Publicidade
Coronavirus

A hotelaria quer voltar a trabalhar e gerar riquezas ao Estado e País

Diante da pandemia do COVID-19 (novo coronavírus) que fez o Governador Catarinense, Carlos Moisés, decretar a paralização de várias atividades no estado, incluindo as hospedagens, Osmar José Vailatti, Presidente da ABIH/SC – Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina, resolveu se manifestar. Ele acaba de divulgar uma carta manifestando sua ansiedade e preocupação diante dessa situação que paralisou quase a totalidade das operações hoteleiras no Estado. Confira a seguir a carta na íntegra.

Publicidade
GRI Hotéis

 

Ofício: 002/2020

Ref.: COVID-19

Assunto: Posicionamento da ABIH-SC

Avante hoteleiros de Santa Catarina.

Passados quase dez dias do anúncio da triste quarentena em virtude da COVID-19, a ABIH-SC – Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina, aguarda ansiosa e preocupada, decisões dos governos que, lamentavelmente, não chegam.

A hotelaria e o turismo parou. 80% a 90% dos hotéis permanecem fechados. Colaboradores em férias, demitidos. Desespero, um caos! Calcula-se que 300 mil demissões já ocorreram em todo o território nacional. O governo precisa anunciar medidas urgentes para prolongar e salvar o setor da hotelaria e do turismo. Setor que investe, paga milhões de tributos, gera empregos e renda a milhares de família, e qualifica as pessoas envolvidas.

Diferentemente de outros setores econômicos, onde há queda na produção, o TURISMO PAROU. Precisamos de medidas urgentes para minimizar os impactos econômicos, neste e em outros setores da economia de Santa Catarina e do País, entre elas:

Publicidade
Harus

A que responsabiliza o governo pelo pagamento do seguro-desemprego;

A que libera 70% do Fundo de Garantia dos colaboradores;

A que fornece linhas de créditos a juros reduzidos e prazos prolongados, ainda não disponíveis e que preocupam o setor;

Admitir a entrada de novos hóspedes individuais e de profissionais de serviços públicos e atividades essenciais;

Iniciar imediatamente o planejamento da retomada da atividade econômica, isolando grupos de riscos, liberando parte da força de trabalho para retorno às atividades.

Está claro que a hotelaria foi um dos mais atingidos setores, pelos problemas causados pela pandemia global. É preciso urgente flexibilizar a atividade, criar mecanismos para abertura gradativa dos hotéis, injetar recursos para a sobrevida dos equipamentos turísticos.

Publicidade
Gestão de riscos

A hotelaria não quer receber vantagens, a hotelaria quer voltar a trabalhar e gerar riquezas ao País.

Atenciosamente,

Osmar José Vailatti

Diretor-presidente da ABIH-SC

Publicidade
RAP Engenharia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image
Reload Image