plástico foram substituídos por canudos de papel, que são biodegradáveis e não oferecem risco ao meio ambiente e à vida marinha. A estimativa é que a ação elimine cerca de 1 milhão de canudinhos plásticos por ano;

– Áreas de preservação: por acreditar na preservação das matas nativas como forma de auxiliar com o futuro do planeta, o Beto Carrero World mantém mais de 3 milhões de m² de mata atlântica preservada e floresta intocada, com diversas espécies de animais, aves e flores.

– Tratamento de efluentes: o Beto Carrero World mantém uma estação de Tratamento de Efluentes. Dentro da área especialmente montada, de acordo com o que prevê a legislação ambiental, é realizada a remoção de carga orgânica de todo esgoto gerado no empreendimento;

– Preservação das espécies: um dos legados deixados pelo fundador Beto Carrero é cuidar das diversas espécies ameaçadas de extinção no mundo. O Beto Carrero World busca, ainda, estimular a reprodução das espécies somando mais de 30 nascimentos raros no último ano. O espaço ainda é base do Projeto Tamar em prol da conservação marinha e mantém parceria com o Instituto Chico Mendes da Biodiversidade – ICMBio – de integração do programa de reprodução em cativeiro do mico-leão-dourado;

– Educação ambiental: Além de incentivar as atividades do Instituto Beto Carrero, o parque também recebe a visita de crianças e adolescentes das escolas da região, que realizam estudo de campo dentro do empreendimento a fim de conferir todas as práticas sustentáveis adotadas no local.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here


CAPTCHA Image
Reload Image