Publicidade
Hotelplus

ABIH-SP mede desempenho da hotelaria em maio

O Dia e horário dessa postagem está no final, assim como nome do autor. O tempo estimado de leitura é de 4 minutos

A ABIH-SP – Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de São Paulo, acaba de divulgar uma pesquisa sobre o desempenho da hotelaria durante o mês de maio na cidade de São Paulo. A tabulação dos dados da sondagem, que chegou à 11ª edição no mês de maio de 2021, revela que houve ligeiro aumento na quantidade de hotéis abertos. Alcançou 97,17% do total pesquisado, contra 95,73% registrado no mês de abril. As comparações foram feitas com o mesmo período de 2019, no pré-pandemia. Em 2020, a pandemia afetou os números e isso distorce os dados comparativos.

Cabe registrar que o status de ‘hotel fechado’ corresponde à informação declarada de ‘inoperação’ no momento da pesquisa. Não há como considerar a condição de fechamento provisório ou definitivo.

Publicidade
Engie

A pesquisa foi realizada de forma independente e adotou alguns comparativos com dados de outras entidades para ratificar as análises. Dentre outras, contribuíram InFohb, Observatório do Turismo de São Paulo, Visite Campinas e ACE Ilha Bela. O objetivo desta pesquisa é divulgar um diagnóstico mensal do desempenho da indústria hoteleira do Estado de São Paulo, junto aos associados, órgãos governamentais e de imprensa. Trata-se da série exclusiva realizada pela ABIH – SP.

Geografia

No mês de maio/21, houve retorno dos hotéis de 13 dentre as 15 MRTs (Macros Regiões Turísticas) do Estado São Paulo, compreendendo 425 municípios. Oferta total: 149.169 UHs (unidades habitacionais). Foram consideradas 105.140 UHs (70,48%) dos municípios que responderam a pesquisa.

A sondagem ainda contou com 106 hotéis e 14.596 Unidades Habitacionais, sendo considerados para o cálculo de taxa de ocupação, diária média e RevPar (Receita por Quarto Disponível) somente os hotéis abertos e em operação.

Indicadores

Seguem os três principais indicadores do mês de maio de 2021:

1 – Taxa de ocupação do Estado: 30,64%. Indicador com variação negativa de -54,70% em relação a maio/19.

 

2 – Diária média do Estado: R$ 210,21. Indicador com variação negativa de -34,28% em relação a maio/19.

 

3 – RevPar (Receita por Quarto Disponível) do Estado: R$ 64,41. Indicador com variação negativa de -70,23% em relação a maio/19.

Reitera-se que as comparações foram feitas com o mesmo período de 2019, período pré-pandemia, pois 2020 a pandemia afetou os números e distorce os dados comparativos

.

Publicidade
Simmons

Cenário

Em maio de 2021, os hotéis em operação mantiveram 24,52% de suas UHs fechadas, aumentando a oferta em relação a abril21. (dado de abr/21, 31,86% UHs fechadas). Também em maio de 2021, a relação funcionários/UHs apresentou pequeno aumento, mantendo a tendência para a estagnação com recuperação de empregos inexpressiva. A relação ficou em 0,28 func/uh em maio21.

Houve tendência de incremento dos indicadores nas MRTs pesquisadas. Porém, muito aquém do ideal, uma vez que as políticas restritivas mantiveram-se em todas as MRTs do Estado. Os hotéis também acumulam perdas significativas de receitas nas atividades de eventos e alimentação, desde março/20.

A pesquisa apresentou ligeira variação positiva na quantidade de UHS para comercialização em maio/21. Houve uma queda na quantidade de UHs fechadas, passando para 24,52% da oferta total, mas ainda mantendo a tendência de retração do mercado.

Taxa de funcionários/UH – Estado de São Paulo

Este indicador apresentou relativa estabilidade no mês de maio de 2021, após uma queda brusca no resultado anterior. Houve variação de 0,02 pontos em maio/21 comparando com abril do mesmo ano.

A queda acumulada desde o início desta série histórica (jul/20 a mai/21 – 11 meses) manteve-se acima de 50%, ratificando a tendência de grave índice de desemprego no setor hoteleiro.

Cabe considerar que julho de 2020 já era o quarto mês de pandemia e esta série histórica não havia iniciado. Portanto, o acumulado de postos de trabalho perdidos pode ser ainda maior do que o apresentado neste estudo, desde março/20.

Publicidade
Pikolin

Análise da Taxa de Ocupação dos Hotéis – Maio/2021

A taxa de ocupação acumulada do estado ficou em 30,64%, com variação de -54,70% em relação a maio/19. Em maio/21, quase todas as MRTs apresentaram variação positiva em relação a março e abril/21, por conta de severas restrições dos meses anteriores, que forçaram os indicadores a expressivas quedas.

O Estado de São Paulo permaneceu ainda com vários municípios seguindo restrições governamentais, as quais impactaram diretamente na recuperação dos indicadores.

Fonte: Dados desta pesquisa comparados com aqueles do Observatório do Turismo (Capital Paulista).

Índice de Desempenho – Taxa de Ocupação – Por micro região turística

Seguem duas tabelas, com a comparação da taxa de ocupação em cada micro região turística do Estado de São Paulo. Parâmetro: julho a dezembro de 2020/ janeiro a maio de 2021.

Índice de Desempenho – RevPar

Analisando o indicador da RevPar de maio/21, foram observados os seguintes pontos:

A RevPar acumulada do Estado foi de R$ 64,41,com variação de -70,23% em relação a maio/19.

Em maio de 2021, várias MRTs apresentaram variação positiva em relação a março e abril/21, por conta de severas restrições dos meses anteriores que forçaram os indicadores a expressivas quedas. O Estado de São Paulo permaneceu ainda com vários municípios seguindo restrições governamentais, as quais impactaram diretamente na recuperação dos indicadores.

Principais Fontes da Pesquisa

Respostas da Hotelaria – Formulário de Pesquisa ABIH-SP. Amostragem: Levantamento e Mapeamento – Pesquisa UAMTOUR; • Cadastur; • Receita Federal – CNAE; • Embratur; Comparativos de Dados: • Observatório do Turismo; • Visite Campinas; • InFOHB; • Atibaia e Região; • ACE – Ilha Bela; • CIET – Centro de Inteligência Econômica do Turismo – SETUR.

Créditos da Pesquisa ABIH-SP

Ricardo Roman Jr. – Presidente ABIH-SP e idealizador do projeto.

Gláucia Sangiovanni Paiva – Gerente Operacional – responsável pela pesquisa e captação de dados.

Roberto Gracioso – Conselho Fiscal, coordenador e responsável pelo desenvolvimento do projeto.

Publicidade
Anuncie conosco

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image
Reload Image
CLICK AQUI PARA ESCOLHER O IDIOMA DA LEITURA
error: ARQUIVO NÃO AUTORIZADO PARA IMPRESSÃO E CÓPIA