Responsabilidade socioambientalÚltimas Notícias

Accor emprega cerca de 150 refugiados no Brasil

Ação reforça compromisso da rede hoteleira com a inclusão de refugiados no mercado de trabalho

Em meio à crescente onda de conflitos globais, a Accor, líder mundial em hospitalidade, destaca a importância de promover a diversidade e a responsabilidade social na inclusão de pessoas refugiadas no mercado de trabalho. Em celebração ao Dia Mundial dos Refugiados, em 20 de junho, a Accor reitera seu compromisso vital com a causa, iniciado em 2019 com a adesão global à Tent Partnership for Refugees.

Publicidade
Equipotel

Em 2022, a Accor se tornou Empresa Mobilizadora do Fórum Empresas com Refugiados, uma iniciativa conjunta da ACNUR – Agência da ONU para Refugiados e do Pacto Global da ONU no Brasil. Além disso, em parceria com o ACNUR e ONU Mulheres, a empresa desenvolveu um Guia de Boas Práticas para a contratação de refugiados, culminando em um modelo de capacitação rápida em hotelaria implementado no hotel Pergamon SP Frei Caneca by Accor. Esse projeto beneficiou mais de 150 pessoas, em que 25% delas conseguiu emprego em hotéis de São Paulo. No ano seguinte, a iniciativa expandiu-se para o Rio de Janeiro, capacitando 25 venezuelanos em um abrigo e oferecendo formação de garçom para outras 10 pessoas refugiadas em colaboração com a empresa D11.

Publicidade
Ameris

Fernando Viriato, SVP de Talento e Cultura Accor Américas na divisão Premium, Midscale & Economy, destaca o poder transformador das organizações, especialmente em um país como o Brasil, que abriga cerca de 700 mil refugiados. “A contratação de pessoas refugiadas não apenas enriquece a diversidade das equipes da Accor, mas também reforça o nosso compromisso em reconstruir vidas. É importante saber que é uma passagem para fazer avançar o sonho dessas pessoas”, afirma o executivo.

Accor emprega cerca de 150 refugiados no Brasil
Fernando Viriato, SVP de Talento e Cultura Accor Américas na divisão Premium, Midscale & Economy – Divulgação
Publicidade
Tramontina

Atualmente, a rede emprega cerca de 150 pessoas refugiadas no Brasil, principalmente venezuelanos e angolanos. Em maio, Fernando Viriato participou como painelista do evento Cartagena 40+, celebrando os 40 anos da Declaração de Cartagena sobre Refugiados. Durante o evento, ele ressaltou a contribuição significativa da inclusão para o mercado de trabalho. “A inserção formal de refugiados nas empresas não apenas potencializa o talento das próprias pessoas refugiadas, impulsionando as economias locais, mas também fortalece a diversidade social, étnica, racial e cultural, proporcionando um ambiente de trabalho enriquecedor, com habilidades linguísticas diversas e uma força de trabalho mais inclusiva”, explica Viriato.

Publicidade
Desbravador

Denise Bertola

Denise Bertola é Repórter da Revista Hotéis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA